Fazenda Santa Alina: uma experiência única no cafezal

A Fazenda Santa Alina fica em São Sebastião da Grama, no Estado de São Paulo, próxima a Poços de Caldas, no Sul de Minas Gerais. A convite do Suplicy Cafés Especiais, fui passar dois dias lá e viver uma experiência incrível em uma fazenda de café.

História da Fazenda Santa Alina

A história da Fazenda Santa Alina começou em 1907, com o bisavô da Tuca Dias, que faz parte da  4° geração da família e é quem cuida da propriedade hoje em dia, junto com tantas outras pessoas maravilhosas. Desde o início, a Santa Alina é uma fazenda de café, porém o cultivo foi sendo aprimorado com o passar dos anos e hoje é uma referência na produção de café de qualidade. São 239 hectares cultivados a 1.100 metros de altitude.

Na fazenda com Suplicy Cafés Especiais

Chegamos à Fazenda Santa Alina numa quinta-feira (28 de junho), no final do dia, sem saber o que aconteceria nos próximos dias. Essa, aliás, é a principal característica da nossa viagem e também de quem visita a Fazenda: não existe um roteiro e a Tuca sabe surpreender como ninguém.

Dedicar parte do meu tempo a um hobby como o café me traz experiências incríveis como essa dos últimos dias na Fazenda Santa Alina. Depois de uma hora e meia de colheita ontem, hoje separamos o café, entendemos e praticamos a secagem, conhecemos uma fazenda produtora de azeite (com sabonetes maravilhosos) e ainda almoçamos no meio da natureza. A verdade é que não dá vontade de ir embora! Esses dias ocorreram sem roteiro, tudo era surpresa, assim como a vida! Agradeço à @tucadias e toda a equipe da Fazenda Santa Alina e também ao @suplicycafes pelos lindos dias de tanto aprendizado. (Tem mais nos Stories e logo vou escrever um artigo no blog porque todo mundo pode conhecer esse paraíso) ☕️❤️ #umcafezinhopelomundo . . . . #suplicycafes #coffeelovers #coffeelife #coffeetime #cappuccinoecia #coffeeexperience #cafezinho #cafestagram ▶️ Primeira foto: 📸 @cappuccinoecia

Uma publicação compartilhada por umcafezinho.com.br 🇧🇷 (@umcafezinho) em

Quinta-feira, 28 de junho de 2018

Deixamos as malas nos quartos e nos pediram para escrever numa tag o nome de 4 pessoas da nossa família de diferentes gerações. Seguimos andando, com lanternas presas à cabeça, rumo à primeira atividade: um plantio de árvores noturno. As diversas mudas já nos esperavam ao lado dos buracos e a ideia era colocar a mão na terra mesmo (como é bom!). Depois de plantar, cada um colocou sua tag na muda. Estava ali, então, uma singela homenagem aos nossos ancestrais.

Em seguida, pegamos carona com um tratorzinho da Fazenda e ele nos deixou na frente da Capela. Tuca nos contou um pouco da história e nos convidou para entrar e fazer um agradecimento. Quando acenderam a luz, supresa! Nos prepararam um lindo jantar ali mesmo, dentro da capela.

Jantar dentro da capela na Fazenda Santa Alina. Foto: Cappuccino e Cia.

Eram três mesas de 4 pessoas. A ideia era escolher jantar com pessoas que não fossem conhecidas. Já sentados, as mãos de cada 4 participantes foram amarradas entre si com uma fita e, assim, deveriam se servir em um buffet ao lado e jantar.

E mais: uma pessoa de cada mesa deveria passar pela experiência com os olhos vendados. Eu me candidatei para ser vendada e foi uma das experiências mais incríveis que já tive. Um exercício e tanto de solidariedade e confiança no próximo.

Sexta-feira, 29 de junho de 2018

No dia seguinte, acordamos e fomos tomar café da manhã no curral, mais uma surpresa da Tuca e dos colaboradores da Fazenda.

O cafezinho passado na hora e os quitutes da Lúcia (não sei descrever o quanto ela cozinha bem!) ajudam qualquer pessoa a acordar de bom humor. Queijo, geleia, manteiga, pão com castanha, biscoito de polvilho. Apenas imagine! Precisávamos de energia para o que viria em seguida: a colheita do café.

Duplas foram sorteadas, equipamentos de segurança distribuídos e colocados. Seguimos para o cafezal. Colhemos café por uma hora e meia, sem descanso. No final, tomamos um lanche ali, na sombra, com as mãos sujas de terra e tudo. Confesso que a experiência mudou o gostinho do meu café na xícara para sempre.

Na hora da colheita do café. Foto: Tuca Dias

Leia também:

O resto do dia foi de descanso e, na hora do jantar, mais uma supresa: churrasco, caldinho de feijão, fogueira e cinema ao ar livre, com sofás, cobertinhas e um espaço na grama e cheio de almofadas. Terminamos o dia assistindo ao vídeo que a Tuca fez durante a nossa experiência na colheita, além de outros que contavam a história da Fazenda Santa Alina e dos seus colaboradores.

Cinema ao ar livre. Foto: Fernanda Haddad

Sábado, 30 de junho de 2018

No último dia, o café da manhã foi no jardim da casa. Para tornar a experiência ainda mais completa, fomos conhecer a estrutura do beneficiamento do café e também da secagem. Separamos o café que colhemos à mão e passamos o rastelo no café que secava no terreiro.

Café da manhã na varanda da casa. Foto: Fernanda Haddad

A próxima surpresa foi uma visita na Fazenda Irarema, produtora de um dos melhores azeites do mundo, premiado em Nova York. Eles têm uma estrutura super preparada para receber visitantes e grupos, com um espaço para degustar e comprar azeites, além da Lili Doces Gourmet, uma cafeteria, e também uma loja de sabonetes 100% naturais. Comprei um esfoliante de café, claro.

Voltamos para almoçar na Fazenda Santa Alina, onde mais uma surpresa nos aguardava, antes de ir embora: um almoço ao ar livre. Eles montaram tudo literalmente no meio da natureza. O tempo todo ouvíamos o som da água corrente, que passava em baixo da mesa.

Almoço de despedida. Foto: Fernanda Haddad

Visite a Fazenda Santa Alina

Telefone: (35) 3714-1256
E-mail: tucadias10@gmail.com.br

Visitar um lugar como a Fazenda Santa Alina faz com que qualquer pessoa saia de lá diferente, transformada para melhor. Isso porque é fácil de perceber que todos que vivem ali são uma grande família, que zelam pelo bem comum.

É bem verdade que todo amor pelo ser humano e pela natureza chega ao café. Nunca mais vou tomar café do mesmo jeito.

Clique aqui e confira a experiência da minha amiga Litiene, do blog Cappuccino e Cia, que também estava no grupo.

O que achou dessa experiência na Fazenda Santa Alina? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe com seus amigos pelas redes sociais usando hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.  

Foto de destaque: Fernanda Haddad©

Compartilhe com seus amigos:

4 comentários em “Fazenda Santa Alina: uma experiência única no cafezal

    1. Oi, Mariane, tudo bem? Aí no texto tem os contatos lá da Fazenda se você quiser visitar, passar um final de semana. Outra dica é ficar de olho no blog Cappuccino e Cia (www.cappuccinoecia.com.br) porque sempre organizam passeios para fazendas de café. Quem sabe não surge um para lá e você pode ir junto. Espero ter te ajudado. Obrigada pela mensagem e bons cafés para você. Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *