7 cafeterias com opções veganas em São Paulo

Como alguns de vocês sabem, sou vegana e há 16 anos seguindo esse estilo de vida posso falar com propriedade que as coisas melhoraram muito de um tempo para cá.

No início dos anos 2.000 a gente encontrava, basicamente, proteína de soja em pó e texturizada.  Hoje, com o crescimento desse segmento no Brasil, dá para observar uma grande variedade de produtos nas prateleiras dos mercados e restaurantes para atender essa demanda. Segundo o IBOPE, o número de adeptos ao vegetarianismo ou veganismo quase dobrou em 6 anos chegando a 29 milhões de pessoas em todo o território nacional.

Leia também:

Mesmo assim, ainda há muito espaço e oportunidades a serem exploradas nessa área. Falando mais especificamente de cafeterias, apesar de já ser possível encontrar muitas delas oferecendo opções veganas, a maioria ainda opta em não atender a esse público.

Produtos veganos acabam atingindo outros tipo de pessoas, como alérgicos e intolerantes à lactose e até quem come produtos de origem animal, por que não? Pensando em tudo isso, montamos uma lista de cafeterias com opções veganas em São Paulo, onde uma pessoa adepta ao veganismo pode pedir mais que um cafezinho.

Veja a lista das cafeterias com opções veganas em São Paulo

1 . Clemente

Localizado na Zona Sul, o Clemente sempre tem uma delícia vegana para acompanhar o café. Seja pão, brigadeiro e o famoso banana bread, que só de pensar dá vontade de parar de escrever para ir lá comer! Fica perfeito com um café coado.

Foto: Cinthia Bracco

2 . Catarina Coffee and Love

Agora em um novo endereço, no Jardins, o Catarina foi uma das minhas melhores experiência de café e comidinhas veganas. Bebida surpreendente, bons papos sobre café, focaccia e um cookie de baunilha com gotas de chocolate e sal (sim, sal!) inesquecível. Estava tão bom que até levei um cookie pra casa. Vale a visita!

Foto: Cinthia Bracco

3 . Veggie Café

No térreo de um prédio comercial em Santana, Zona Norte de São Paulo, o Veggie Café é um estabelecimento vegano, que também serve refeições e dispõe de um pequeno empório com produtos à venda, de alimentos a cosméticos.

A maioria dos itens do cardápio é produzida por eles, inclusive o leite vegetal feito a partir de sementes de girassol. Eles utilizam café gourmet e as bebidas disponíveis são sempre feitas à base de espresso. É tudo muito gostoso, dá para sair de lá bem satisfeito.

Foto: Cinthia Bracco

Você vai gostar de ler:

4 . Pine Coffee Co.

Recém inaugurada na Vila Mariana, a Pine Coffe Co. me fez uma pessoa bem feliz quando fui lá conhecer o local. Além de um café muito bom e pessoas atenciosas, pude comer pão de fermentação natural quentinho com a melhor geleia de laranja que eu já comi (sem exagero). Era boa porque não tinha amargor, como muitas geleias de laranja por aí, e doce na medida, o que combinava bem com o café.

O espaço tem uma proposta legal, lembra uma cabana de lenhadores. Muitas coisas por lá foram feitas por eles mesmos. Novidade bacana entre as cafeterias com opções veganas em São Paulo que não pode ficar de fora da rota dos coffee lovers de plantão.

Foto: Cinthia Bracco

5 . King of the Fork

Devo admitir que essa é uma das minhas cafeterias queridinhas. O ambiente é legal, as pessoas que trabalham lá são incríveis e as opções veganas são ótimas!

Minha combinação preferida é o pão sem queijo de multigrãos, geleia de morango e latte de leite de coco produzido na casa. Tem também brownie e um lanche de cogumelos delicioso. Para mim, o KOF é sempre uma ótima experiência!

Tem torrada nova de LEGUMES DEFUMADOS \o/ Não se enganem com o aroma de bacon, é vegana 🌱

Uma publicação compartilhada por KOF – King of The Fork (@kingofthefork) em

6 . Hey Coffee

Cafeteria linda no centro da cidade que recebe as pessoas com excelentes cafés e um sorriso de quem ama o que faz, também oferece opções veganas, entre elas saborosas empanadas de massa fina e super recheadas.

Provei uma de cogumelos de lamber os dedos e para acompanhar café especial vindo da Bahia.  Visitar a Hey Coffee definitivamente faz o dia valer a pena.

Foto: Cinthia Bracco

7 . Eurobike Café

O Itaim Bibi, bairro da Zona Sul, também não decepciona. Lá a gente encontra o Eurobike Café, com opções veganas bem gostosas, entre elas bolinhos de sabores variados que também não levam glúten. Além disso, eles oferecem diversas opções de leites vegetais.

Foto: Cinthia Bracco

É bom saber que cada vez mais posso frequentar os lugares sem ter que levar alguma coisa na bolsa para acompanhar o meu café. E vocês já provaram alguma dessas gostosuras? Tem mais cafeterias com opções veganas em São Paulo ou em algum outro lugar vocês indicam?

 

Cinthia Bracco é filha e neta de boleira e salgadeira. Atuou por 9 anos nas áreas de Marketing e Comunicação, mas não conseguiu fugir de seu destino. Assim como a mãe e a avó ingressou na área de gastronomia depois de ter se apaixonado pelo café. Em Novembro de 2016, tornou-se barista profissional e hoje está trabalhando em um dos maiores projetos de sua vida: ter a própria cafeteria. É vegana, adora comer, tem um Bull Terrier chamado Tofu e é fã de ficção científica, especialmente Battlestar Galáctica.  

Foto de destaque: Depositphotos

Eugênia Café Bar é uma homenagem às mulheres

Esses dias conheci o Eugênia Café Bar, uma mistura de café e bar, que abriu recentemente em Pinheiros, São Paulo. O nome é uma homenagem à Eugênia Álvaro Moreyra (1898-1948), uma jornalista, diretora de teatro e atriz, precursora do movimento feminista no Brasil.

O que tem no Eugênia Café Bar, em Pinheiros?

As mulheres estão por toda parte no Eugênia Café Bar, reforçando o conceito do feminismo. Um dos sócios é homem, porém só mulheres são contratadas para trabalhar no espaço. O pequeno palco serve para apresentação de artistas mulheres e, na parte de trás da casa, tem uma sala com uma biblioteca cheia de livros de autoras de peso.

Eles trabalham com cafés especiais. No cardápio tem espresso (R$ 5), cappuccino (R$ 7), macchiato (R$ 8), latte (R$ 6,50), mocha (R$ 11), além dos métodos Hario V60 (R$ 8), Clever (R$ 9), French Press (R$ 10) e AeroPress (R$ 10). Tem também chocolate quente cremoso (R$ 10) e o Irish Coffee (R$ 17), se preferir um drink alcoólico com café.

[São Paulo 🇧🇷] – Aqui só trabalham mulheres. Na cozinha, no balcão e no salão. O Eugênia Café Bar é novidade no burburinho de Pinheiros. Tem até um palquinho com espaço para artistas mulheres e o sobrado ainda abriga um espaço com sala para encontros e uma biblioteca com títulos de autoras. Eles servem cafés especiais, comidinhas, bebidinhas e drinks para curtir o happy hour. Fui de cappuccino e bolo de cenoura com chocolate. Na segunda foto, coloquei o cardápio de cafés para quem tiver curiosidade. Super cool, adorei e recomendo! 📍R. Cônego Eugênio Leite, 953. ☕️❤️#umcafezinhopelomundo . . . 📸 @umcafezinho #coffeelovers #cafestagram #umcafezinho #cafezinho #coffeeexperience #coffeeholic #grlpwr #pinheiros #pinheirossp

Uma publicação compartilhada por Café | Informação | Lifestyle (@umcafezinho) em

Para acompanhar, tem pão de queijo (R$ 5,50), Madeleine (R$ 5), bolo do dia (R$ 7,50), brigadeiro (R$ 5) e brownie (R$ 5).

Para quem prefere o happy hour, pode escolher entre os drinks (todos levam nomes de mulheres). Todos parecem interessantes, mas ainda não posso opinar porque fui para o café mesmo. Meu pedido foi o cappuccino e uma fatia de bolo de cenoura com chocolate. Eu gostei. O ambiente é agradável, gostei do que provei e também do atendimento.

Leia também:

Para mim, essa é mais uma boa opção entre as ótimas de Pinheiros.

Eugênia Café Bar

Rua Cônego Eugênio Leite, 953, Pinheiros
Funciona de segunda a sábado, das 13h às 23h

Eugênia Café Bar é um cantinho gostoso, tem seu charme e o café é uma delícia. Ficou com vontade de conhecer? Já conhece? Conte nos comentários e compartilhe com seus amigos. 

Fotos: Divulgação | Instagram: Fernanda Haddad ©

Café Le Fouquet’s Paris: vale a pena visitar?

Não é só em Paris, mas na Europa em geral (pelo menos por onde passei até agora): os cafés estão por toda parte. De fato, é impossível – especialmente, quando se tem um tempo determinado – entrar em TODOS os lugares onde está escrita a palavra “café”. Por isso, escolhi alguns com história legal para contar, como é o caso do Café Le Fouquet’s Paris, que está na icônica Avenida Champs Elysées desde 1899.

Um pouquinho da história do Café Le Fouquet’s Paris

O Café Le Fouquet’s Paris foi fundado por Louis Fouquet. Esse é um daqueles lugares históricos cheios de pompa e uma das referências na cidade. Para se ter uma ideia, desde 1990,  a sua sala principal faz parte do Inventário dos Monumentos Históricos (Inventaire des Monuments Historiques) da França.

Não se surpreenda se cruzar com celebridades de fama mundial e políticos também. Digo isso porque o Café Le Fouquet’s Paris é onde Nicolas Sarkozy, o ex-presidente francês, comemorou sua vitória nas eleições de 2007. E mais: o jantar de gala do Prêmio César, considerado o Oscar do cinema francês, é servido aqui desde 1979.

Em 1998, ele foi comprado pelo Groupe Barrière e, desde então, faz parte do Hotel Barrière Le Fouquet. Outras unidades do café/restaurante foram inaugurados em destinos luxuosos da França, como: Cannes, Courchevel e Toulouse. Uma das coisas que eu mais amo fazer quando viajo é sentar em um café e observar as pessoas. Quando tem história então… Eu já fico tentando imaginar como foi, quem já se sentou ali, o que pensava e sonhava cada pessoa enquanto tomava seu cafezinho.

O Café Le Fouquet’s Paris é caro, sim, e já vou falar mais sobre isso. Mas, se você é dos meus e troca qualquer ida ao shopping por experiências principalmente gastronômicas, vá em frente. Vale a pena considerar também que você pode gastar mais em um restaurante de luxo no Brasil, acredite. Isso não é nem um pouco difícil. Além disso, se trata da Avenida mais famosa do mundo.

Há quem prefira passar a fast food e comprar coisas para levar. Então, vai do gosto e do estilo de viagem de cada um. Eu uso meu dinheirinho para colecionar experiências. Meu planejamento é todo em cima disso e não necessariamente vou a todos os pontos turísticos na primeira visita a qualquer lugar. Já falei aqui que até vou com uma coisa ou outra programada, mas gosto mesmo é de descobrir a cidade do meu jeito, sair andando e ver o que encontro.

Fui para o café da tarde com minha irmã. Pagamos 52 euros em 2 cappuccinos, uma água sem gás, um bolo de chocolate e uma eclair de chocolate. Os doces são maravilhosos, tanto no sabor quanto na apresentação. O atendimento é excelente também. Experiência super válida, ainda quero voltar para experimentar os pratos do restaurante.

Café Le Fouquet’s Paris

Av. des Champs-Élysées, 99, Paris, França
Funciona todos os dias, de segunda a domingo, das 7h30 às 23h30
Telefone: (+33) 1 40 69 60 50

(Dica: outro lugar que eu recomendo para comer eclair é L’éclair de Génie. Tem algumas unidades espalhadas pela cidade. Clique aqui para conferir os endereços). Os doces de Paris são surreais.

Para reservar passagens e hospedagens, lembra que eu deixei a caixinha do Booking.com aqui né? Se você está lendo pelo computador, confira no canto direito da tela. Se está lendo pelo celular ou tablet, é só rolar aqui para baixo do post.

Leia também:

O Café Le Fouquet’s Paris é uma das minhas recomendações para vocês em uma das cidades mais lindas do mundo. Gostou da dica? Quero saber nos comentários. Compartilhe usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Fotos: Fernanda Haddad ©

Master Origin Nespresso: conheça a nova linha de cafés da marca

Quando se trata de cafés em cápsulas, logo lembramos da Nespresso, que é pioneira no segmento. Sua mais recente novidade é a linha de cafés Master Origin Nespresso e, para o lançamento dos 5 tipos de café de origem única, a marca promoveu uma experiência super interessante na última terça-feira, dia 28 de agosto, em São Paulo.

Depois de ouvir consumidores e fazer uma série de pesquisas, além de parcerias com agricultores locais, a Nespresso nos permite dar uma verdadeira volta ao mundo embalada pelos aromas e sabores do café. Eles são provenientes de Colômbia, Índia, Indonésia, Nicarágua e Etiópia – produzidos com métodos característicos de suas regiões.

Leia também:

Master Origin Nespresso e Fechado para Jantar

Em parceria com o Fechado para Jantar, projeto do chef Raphael Despirite que organiza jantares esporádicos nos lugares mais inusitados da cidade de São Paulo, a Nespresso fez um jantar fechado na Vila São Paulo, um espaço de eventos no Brás. (Para se ter uma ideia, ele já fez jantar dentro de uma livraria e dentro de uma galeria de arte. Cada edição é uma surpresa e, por isso, se você é de São Paulo, vale ficar de olho nas próximas datas).

Primeiro, houve uma recepção com degustação de 5 drinks com café, elaborados especialmente para acentuar o sabor do café de cada origem. Provei todos e contei aqui em baixo os meus 3 preferidos:

Meus drinks preferidos com os novos blends @nespresso.br: 1️⃣ o primeiro feito com India (notas amadeiradas e picantes); 2️⃣ o segundo com Indonesia (notas de madeira tropical e tabaco); 3️⃣ e o terceiro com Ethiopia (notas de frutas e flor de laranjeira). Os 5 novos blends são vendidos em uma única caixinha, com 7 unidades de cápsulas. Tá fácil provar todas, hein! 🌍✈️ Uma verdadeira volta ao mundo, com aromas e sabores do café! Hoje de manhã escolhi o Indonesia para despertar. ☕️❤️#umcafezinhopelomundo . . . 📸 @umcafezinho #coffeelovers #coffeetime #coffeeexperience #cafezinho #umcafezinho #cafe #nespressobrasil #nespresso #nespressomoments #viajarfazbem #cafestagram

Uma publicação compartilhada por Café | Informação | Lifestyle (@umcafezinho) em

Depois, passamos para a experiência do jantar. Os 5 blends inspiraram os 5 pratos servidos: 1 . Carne crua, maionese de alice, vinagrete de óleo de salsinha, nirá e pickles de cebola; 2 . Queijo St. Marcelin, abóboras assadas, lardo e mel de abelha nativa jataí MBEE; 3 . Confit de Pato, purê de grão de bico e salsa verde;  4 . Sorvete de morangos gelato boutique, ricota, pistache e manjericão; 5 . Pain Perdu e compota de maçãs.

Fechado para Jantar exclusivo para apresentar os novos blends da Nespresso. Divulgação

Claudia Leite, gerente de Cafés e Sustentabilidade da Nespresso no Brasil, reforça: “O diferencial desta nova linha são os métodos de processamento de cada café, gerando perfis sensoriais e sabores únicos”. Conheça abaixo mais detalhes sobre a linha de cafés Master Origin Nespresso:

Os cafés da linha Master Origin Nespresso

1 . Master Origin Índia

O café adquirido na Índia passou pela técnica milenar “monsooning”, relembrando um processo antigo, em que os grãos eram transportados em barcos e absorviam um alto nível de umidade do oceano. O mesmo processo foi trazido para o século XXI: grãos de Robusta passaram pelo “monsooning” em armazéns na Índia e foram unidos a grãos Arábica, resultando em um café potente, com notas amadeiradas e picantes.

2 . Master Origin Etiópia

Os grãos de café da Etiópia foram cuidadosamente colhidos e secos naturalmente com a casca e polpa, revolvidos à mão de hora em hora para garantir uma secagem uniforme em terreiros suspensos. O resultado é um café com notas frutas e flor de laranjeira.

Você vai gostar de ler:

3 . Master Origin Colômbia

Na Colômbia, cada fruto de café foi deixado mais tempo no pé, arriscando a fermentação, até que tivesse exatamente o ponto de maturação desejado. Os frutos com coloração roxo escuro foram colhidos à mão.  O resultado é um café com notas vinho e frutas vermelhas.

4 . Master Origin Indonésia

Na Sumatra (Indonésia), o terroir úmido exigiu que os produtores utilizassem um método de processamento descascado úmido. Isso significa que os frutos são descascados, fermentados, secos ao calor e, ainda úmidos, os grãos são processados. O resultado é um café com notas de madeira tropical e tabaco.

5 . Master Origin Nicarágua

Na Nicarágua, utilizou-se o método black honey. Os grãos de café são descascados e secos ainda com a polpa, expostos ao sol intenso nos terreiros, o que permite que o grão absorva os açúcares naturais da própria mucilagem. O resultado é um café com notas de cereais doces.

Os novos cafés da linha Master Origin Nespresso já estão disponíveis nas lojas físicas e também no e-commerce da marca pelo valor de R$ 2,30. Ficou com vontade de provar? Gostou da novidade? Conte nos comentários. 

Foto de destaque: Divulgação

Museu da Casa Brasileira promove evento grátis sobre café

Novidades como essa aqui eu amo e PRE-CI-SO divulgar: o Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, terá uma atividade inédita e gratuita sobre café no próximo dia 1 de setembro. Que amor! Mas, olha só: as vagas são limitadas. Já vou contar com um pouco mais de detalhes sobre o que vai rolar por lá. Quer saber? Leia até o final.

Café e suas impressões: evento gratuito no Museu da Casa Brasileira em São Paulo

O evento gratuito sobre café, de nome ‘Café e suas impressões’, vai tratar da relação do nosso amado cafezinho e suas mudas com arquitetura e o Museu da Casa Brasileira (lugar ma-ra!). São várias atividades. A primeira, às 14h30, é a produção  de marcadores de páginas usando tinta à base de café, desenvolvida especialmente para a ocasião pelo educador Guilherme Ranieri.

Às 15h, vai haver um bate-papo com o Dr. Sérgio Parreiras Pereira, pesquisador científico do Centro de Café ‘Alcides Carvalho’ do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Ele vai contar um pouquinho sobre como o café chegou em nosso país, em 1727, e da importância do grão até os dias atuais.

Leia também:

Além disso, ele vai explicar um pouco sobre as espécies de café brasileiras, Catuí Vermelho e Mundo Novo, que serão plantadas no jardim do Museu da Casa Brasileira ao final do evento. Algumas dessas mudas também serão distribuídas aos participantes da atividade.

Ah! E vai ter degustação de café para os participantes da oficina e visitantes do Museu, que também vão poder acompanhar o plantio das mudas de café com os produtores do Campo Místico, de Bueno Brandão (MG). São apenas 20 vagas. Para participar, envie um e-mail para agendamento@mcb.org.br.

Oficina ‘Café e suas impressões’ – Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2705
Dia 1º de setembro, sábado, das 14h30 às 16h
20 vagas
Inscrições: agendamento@mcb.org.br
Tel.: +55 11 3032-3727

E aí, vamos participar do evento Café e suas impressões, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo? Tem que ser rápido porque são poucas vagas, hein. Comente aqui a sua opinião, curta e compartilhe com seus amigos.   

Foto de destaque: MCB/Juan Guerra

Foto do Instagram: Fernanda Haddad ©

Deus não dorme

Dizer que a crônica fala do quotidiano é uma redundância. Mas também é uma meia-verdade, porque boa parte do que relatamos são os acontecimentos não rotineiros, os imprevistos, os inusitados.

Era uma manhã de sábado. Saí de casa para tomar um espresso com leite na padaria e depois explorar uma livraria. Até aqui seria o quotidiano.

Acontece que depois de arrancar do primeiro semáforo, o trânsito parou. Consegui segurar, mas a condutora que vinha na sequência não e houve a colisão. Só com danos materiais. Ainda bem.

Após os procedimentos legais, o policial me disse: “Você pode ir embora e a ‘infratora’ fica aqui!”. Segui meu rumo, cheguei à padaria e pedi meu café.

Enquanto pensava nos desdobramentos, lembrei que a condutora tinha me pedido uma carona, já que o veículo dela seria recolhido. Voltei lá. A polícia estava indo embora. Ela estava na calçada com uma caixa de som enorme e mais uma montanha de coisas. Além de uma papelada na mão, que eram as multas recebidas por todas as irregularidades. Carreguei tudo e deixei a condutora em casa.

Quando contei a história aos meus chegados, disseram que fui inconsequente de levar uma pessoa estranha dentro do meu carro blá, blá, blá. Na segunda-feira, quando a procurei para passar as coordenadas sobre o pagamento da minha franquia, a pessoa, até então agradecida, passou a me acusar de culpado, de querer extorqui-la, de não ter palavra (?), que um dia aconteceria comigo(sic)… Mas TODAS essas ofensas – que eram textos enormes – terminavam com a frase: “Porque Deus não dorme!”.

A partir daí tomei três providências: abri outro BO relatando as ameaças, redigi esta crônica e concluí, seguindo a crença dela, que se Deus não dorme é porque ele deve tomar muito café. Pena que não pude compartilhar com ela, pois àquela altura, eu já a tinha bloqueado de todas as formas.

Você vai gostar de ler:

CÁPSULA DE UM CAFEZINHO – O que eles disseram…

“Não importa se eu acredito em Deus. O que me importa é se Deus acredita em mim”. Mario Quintana (1906-1994).

 

Marcelo Lamas é cronista. Autor de “Indesmentíveis” (Camus Editora), entre outros.
@marcelolamasbr
marcelolamasbr@gmail.com

Foto: Depositphotos

Hotel com café da manhã é preferência de 68% dos brasileiros

Quando você vai viajar, escolher um hotel com café da manhã é uma prioridade entre os detalhes da hospedagem? Uma pesquisa global feita pelo Booking.com mostrou que a maioria dos brasileiros (68%)  fazem a busca de lugares para ficar com essa preferência. E acreditem: ela ganha, inclusive, quando comparada ao Wi-Fi (50%).

Hotel com café da manhã: o que mais as pessoas pelo mundo procuram?

O levantamento foi feito com  57 mil pessoas de 30 países. Para os brasileiros, em segundo lugar vem o ar-condicionado no quarto (61%), depois equipe profissional e solícita (57%), wi-fi grátis (50%) e equipe que fala seu idioma (48%).

Para a maior parte dos australianos (45%), japoneses (60%) e também norte-americanos (66%), o ar-condicionado é mais importante. Apenas 2 a cada 10 australianos dão preferência ao café da manhã na hora de fazer a sua reserva de hospedagem. Quanto ao Wi-Fi, os dados mostram que ele fica em primeiro lugar para os viajantes na Nova Zelândia (51%). No caso dos dinamarqueses, 49% priorizam a conexão. Já entre os japoneses esse número é de 36%.

O que pesa na hora de decidir?

Na hora de fazer a busca pela melhor hospedagem, seja hotel com café da manhã, ar-condicionado ou Wi-Fi, o que mais pesa na hora de decidir é a opinião de outros viajantes.

De acordo com a pesquisa do Booking, um terço dos viajantes globais (33%) considera uma das três fontes de informação mais importante antes de fazer uma reserva. Brasileiros, russos e coreanos passam a maior parte do tempo em busca de opiniões. Cerca de seis em cada 10 viajantes entre japoneses, mexicanos e suecos não dão muita importância para qualquer tipo de avaliação. Eles se baseiam no que sabem sobre as comodidades e outras informações relevantes.

Você vai gostar de ler:

Para miml, o hotel com café da manhã e Wi-Fi é importante. Mas, confesso que dependendo do lugar, gosto mesmo é de começar a explorar os cafés e cafeterias logo cedo. Se já tem no hotel (e eu amo porque também posso falar deles aqui!), muitas vezes eu não almoço só para poder experimentar mais cafés.

E aí, me conta: você é do time que busca sempre hotel com café da manhã? Se esse texto te lembrou de procurar hospedagem, procura a caixinha do Booking aqui no canto direito da tela (se estiver lendo pelo computador) ou aqui em baixo (se estiver lendo pelo celular). Em qual destino você gostaria de tomar muitos cafezinhos?  Aproveite as dicas aqui do blog, monte o seu roteiro e compartilhe com a gente usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto: Jennifer Pallian on Unsplash

Melitta lança programa de reciclagem de cápsulas de café

Boa notícia: a Melitta acaba de lançar seu programa de reciclagem de cápsulas de café em parceria com a TerraCycle – empresa que trabalha com a solução de resíduos de difícil reciclabilidade.

Programa Nacional de Reciclagem de Cápsulas de Café Melitta: como funciona?

A Melitta tem suas cápsulas de café compatíveis com as máquinas Nespresso e, a partir de agora, é possível fazer o descarte correto delas depois de usar.

Primeiro, é preciso acumular pelo menos 50 cápsulas e armazená-las em uma caixa. O próximo passo é acessar a plataforma da TerraCycle, fazer um cadastro e imprimir uma etiqueta pré-paga. Aí é só despachar a remessa em qualquer agência dos Correios, sem nenhum custo para o consumidor.

Reciclagem e responsabilidade social

Ao juntar e participar da reciclagem de cápsulas de café, além de colaborar com o meio ambiente, o consumidor pode praticar a solidariedade sem colocar a mão no bolso.

Cada cápsula corresponde a 2 pontos TerraCycle, que equivalem a R$0,02 e poderão ser revertidos em doações para uma instituição sem fins lucrativos ou escola pública que você escolher. Para isso, é importante enviar o mínimo de 50 cápsulas. Do contrário, os pontos não serão contabilizados, mas o material será recebido e enviado para a reciclagem.

Leia também:

De acordo com as informações do programa, o prazo para computação dos pontos é de até 4 semanas a contar do momento da postagem.

Para onde vão as cápsulas de café?

A TerraCycle tem uma sócia e parceira, a RCR ambiental. Essa parceira recebe e faz uma triagem do material e o encaminha para a reciclagem, possibilitando que ele seja reinserido na cadeia produtiva. A borra de café, por exemplo, é destinada para a compostagem.

Muito bom ver mais empresas trabalhando para encontrar soluções para essa questão, não acha? Gostou de saber sobre a possibilidade da reciclagem de cápsulas de café da Melitta? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe com seus amigos pelas redes sociais.  

Foto: Divulgação

SP-Arte/Foto 2018 tem degustação do espresso illy

Agosto é o mês da fotografia e, por isso, é o mês escolhido para a SP-Arte/Foto 2018. O mais importante evento dedicado ao trabalho fotográfico no Brasil chega à 12ª edição e você pode curtir uma programação cultural e ainda degustar um cafezinho illy.

A SP-Arte/Foto 2018 ocorre entre os dias 22 a 26 de agosto, com entrada gratuita, no 3º piso do Shopping JK Iguatemi, na capital paulista. O espresso illy é um dos refinados sabores à disposição dos visitantes nos dias da feira.

Você vai gostar de ler:

A SP-Arte/Foto se consolidou como plataforma de intercâmbio cultural e artístico entre curadores, colecionadores, artistas, renomadas galerias e admiradores desse segmento das artes. Durante cinco dias, a fotografia moderna e contemporânea ocupa posição central em debates, lançamentos e exposições que se expandem por toda a cidade de São Paulo.

Leia também:

SP-Arte/Foto 2018

Shopping JK Iguatemi, 3º piso – Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 – São Paulo/SP.
Quarta, 22 de agosto (Preview para convidados); Quinta a sábado, 23 a 25 de agosto: 13 às 21h; Domingo, 26 de agosto: 13 às 20h.
*A entrada encerra todos os dias meia hora antes do horário de fechamento da feira

Adoro essa ligação do café com a arte. Gostou da dica do SP-Arte/Foto 2018, em São Paulo? Que tal ir tomar um cafezinho por lá e ainda ver imagens incríveis? Deixe um comentário aqui e compartilhe usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto: Divulgação

Loja Merci em Paris tem um café literário lindo

Café, livros, floricultura, moda, design e sustentabilidade na cidade luz. A loja Merci em Paris une tudo isso em cerca de 1500 metros quadrados. Quem me apresentou o lugar foi uma amiga que mora por lá e que sabe que eu amo cafés interessantes.

Na entrada, um Fiat 500 vermelho abarrotado de objetos chama a atenção e já é a marca registrada do lugar. A boutique vende peças de roupas multimarcas, acessórios, perfumes, móveis, obras de arte, livros, etc., desde 2009, mas o seu grande diferencial é a pegada solidária por trás do negócio.

Mornin’ coffee at the Used Book Cafe #coffeetime #usedbookcafe #merciparis #mercifiat500 #fiat500

Uma publicação compartilhada por Merci Paris (@merciparis) em

Loja Merci em Paris tem café e promove a compra de itens exclusivos com responsabilidade social

Marie-France Cohen e o marido, Bernard Cohen (falecido em 2010), são os fundadores da loja de moda infantil francesa Bonpoint. Tudo ia bem no negócio, mas eles buscavam algo com propósito.

A solução foi unir o que sabiam e amavam fazer com um projeto solidário. Criaram a Merci Foundation com o intuito de financiar, com parte das vendas da loja Merci, uma escola que ajuda crianças e mulheres em Madagascar. Era de lá que eles importavam os tecidos bordados usados na Boinpoint. A criação do projeto foi nada mais que a forma que encontraram de retribuir.

Você vai gostar de ler:

Grandes nomes da moda como Stella McCartney, YSL, Azzaro, Alexis Mabille, Marni, Kris Van Assche e Paul Smith chegam a vender peças com valor 40% menor do que o das lojas próprias. Uma série delas são produzidas com exclusividade para a loja Merci em Paris.

Tem muita coisa com a pegada Vintage também. Para quem gosta de decoração, pode encontrar peças do Philippe Stark e cadeiras Bugatti, por exemplo. Há uma seleção de tudo o que é vendido ali e existem profissionais que se dedicam a isso com afinco. Os produtos precisam ter história, serem raros…

Depois de ver tudo isso, e comprar se você quiser, por favor pare para tomar um cafezinho.

Leia também:

Uma pausa para o cafezinho no Le Used Book Café

Dentro da loja Merci em Paris você encontra um lugar super aconchegante para tomar um café ou um chá, ler um livro, conversar e descansar. Tem restaurante também, mas o que eu recomendo é o Le Used Book Café (aqui no link tem o cardápio), uma cafeteria entre mais de 10 mil livros.

Você pode ir para fazer um lanche com um amigo, para um almoço rápido antes de continuar a turistar, para descansar das suas compras… Não importa, mas vá. Você pode comprar livros usados ali por 2 euros.

Será que você já viu?

Uma das coisas que eu mais amo em Paris é que tem metrô fácil em todos os cantos. O Le Used Book Café funciona das 10h às 18h. 

Comprar coisas para levar em viagens não é muito o meu forte (a menos que seja café, chocolate e vinho), gosto mesmo é de usar meu dinheiro para experiências. Como muitas delas têm a ver com café, é para compartilhá-las que eu uso esse espaço aqui.

Merci

111, boulevard Beaumarchais, Paris (estações de metrô: Filles du Calvaire, Oberkampf e Saint-Sébastien-Froissart)
hORário de funcionamento: de segunda a sábado, das 10h às 19h30.
Telefone:  01 42 77 79 28

O que achou da loja Merci em Paris? A cidade luz é cheia de atrações incríveis e esse é um dos lugares mais legais que conheci. Você já tem planos de fazer uma viagem para a França em breve? Faça sua pesquisa de passagens e hospedagens diretamente aqui. Tem uma caixinha do Booking logo aqui do lado (se você está lendo pelo computador) ou aqui em baixo (se você está lendo pelo celular). Compartilhe nas suas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. Ah, e comenta aqui se você gostou. Vou adorar saber. 

Fotos: Fernanda Haddad ©