Café descafeinado: como são os processos?

O café descafeinado é uma ótima saída para matar a vontade de mais uma xícara tarde da noite. Mas você já parou para pensar como são os processos utilizados para realizar esse feito? 

A cafeína é a responsável por nos dar aquela energia extra, mas, em excesso, pode causar ansiedade, insônia, tremores musculares e taquicardia.

Para quem deseja diminuir o consumo de cafeína durante o dia (ou durante a noite), sem abrir mão do seu cafezinho, pode recorrer ao café descafeinado.

Continue a leitura e você vai conhecer como são os processos para tirar a cafeína dos grãos e saber também sobre sua eficácia e segurança.

Leia também:

A história do café descafeinado

O café descafeinado surgiu por acidente. Foi em 1903, quando uma carga de café foi inundada pela água do mar, fazendo com que a cafeína dos grãos fosse liberada em um processo de dissolução química.

O alemão Ludwig Roselius, chefe da empresa Kaffee HAG, iniciou, então, um estudo para reproduzir o processo através de um método industrial.

Roselius cozinhou os grãos com vários ácidos até usar o solvente de benzeno e atingir seu objetivo.

Algum tempo depois, descobriu-se que o benzeno era um possível agente cancerígeno e novos processos precisaram ser desenvolvidos e implementados.

Foto Jeffrey Wegrzyn/ Unsplash

Processos atuais para o café descafeinado

Hoje em dia, pode-se dizer que existem vários processos para se chegar ao café descafeinado. E eles são absolutamente saudáveis e seguros…

Confira a seguir 4 processos:

1 . Solventes

Como em todos os métodos, aqui a cafeína é retirada dos grãos verdes, ou seja, antes da torra.

O café é embebido de água e depois fica de molho em um solvente, que pode ser o cloreto de metileno ou o acetado de etila. Essas substâncias se ligam às moléculas de cafeínas extraindo-as dos grãos.

Como o solvente nunca é completamente removido do café, seu sabor sofre uma pequena alteração, mas isso não compromete a segurança da bebida.

Os solventes utilizados são aprovados pela FDA (The Food and Drug Administration), a agência federal americana que regula remédios e alimentos.

Foto: The Lazy Artist GalleryPexels

2 . Método suíço

O segundo é o método suíco, que foi criado na década de 30 e foi o primeiro a não utilizar solventes. 

Os grãos ficam de molho em água, fazendo com que a cafeína se dilua e as moléculas de sabor boiem. 

A solução, então, passa por um filtro de carvão ativado que retém só a cafeína.

Em seguida, a água é devolvida aos grãos, que reabsorvem as moléculas de sabor.

Foto: Karolina Grabowska / Pexels

3 . Solução saturada

A solução saturada para o processo no café descafeinado é uma adaptação do método suíço.

Basicamente, os grãos são mergulhados em água quente cheia das substâncias químicas do café, menos a cafeína.

Como a solução está saturada com os mesmos compostos dos grãos, as moléculas de sabor não são absorvidas pela água, só a cafeína. Dessa forma, ela é dissolvida e, depois, descartada.

Foto cottonbro / Pexels

4 . Dióxido de carbono

O quarto método é o de Dioxido de carbono. Funciona assim: os grãos são embebidos e amolecidos em água.

Aí, eles são colocados em uma caldeira de alta pressão para a injeção de gás carbônico. O gás se liga às moléculas de cafeína, extraindo-as dos grãos.

O gás, enfim, é retirado e a pressão é reduzida. Depois disso, a cafeína é armazenada em uma câmara separada.

Como as moléculas com o sabor do café são maiores, elas são preservadas. A desvantagem desse processo, porém, é o seu alto custo.

Foto: Elle Hughes / Pexels

O café descafeínado é completamente livre de cafeína?

Mesmo com todos esses métodos para retirar a cafeína do café, é fato que nenhum deles consegue tornar a bebida completamente descafeinada.

Um café descafeinado tem cerca de 97% menos cafeína do que uma xícara comum. Ou seja, QUASEEEE…

Agora você já sabe como é feito o café descafeinado e conhece os vários processos existentes para isso. Se esse conteúdo foi útil para você, compartilhe. Talvez ele seja útil também para aquele seu amigo que ama tomar um cafezinho antes de dormir.

Marcia Kamijo é jornalista, feminista, amante de bons cafés, cinema, TV e cachorros.

Foto de Destaque: Coffee with Joshua / Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *