Movimento anti-café é tendência e não tem nada contra o cafezinho

Já ouviu falar do termo anti-café? Não é nada contra beber ou acabar com hábito do cafezinho, não. É uma proposta que surgiu na Rússia e que vem se espalhando pelo mundo. Basicamente, é como se a cafeteria se transformasse em um co-working e te alugasse uma estação de trabalho por um determinado período do dia com os itens do cardápio inclusos à vontade, com cafés de qualidade, chás, pães e bolos, além de Wi-Fi, é claro. Se quiser levar a sua própria comida também, tudo bem. É para se sentir em casa mesmo.

Com o advento e fortalecimento da economia criativa, ainda bem que as cafeterias estão encontrando soluções eficazes para lucrar de forma sustentável e deixar os clientes e trabalhadores remotos à vontade, promovendo um espaço agradável para networking. Quando se trata de anti-café, a forma de consumo é outra e não existe aquele desconforto de se sentir pressionado para fazer o pedido o tempo todo, sabe?

Anti-café no Brasil: onde tem e quanto custa?

Em São Paulo tem o Lemni Café, que fica em Pinheiros e inaugurado em junho deste ano, e em Belo Horizonte tem o Guaja, que abriu as portas em fevereiro deste ano e também oferece espaço para eventos e sala de reunião. Nos dois estabelecimentos, se você precisa ficar só 15 minutos ou o dia todo, vai pagar proporcionalmente, como se fosse uma tarifa de estacionamento.

No Lemni, meia hora custa R$ 12 e você paga mais R$ 3 a cada 15 minutos, sendo que a diária tem o valor máximo de R$ 66 e você tem a opção de pagar só pelo que consumir. Por exemplo, um cafezinho custa R$ 3,50. Já no Guaja, uma hora completa custa R$ 12 e, por dia, o valor pode chegar a R$ 48, sem essa alternativa de pagar só pelo que consumir.

Lemni Café

Rua Simão Álvares, 781, São Paulo | Tel.: (11) 98611-7450

De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h.

Guaja Café

– Av. Afonso Pena, 2881, Belo Horizonte | Tel.: (31) 2127 – 1517

De segunda a quinta-feira, das 8h às 23h30; às sextas, das 8h às 00h30; e sábados, das 9h às 00h30.

Cafeteria de São Paulo oferece diária de café especial e internet

O espaço é lindo e faz a experiência do café ainda mais interessante e inspiradora. O Octavio Café chama a atenção na Avenida Faria Lima, em São Paulo. Não tem exatamente a mesma proposta de anti-café, mas está quase lá! A novidade é que o cliente pode aproveitar melhor o espaço para um dia todo de trabalho com café à vontade.

A proposta do Café do Dia começou em outubro deste ano e funciona assim: você paga R$15,90 e recebe uma caneca para consumir café filtrado à vontade pelo tempo em que permanecer na cafeteria, que tem Wi-Fi gratuito. Cada dia é servido um blend diferente, feito pelos baristas da casa. De acordo com o gerente Jonas Picirillo, a ideia é atrair justamente o público que passa a tarde em trabalhando e fazendo reuniões de lá.

Lembrando que o Café do Dia não é válido nas unidades do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, e nem na do Shopping Eldorado.

Matriz Octavio Café

Av. Brigadeiro Faria Lima, 2996, São Paulo | Tel.: (11) 3074-0110

Horário do Café do Dia: de segunda a sexta-feira, das 7h às 21h.

Estacionamento com manobrista: de segunda a sexta R$26 (período de até 3 horas); finais de semana R$10 a primeira hora, R$10 a segunda hora e R$5 demais horas.

Podemos ficar tranquilos, os cafezinhos estão garantidos. O “anti” do termo anti-café faz oposição aos modelos tradicionais de cafeterias que oferecem Wi-Fi, mas te pressionam para desocupar a cadeira se você não consome nada enquanto trabalha.

O valor pode não ser tão baixo quanto você esperava, mas já colocou na ponta do lápis quanto custa manter uma sala comercial e toda a infra-estrutura necessária para trabalhar com qualidade de vida e bons cafés? Sem contar o Networking, né?

Por aqui, o movimento ainda é tímido, mas o importante é que começou. Sobre os muitos anti-cafés pelo mundo, vamos falar em breve. Conhece algum bacana para compartilhar com a gente? Escreva nos comentários ou use a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo nas redes sociais.

Foto: Pixabay

Um comentário em “Movimento anti-café é tendência e não tem nada contra o cafezinho

  1. Gostei do conteúdo da divulgação, creio que pode ser útil para meu negócio. Seria bom manter uma forma de contato para acompanhar novas informações.

    Acesse tambem nosso site para contatos.
    saudações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *