Atendimento ao cliente

Faz tempo que me sinto incomodado com o atendimento invasivo de alguns estabelecimentos comerciais. Mais de uma vez, caminhando pelos corredores de alguns shoppings centers, observando as vitrines, quase bati de frente com vendedores que pularam de dentro das lojas, como peixes saltando do aquário ou como aqueles vendedores de rua, embora estes últimos estivessem no exercício da função de abordar – e quem vai até este tipo de comércio está ciente disso.

Há uma rede de lojas cujos vendedores usam um vocabulário padronizado em todas as unidades, mesmo em estados diferentes:

  • “Boa tarde fera!” – quando se está sozinho;
  • “Boa tarde casal!” – quando se está acompanhado;
  • “Boa tarde família!” – quando há uma criança junto.

Essa “falsidade” é até tolerável. O problema é que eles o obrigam ao contato físico. Esticam a mão na sua direção, forçando a sinestesia. Já fiz o teste, entrando na loja com as mãos ocupadas. Mas tive que jogar tudo para o lado esquerdo, para que pudesse apertar a mão do rapaz e não deixá-lo constrangido, afinal, ele foi orientado assim – e é fiscalizado, acredito. Quando disse “só vou dar uma olhadinha”, ele ficou numa marcação homem-a-homem, no meu encalço.

No nordeste, há uma loja em que os vendedores ficam sentados. A primeira vista causa estranheza, porém eles o deixam a vontade para fuçar nos produtos e quando você precisa de auxílio é só chama-los. Sinto-me mais confortável assim.

No meu intervalo de almoço vou até uma padoca buscar um expresso com leite. Estou há dias quebrando a cabeça para dar uma sugestão que agilize a vida de quem vai até lá só para tomar @umcafezinho, pois a fila é a mesma de quem foi chamado pela senha e ainda precisa tirar dúvidas sobre as maravilhas que estão no balcão. Por ora, a qualidade do café tem feito valer a pena esperar.

Leia também:

 

Marcelo Lamas é especialista em marketing e negócios, já ministrou cursos de atendimento ao cliente e técnicas de negociação. Foi professor universitário e instrutor do Sebrae. Autor de “Indesmentíveis”.
@marcelolamasbr
marcelolamasbr@gmail.com

Foto: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *