50 cafezinhos

Este é o nosso Papo no Cafezinho número 50. Até aqui foram muitas conversas acerca da nossa bebida preferida, a do dia-a-dia, aquela você pode desgustar nos momentos de prazer, de relaxamento ou até mesmo para ajudar no trabalho – pra combater aquele sono das 14h, no meu caso.

Quando assumi o compromisso para escrever crônicas nesse espaço, com a Fernanda Haddad, a nossa editora, fiz uma lista particular de histórias vivenciadas acerca do café, vendo ali uma garantia de que não me faltaria assunto por algum tempo.

Acontece que nesses 3 anos(!) de parceria com o @umcafezinho não precisei lançar mão do meu acervo. Sabe por quê? A explicação está lá na primeira coluna publicada. Encontrei enquanto relia todas as crônicas, neste período de isolamento social. Lá eu disse que falaria do quotidiano.

Leia também

E é justamente o dia-a-dia que completa todos os caracteres necessários para contar um causo, como se diz aqui no sul: Foi olhando para a mesa da cafeteria de uma livraria, que avistei pela primeira vez a morena de óculos que viria a constituir uma família comigo, depois de uma conversa fiada, ela – a Ingrid – pediu mais um café. Pensei: “Estamos indo bem!”.

Só depois fui descobrir que ela era viciada em café. Pedir mais uma bebida era só uma necessidade dela. Nada tinha a ver com o meu papo furado, e naquela época eu nem tinha um currículo com 50 papos no cafezinho.

Acho que essa pequena história, ainda não tinha contado por aqui. Só escrevo porque tenho convicção de que em algum lugar essa história vai bater, vai arrancar algum sorriso, trazer alguma reflexão, motivar alguém a replicar o acontecido puxando conversa com outrem.

Agradeço a Fernanda pela oportunidade de compartilhamento, a Ingrid que sugeriu que eu me inscrevesse a vaga no site e aos leitores pela companhia em algum desses nossos 50 cafezinhos. Um café é bom. Mas um café acompanhado é bem mais gostoso.

Marcelo Lamas é cronista. Autor de Papo no cafezinho, livro a ser lançado, entre outros.
@marcelolamasbr
marcelolamasbr@gmail.com

Photo by Nathan Dumlao on Unsplash

Que tal um café… E um filme argentino?

Há um bom tempo acompanho os filmes argentinos. Me chama a atenção a quantidade de vezes que as personagens aparecem apreciando um café. Já falei nesse espaço que só tomei bons cafés nas minhas passagens por lá.

Leia também:

O café da quarentena

Adega ou máquina de café?

A vida não é só café

Estou assistindo a um seriado do Netflix, o Barras Bravas (nome original Puerta 7), que trata da paixão das comunidades mais carentes pelo futebol e dos seus conflitos sociais.

Outro dia fiquei com a impressão de ter visto muitas xícaras num episódio só. Assisti novamente e contabilizei cinco cenas com cafés em 40 minutos. Apareceu mais que o mate tradicional que os hermanos sempre carregam consigo.

Avançando a minha maratona, novamente fui surpreendido. Voltei a assistir um outro episódio cafeinado e a frequência aumentou para um café a cada cinco minutos. Lembrando que o seriado é sobre futebol.

Se você chegou sua leitura até aqui imaginando que este cronista daria informação sobre o seu consumo particular de café, não terá essa revelação; pois tanto a Dra. Larissa – a dentista – quanto o cardiologista do autor – o Patrick – já me recomendaram sobre o excesso de consumo de café e nenhum paciente aqui quer ser advertido – novamente.

Só posso dizer a minha média de consumo, assistindo os episódios ou enquanto rascunhava, digitava e editava essa crônica, foi bem maior que uma xícara por ocasião.

Aproveitando que a recomendação é para que fiquemos em casa – quando possível – segue uma breve lista de sugestões de filmes dos nossos vizinhos argentinos (ou em co-produção com eles):

  • O cidadão Ilustre
  • Neve Negra
  • Relatos Selvagens
  • Truman
  • O Clã

Bom filme e bons cafés.

Marcelo Lamas é cronista. Autor de “Papo no cafezinho”, livro em edição final, entre outros.

marcelolamamasbr@gmail.com

@marcelolamasbr

Photo by Adrianna Calvo from Pexels

Viciados em café: guia (com 12 dicas) para a quarentena

Alô, viciados em café. Como está a quarentena por aí? Muitos cafezinhos em casa, né?

Pensando nesse período de isolamento social, separei aqui alguns conteúdos que podem te ajudar a passar esse tempo de forma muito cafeinada, não necessariamente tomando café.

Você pode ler sobre café (livros ou as crônicas aqui do blog!), você pode cuidar da casa usando café, fazer um esfoliante para o rosto, aprender sobre métodos de preparo diferentes, receitas gostosas… São muitas possibilidades.

Confira a lista:

12 dicas para viciados em café em tempos de isolamento social

1 . 18 livros sobre café para apaixonados pela bebida | Para se aprofundar sobre café! (Lá nos Destaques do Instagram, tem mais recomendações de livros, que fui acrescentando aos poucos!)

2 . Esfoliante caseiro com café faz bem? | Para o seu spa day!

3 . Pó de café usado: 5 dicas para reaproveitar | Reaproveitando!

4 . 6 clubes de assinatura de café especial | Pra garantir o café café sem precisar sair!

5 . Qual o melhor moedor de café para ter em casa? | Pra completar seu ritual do cafezinho!

6 . Como fazer um bom café coado? Veja as dicas

7 . Como fazer café na prensa francesa

8 . Como fazer café coado no Hario V60

9 . Como fazer café na cafeteira italiana

10 . Receita de cappuccino cremoso para fazer em casa

11 . 5 sobremesas com café fáceis e deliciosas

12. 5 bebidas com café para fazer em casa

Essa é a nossa seleção de conteúdos para ajudar os viciados em café durante esse período.

Lembre-se que também tem um monte de crônicas cafeinadas para você ler e fazer com que esse tempo passe de forma mais leve e interessante.

Tem muito mais por aqui! Se você não encontrou o que procurava nessa lista para viciados em café em tempos de quarentena, pode fazer uma busca interna aqui no blog ou só comenta aqui, que eu te ajudo a encontrar.

Photo by Nathan Dumlao on Unsplash