Gisele

Há alguns meses comecei a programar minha participação na 64ª Feira do Livro de Porto Alegre. Em meados de junho, cheguei em casa avisando: “Olha, vamos ter somente um dia e meio na feira do livro, teremos que deixar a expedição cafezeira para outra ocasião”. Minha namorada respondeu: “Tudo bem, Marcelo, vamos aproveitar a feira”.

Tenho várias listas no bloco de notas, intituladas com nomes de cidades com um monte de lugares – principalmente cafeterias – a serem explorados oportunamente. A de Porto Alegre era grande. Mas nem fiquei sugerindo nada, já que eu mesmo tinha inventado a regra “foco na feira”.

Leia também:

Na semana passada, dias antes de embarcar para o RS, fui olhar o que estaria acontecendo naquele final de semana, e tive que mudar o discurso, com a namorada: “Eu estava olhando o que fazer lá em Porto Alegre, durante a feira…”. Ela emendou: “Marcelo, não íamos só na feira?”.

Não toquei mais no assunto. Aos poucos fui revelando o novo plano. Chegamos em POA e fomos de mala e cuia (literalmente) direto ao Quiero Café, uma cafeteria que também serve almoço, incluindo uma deliciosa “A la minuta”, prato tradicional do sul do mundo, cujo sabor estava a altura da imagem do cardápio. E o cafezinho espresso – para acompanhar – era cortesia.

Você pode gostar de ler:

Dali fomos direto para a exposição “Museu do futebol na área”, uma amostra itinerante. Para minha sorte, a guria parecia mais interessada do que eu. O numero de fotos que ela fez me convenceu disso.

Depois, cumprimos o roteiro inicial, de banca em banca, fuçando no que nos interessava e vez por outra, colocando mais um volume na mochila. Visitamos uma exposição incrível em homenagem ao Fernando Pessoa, assistimos uma palestra cuja escritora, não parecia a mesma pessoa da foto de divulgação – a gente também envelhece e não percebe. No meio da feira havia um carrinho de pipoca que também servia café moído na hora.

Confira aqui:

No dia seguinte, antes de voltar pra casa, passamos em um shopping em busca de @umcafezinho. Escolhemos o que tinha também uma livraria que nos interessava. Percebemos que a segurança estava reforçada. Havia uma fila enorme de pessoas com livros para autografar. Procurei ver de quem seria a obra. Era o livro da Gisele. Não sei quantas “giseles” você conhece, lá no RS só tem uma. Ela não precisa de sobrenome. Se quiser confirmar, olhe lá no @gisele.

 

Marcelo Lamas é cronista. Autor de “Indesmentíveis”.
@marcelolamas
marcelolamas@gmail.com

Foto: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos:

O que aprendi ao tomar café com americano desconhecido

Eu estava em Milão. Tinha reservado pelo menos 20 dias para ficar num hostel: o Ostello Bello Grande, um dos lugares mais animados da cidade, onde chegam e vão embora pessoas do mundo inteiro, a todo momento. Mas, antes de contar sobre o café com americano, preciso voltar um pouquinho.

Um dias antes, o meu celular havia sido furtado ali dentro, numa das mesas do bar, que é aberto para não hóspedes na hora do famoso aperitivo italiano (o nosso happy hour). Dei bobeira. Ficava tanto tempo ali, ou trabalhando ou confraternizando, que talvez tivesse achado mesmo que estava em casa, literalmente.

Leia também: 

Conferi a câmera de segurança e fiz boletim de ocorrência, prova cabal de que finalmente eu estava conseguindo me comunicar em italiano.

Eu precisava muito do celular para trabalhar, o meu era novinho, 5 meses de uso. Era o momento certo de praticar tudo aquilo que eu vinha lendo nos livros de autoconhecimento. Não queria deixar que sentimentos ruins me tomassem.

Você vai gostar de ler:

E pensei: “Confia, menina. Tudo acontece por uma razão. O que é que você tem a aprender com isso?”.

Me permiti sofrer por 5 minutos e soltei.

No dia seguinte, eu estava sentada trabalhando com o computador na mesma mesa em que o celular foi furtado, no mesmo lugar.

Eis que surge um cara para fazer seu check-in. Ele sentou na minha frente para preencher o formulário, colocou o seu welcome drink de um lado e seu celular de outro. O aparelho era idêntico ao meu, o mesmo modelo.

Leia também:

Ele puxou conversa, perguntando o que eu tava fazendo ali, de onde eu era, etc. Todo mundo fazia cara de espanto quando eu dizia que estava viajando com passagens só de ida, inclusive ele, que é fotógrafo e estava numa jornada parecida.

Dei o alerta:

– Olha só… Fica atento com seu celular. Ontem, levaram o meu aqui nessa mesa.

Eu tinha contado um pouco sobre o meu trabalho, sobre como fazia para trabalhar viajando, e continuei no computador enquanto ele acabava de fazer o check-in no balcão da recepção.

Você vai gostar de ler:

Peguei um café no bar, ele voltou com um café na mão também e me disse:

– Eu imagino que o celular esteja te fazendo muita falta, até pelo seu tipo de trabalho. Eu trouxe um aparelho extra, mais velhinho, de backup. Quer ficar com ele? Eu deixo com você.

Você pode se interessar:

Eu fiquei assustada, achei que não tinha entendido direito. Afinal, quem é que oferece um iPhone para uma pessoa que conheceu há 5 minutos? Ele continuou:

– Eu vou ficar aqui por uns dias e, no máximo, vou visitar a região, tudo aqui perto. Mas, volto e pego o celular. O que acha?

Eu continuei sem resposta, incrédula. E ele:

– Bom, pense aí… Eu vou deixar minha mala no quarto e sair para comer. Quando eu voltar, você me diz.

O celular é importante mesmo para quem trabalha com internet, os meus clientes contavam comigo, tinha entregas a fazer.

Leia também:

Na Europa não existe essa coisa de parcelar em 12x. Eu estava esperando receber de um trabalho e ainda ia ter que enviar o dinheiro da minha conta do Brasil para comprar um aparelho novo.

Aceitei. E fiquei emocionada depois, sozinha. Como é que pode encontrar a solução no mesmo lugar de onde surgiu o problema num intervalo de menos de 24 horas?

O gesto de gentileza desse garoto americano é algo de que nunca mais vou me esquecer. E digo mais: se eu não tivesse ficado no pé dele, ele nem teria voltado para buscar o celular. Aqui aprendi um pouco mais sobre desapego.

E quer saber sobre o que mais aprendi (na prática)? Confia! O universo pode te surpreender entre um café e outro.

 

Fernanda Haddad é idealizadora e editora do projeto @UmCafezinho. Formada em jornalismo, tem uma empresa de conteúdo e estratégia digital. Trabalhou no Grupo Bandeirantes por quase 5 anos, gerenciou o conteúdo do Universo Jatobá nos primeiros 2 anos de portal e trabalhou em outros projetos de Content Marketing para grandes marcas, em startup. Também é locutora e apaixonada por bulldogs e chocolate. Nas horas vagas, toma café, lê, vê um filme ou outro e escreve um pouquinho. Fernanda escreve às terças-feiras.

Foto: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos:

18 livros sobre café para apaixonados pela bebida

Nem todo mundo que gosta de café, trabalha com café e, por isso, o processo de aprendizado sobre a bebida acaba sendo por meio de cursos, de livros, da internet e da vida mesmo, do dia a dia. Esse também é o meu caso e, como já compartilho alguns achados de livros sobre café no Instagram, me veio a ideia de fazer uma lista bacana e bem robusta aqui.

Livros sobre café para coffee lovers (e para presentear apaixonados pela bebida)

Fiz uma pesquisa dos livros sobre café disponíveis no mercado (em português e em inglês) e separei os 18 que acho mais interessantes, seja porque eu já tenho e gosto ou porque quero comprar. Muitos deles são bem lindos e servem, inclusive, para decorar sua sala ou seu cantinho do café.

Esses dias estive numa livraria para comprar um desses livros sobre café para uma amiga e não encontrei. Fiquei super desapontada. Então, já coloquei o link de compra de cada item para facilitar para quem quiser, ok? Vamos lá:

1 . O Livro do Café

Assinado pela especialista Anette Moldvaer, o Livro do Café traz desde a história até características das espécies, informações sobre safra e um roteiro dos maiores produtores do mundo. Para quem quer saber sobre métodos de preparo, ela descreve o passo a passo de vários deles, como: prensa francesa, Aeropress, sifão e espresso, entre outros. Ilustrações não faltam e também mais de 100 receitas quentes ou frias para se deliciar. | Clique aqui para comprar. 

2 . Dicionário Gastronômico. Café com suas receitas

O livro Dicionário Gastronômico. Café com suas receitas é lindo demais e pode decorar a sua casa tranquilamente, mas não só isso: ele trata de lendas antigas e folclóricas sobre a apaixonante história do cafezinho. É daqueles livros que inspiram a gente, sabe?

Se você faz parte do grupo de coffee lovers, então… Não tem jeito de não gostar! O conteúdo é super rico, inclusive de imagens | Clique aqui para comprar

3 . O sonho do café

Que eu sou fã do café illy, não é segredo. Até visitar a sede na Itália eu já fui.  Esse livro fala sobre tudo o que tem numa xícara de café: ciência, cultura, aroma,  lugares maravilhosos, história, arte, viagens, paixão e muito trabalho. Aqui no blog, eu falo de tudo isso e talvez seja esse o motivo  da minha identificação com a marca. Andrea Illy compartilha a trajetória da sua família e da sua empresa rumo à concretização do sonho de seu avô Francesco quando criou a marca: oferecer ao mundo o melhor café. Clique aqui para comprar

4 . Eu Amo Café – Mais de 100 Bebidas Com Café Deliciosas e Fáceis de Fazer

A autora e especialista Susan Zimmer compartilha dicas e técnicas para preparar o cafezinho perfeito em casa e muito mais. Ela fala da história do café no Brasil, da família d’Orvilliers, da politica café-com-leite, da queda da bolsa em 1929, dos tipos de cafés, das técnicas de preparação e traz também dicas de moagem dos grãos, além de receitas, inclusive com sobremesas e drinks com café. No livro Eu amo Café, também encontramos informações sobre as principais regiões brasileiras produtoras e sobre como é feito o controle de qualidade do café. | Clique aqui para comprar

5 . Café com Design. A Arte de Beber Café

Esse livro é para quem ama café, mas não só isso. É para quem ama também arte, arquitetura, design e novas tecnologias. Eu adoro falar aqui sobre as cafeterias históricas que já visitei, adoro trabalhar em cafeterias pelo mundo, e justamente por isso adorei essa ideia. O livro traz à tona esse conceito do café como agregador. Fala do café e fala também dos espaços dedicados a ele. O café é um motivo para as pessoas se encontrarem, se reunirem, trocarem ideias e as cafeterias são espaços perfeitos de socialização que estão acompanhando o avanço tecnológico. | Clique aqui para comprar

6 . Chefs: Café

Neste livro, você encontra receitas criativas de 28 dos melhores chefs de cozinha, que ensinam que o café é também um dos melhores temperos. Você vai entender sobre o que é um bom café, sobre a safra, sobre a escolha do melhor produto e, claro, sobre o preparo em casa. Nele, tem história também e as transformações motivadas pelo café em diferentes lugares do mundo. (Grande e de capa dura, é lindo para deixar exposto na sala). | Clique aqui para comprar

7 . Coffee Love: Café Design & Stories

Esse livro está em pré-lançamento na Amazon do Brasil no dia de publicação desse artigo, mas achei muito interessante a proposta do autor. Só tem em inglês por enquanto e fala da cultura do café desde o passado até os dias de hoje em todo o mundo. De acordo com o autor, os locais de consumo de café são indispensáveis na vida urbana em cada canto do planeta, com designs e estilos para todos os gostos, do minimalista ao extravagante. | Clique aqui para comprar

8 . Receitas com café… Bem simples

Esse é excelente para quem gosta de receitas diferentes e de testes na cozinha usando todos os tipos de café na culinária. Tem receitas de bolos, docinhos, biscoitos, sobremesas, drinks e até opções light. Algumas mostram, inclusive, como usar o café no preparo de carnes. As receitas fazem uso de todos os tipos de café: café pronto, essência, em pó, granulado e licores de café. Boa dica para quem gosta de surpreender a família ou receber amigos com algo diferente. | Clique aqui para comprar

9 . Guia do Barista

Esse é o novo Guia do Barista, que foi lançado recentemente e já falei sobre ele aqui no blog. A primeira edição foi lançada em 2007 e essa já é a quinta, com a proposta de abordar todos os temas referentes ao café para baristas e entusiastas. As informações vão desde a produção de café até a preparação da bebida perfeita, com dicas e receitas de drinques à base de café. Nesta edição, o capítulo sobre torra de café tem novidades. | Clique aqui para comprar

10 . The New Rules of Coffee

A tradução do título é: As novas regras do café. Esse é um guia (em inglês) bem ilustrado para apreciadores de café, com dicas práticas de como armazenar e servir e também de torrefação.

O livro traz fatos, folclore e cultura popular sobre café em todo o mundo e foi escrito pelos fundadores e editores do Sprudge, um blog americano que fala apenas sobre café desde 2009. O conteúdo do blog é excelente, fica mais uma dica. | Clique aqui para comprar

11 . Louco por Café. Antonello Monardo

O livro Louco por Café traz um conteúdo rico e bem ilustrado, com fotos e receitas exclusivas e surpreendentes preparadas pelo próprio Antonello Monardo.

Ele é da região da Calábria, no sul da Itália, e fez do café a sua missão de vida, que começou essencialmente pelo seu avô, Domenico, no século passado. | Clique aqui para comprar

12 . Where to drink coffee

Se você acompanha o blog por aqui ou pelas redes sociais, já deve ter visto esse livro (em inglês). É um guia feito pelos 150 melhores baristas e especialistas em café do mundo. Eles compartilham 600 lugares em 50 países para tomarmos os melhores cafés, como cafeterias, padarias e restaurantes e até alguns locais mais inusitados, como uma locadora e uma loja de automóveis.  Ideal para quem gosta muito de viajar e sempre tá pensando no café. Vou estrear na minha próxima viagem. | Clique aqui para comprar

13 . APAIXONADOS POR CAFé

Esse livro é um dos que eu mais vejo por aí. Apaixonados por café traz segredos dos baristas de vários lugares do mundo para fazer bons cafés em casa.

Ele é super bem ilustrado e tem dicas muito legais, inclusive de decoração do seu café usando moldes, free pour, calda e até escultura 3D com espuma.  | Clique aqui para comprar

14 . Craft Coffee: A Manual: Brewing a Better Cup at Home 

Um manual escrito por um entusiasta do café para os entusiastas do café, com várias dicas em vários métodos (em inglês). A ideia do autor é falar com quem não é profissional, mas deseja fazer um bom café em casa sem complicação.

A proposta é justamente simplificar para quem gosta de café, mas não sabe por onde começar, especialmente de uns tempos pra cá, com o crescente interesse sobre o mundo dos cafés especiais. | Clique aqui para comprar

15 . The World Atlas of Coffee: From Beans to Brewing – Coffees Explored, Explained and Enjoyed

Outro livro lindo que só achei em inglês: o Atlas Mundial do CaféPlantas do gênero Coffea são cultivadas em mais de 70 países, principalmente na América Latina equatorial, sudeste da Ásia e África. Para alguns países, incluindo a República Centro-Africana, Colômbia, Etiópia e Honduras, o café é o carro-chefe da economia. O livro mostra tudo, do pé de café até a xícara, com conteúdo organizado por continente e depois por país ou região. Acho esse deslumbrante! | Clique aqui para comprar

16 . Brew: Better Coffee at Home

Brew (em inglês) é outra opção de livro para entusiastas que querem aprender a fazer um bom café em casa e não para profissionais. 

O autor é especialista em café e quer desmistificar o café especial, ensinando de forma simples a comprar os melhores grãos e equipamentos, além de técnicas básicas para preparar o café coado, na prensa francesa ou na cafeteira italiana, por exemplo. Ele complementa com receitas de bebidas e drinks à base de café. | Clique aqui para comprar

17 . Coffee: A Global History

No livro Café: uma história global (em inglês), Jonathan Morris explica como o mundo adquiriu o gosto pelo café e por que a bebida tem um gosto tão particular cada lugar. Ele fala da história do café, dos personagens importantes que tomavam café, do por que, como e onde o faziam. Ele traz também conteúdo sobre as regiões e as formas de cultivo, as fazendas, o processamento, o comércio e a logística, além de receitas e de explorar o universo de corretores, torrefadores e fabricantes de máquinas, com imagens, histórias e fatos surpreendentes. | Clique aqui para comprar

18 . História do café

O último, em português, traz a história do café desde sua descoberta, contada por uma historiadora com elegância e bom humor. Ana Luiza Martins analisa também como o café no Brasil se tornou um marco e parte da história. Mais do que uma atitude simpática de bom anfitrião, oferecer um café é proporcionar uma das mais prestigiosas formas de convívio social. Esse aqui é para todos os coffee lovers que gostam de história e querem entender como tudo começou por aqui. Vale fazer um café para começar bem essa leitura, hein! | Clique aqui para comprar

Isso é o que eu chamo de viajar sem sair de casa. E aí, o que achou dessas opções de livros sobre café? Quais você quer e quais daria de presente para aquele amigo viciado na bebida? Conte aqui e compartilhe usando a hashtag #umcafezinhopelomundo. 

Foto de destaque: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos: