Café Europa em Copenhagen e o brunch nórdico

Café Europa em Copenhagen foi fundado em 1989 e fica em frente à Stork Fountain (fonte com 3 cegonhas em posição prestes abater voo, dada de presente de bodas de prata ao, na época Príncipe Frederik – depois Frederik VIII e Princesa Louise em 1894; e que, como tradição, recém-formadas parteiras dançam em sua volta).

Tem uma aparência de hotel, com balcão de PUB, mas mesas de café. Tem mesinhas no lado de fora também, cobertas pelos grandes e quadrados guarda-sóis (-chuvas, no caso de Copenhagen), tão comuns na Europa.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Café | Informação | Lifestyle (@umcafezinho) em

Sentei encostada na janela (claro) e lá fui eu ler os cardápios: o de brunch, o de café-da-manhã e o de bebidas. Fiquei curiosa pelo Nordisk Brunch, mas imaginei ser hiper grande e pedi o simples pão com queijo mesmo + 1 cappuccino. Eis que, dois caras (gatos, claro) sentam na mesa ao lado e seus brunches chegam, eu vejo que são grandes, mas não hiper, e vou correndo pedir para a garçonete trocar meu pedido.

O brunch nórdico do Café Europa em Copenhagen, na Dinamarca

  1. Skyr com farelos torrados de pão de centeio e xarope de maçã. *Skyr é um iogurte da Islândia maravilhoso, rico em proteínas e com pouca gordura e açúcar / pão de centeio é o comum aqui na Dinamarca e os farelos estavam bem pequeninos e em cima, lembrando até uma granola.
  2. Mini omelete com bacon defumado, cogumelos Karl Johan & groselhas;
  3. Cachorro-quente nórdico com mostarda e cebolas caramelizadas;
  4. Salmão defumado com cream-cheese defumado e bolacha crocante de centeio;
  5. Torrada Skagen: uma entrada típica da Suécia que consiste em camarões com maionese em cima de um pão na chapa + caviar Kalix bleak;
  6. Fatia de pão de centeio e outra de pão branco com cream-cheese e ervas;
  7. Queijo Unika (linha premium de queijo artesanal Dinamarquês) + Sæter rømme (creme azedo Norueguês) com compota de cloudberry (é uma frutinha de regiões geladas que não achei tradução para o português. Apesar do Google traduzir para amora-preta, não tem absolutamente nada a ver). O quadradinho marrom em cima do queijo é uma gelatina de gordura animal (em dinamarquês: sky), que nenhuma garçonete conseguiu me explicar direito (achei que faltou vontade também).

Leia também:

Em geral, o Brunch Nórdico tinha um pouco de cada cultura Escandinava. O café espresso é de qualidade, mas nada de especial.

O preço? Salgadinho: custou 400 coroas dinamarquesas (por volta de R$ 250), mas a experiência foi bem instrutiva e interessante!

Where to Drink Coffee | Onde tomar café

O Café Europa em Copenhagen é uma das sugestões do livro Where to Drink Coffee. A publicação é como um guia pelas cafeterias do mundo todo, feito pelos 150 melhores baristas e especialistas.

São 600 endereços para tomar café em 50 países, com dicas e tudo mais. A melhor descoberta para quem ama café, inclusive para dar de presente. O livro é em inglês, mas tem na Amazon do Brasil e o link já está aqui para quem quiser comprar.

Fernanda Rodante é formada em Direito e Gastronomia; sua independência a fez mudar da cidade onde nasceu para o mundo; e seu exagero sagitariano transforma todos seus interesses em paixão, como escrever, compartilhar e conhecer. Enxerga a vida como uma coleção de momentos e um de seus sonhos é montar o seu próprio Café, mas enquanto isto não acontece, ela vai estudando da melhor maneira possível: explorando! 

Lembra que temos também o Booking.com direto aqui no blog para você pesquisar passagens e hospedagens? A caixinha está aqui no canto direito, se você está lendo pelo blog, ou aqui em baixo, se você está lendo pelo celular.

O que achou do Café Europa em Copenhagen, na Dinamarca? Comente aqui e compartilhe com os amigos pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Fotos: Fernanda Rodante | umcafezinho.com.br ©

Coffee Design Lavazza: a loja conceito da marca, em Milão

Hoje eu vou dividir com vocês um pouco sobre um dos meus lugares favoritos para tomar café em Milão: Coffee Design Lavazza. Essa é a loja conceito da marca italiana, que abriu há um ano mais ou menos. Quando estive lá em 2016, o lugar abrigava uma loja de produtos de decoração e design. Aí, voltei em novembro de 2017 e me deparei com um espaço todo repaginado com cheirinho de café, melhor impossível!

O que você vai encontrar no Coffee Design Lavazza?

Desde que conheci o Coffee Design Lavazza era raro o dia em que não passava lá pelo menos para o espresso ou para encontrar amigos brasileiros que moravam ou estavam de passagem pela cidade. Primeiro porque ele fica muito pertinho da Duomo, da Galeria Vittorio Emanuele, do Teatro La Escala, do famoso panzerotto do Luini, que é uma massa de pizza frita ou assada com vários recheios (faz fila e sou viciada), e também do Cioccolatitaliani, uma boa parada para o gelato ou café. Ou seja: todo mundo que vai pra Milão passa ali perto inevitavelmente.

O Coffee Design Lavazza tem muito de café e muito de design. Além do espaço para aproveitar qualquer refeição, tem uma parte dedicada à torra e moagem de grãos de vários países, inclusive do Brasil, e também o balcão para quem passa rapidamente para o café. (Dica: pedir o café no balcão é sempre mais barato na Itália. Se quiser economizar, é só pedir o cafezinho e tomar em pé mesmo).

Você vai gostar de ler:

Para quem gosta de métodos de extração diferentes, tem também e o atendimento é muito bom. Eles estão preparados para explicar tudinho sobre cada item do cardápio com a maior gentileza possível. Ah: a máquina de latte art é sensacional. Cada cappuccino vem com um desenho diferente. Perdi as contas de quantos tomei.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Café | Informação | Lifestyle (@umcafezinho) em

A verdade é que virei uma master cliente, tanto que cheguei a encontrar por lá muita gente para quem recomendei, sem querer. Já não vejo a hora de voltar!

Coffee Design Lavazza Milano

Piazza san fedele, 2, milão
Horário: de segunda a quarta, das 8h às 20h30; quintas e sextas, das 8h às 21h; sábados e domingos, das 9h às 21h.

O que achou do Coffee Design Lavazza, em Milão? Comente aqui e compartilhe nas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

>>>> Ah! Para você que vai pra Itália e quer procurar passagens, hospedagens e alugar carro, tem a caixinha do Booking.com aqui no blog (no canto direito pra quem tá vendo pelo computador e aqui em baixo do post para quem está vendo pelo celular). Facilita sua vida e você ajuda o blog a continuar trazendo informações bacanas de cafés e cafeterias pelo mundo.   

Foto de destaque: Divulgação | Instagram: umcafezinho.com.br ©

A mão boa

Já falei neste espaço que diariamente passo na padaria depois do expediente. O lugar é famoso pelo pão ciabatta, mas ali também é servido o melhor espresso da cidade, na minha opinião.

O dono do lugar é o tio Carlinhos. Ele não é meu tio, nem de ninguém que eu conheça, mas o seu jeito simpático fez a alcunha se espalhar entre os frequentadores da padaria, que sempre ocupam as mesmas mesas, lugares e horários, coisa de cidade pequena. Os atenciosos atendentes já sabem os nomes dos clientes, no meu caso, colocam o nome da minha namorada na comanda, mesmo quando estou sozinho.

Antes de ser um cafeólatra – e cronista do @umcafezinho – jamais acreditaria no que vou dizer: poderia estar vendado e mesmo assim saberia quando fora o tio Carlinhos que tirara o café da máquina.

No começo da semana, estive com uma tosse que não passava. Como bom brasileiro optei primeiro pela automedicação com xarope fitoterápico que curava todo tipo de doença – inclusive o mau hálito e dentre os seus muitos ingredientes tinha limão bravo, sucupira e assa peixe na fórmula. Como a tosse insistia fui ao hospital (medicação na veia, nebulização, raio X) e sai de lá com uma lista de remédios para tomar por alguns dias.

Ontem, quando estava saindo da padoca do tio Carlinhos, dei uma tossida e ele sensibilizado me entregou um bilhetinho com uma receita caseira: beterraba + cebola roxa + açúcar.

O médico tinha recomendado evitar tomar qualquer xarope, porque poderia estimular a tosse. Só que a minha crença foi maior no bilhete que passou pela mão do Carlinhos do que na alopatia receitada.

A tosse passou. Nunca saberei quem contribuiu mais. Talvez tenham sido os 8 espressos do Carlinhos que tomei nos últimos dias.

Cápsula de @UmCafezinho:

“A única maneira de se conservar a saúde é comer o que não se quer, beber o que não se gosta e fazer aquilo que se preferiria não fazer”.
Mark Twain

Leia também: 

 

Marcelo Lamas é cronista. Autor de “Indesmentiveis”.
@marcelolamasbr
marcelolamasbr@gmail.com

Foto: Tom Holmes / Unsplash

Dia Internacional do Café: ao café, com amor

No Brasil, o Dia Nacional do Café é comemorado em 24 de maio. Nos Estados Unidos é 29 de setembro. Cada país tem o seu dia do café.  Para unir as celebrações pelo mundo, a Organização Internacional do Café definiu o dia 1 de outubro para comemorar com seus membros de todo o planeta o Dia Internacional do Café (#InternationalCoffeeDay). Neste ano, a campanha chama a atenção para a importância das mulheres em qualquer parte da cadeia do café.

Em seguida, compartilho com você a minha cartinha ao café:

Ao café, com amor

Você faz todo bate-papo ficar mais interessante, seja com um velho amigo ou um amigo novo.
Você une as pessoas. Até mesmo aquelas que não gostam de você participam do momento.
Você é meu maior companheiro nos momentos necessários de pausa e solitute.
Você me lembra diariamente da importância de ter momentos de descanso no meio do dia.
Você me dá energia. Depois dos nossos encontros, fico revitalizada.
Gosto de ler na sua companhia. Para escrever, você me ajuda a ter inspiração.

Você é o primeiro pensamento do meu dia e talvez seja o último também porque já durmo pensando no café da manhã. Carlos Drummond de Andrade disse que isso é amor. Bem, se for assim… Eu te amo. Parabéns pelo seu dia e que tenhamos muitos desses para comemorar juntos!

Leia também: 

Vamos tomar um cafezinho?

Um dia eu me perguntei: o que eu faria da vida se não precisasse nunca mais me preocupar com dinheiro? Esse questionamento ainda existe e foi através dele que eu resolvi abrir o @umcafezinho no Instagram para compartilhar com o mundo todo aqueles lugares onde eu ia tomar café, todos os cafés que tomo em casa. Falei um pouco mais sobre isso aqui.

Foto: umcafezinho.com.br ©

Como você vai comemorar o Dia Internacional do Café (#InternationalCoffeeDay)? Conte nos comentários. Gostou da minha cartinha ao café? Quero saber a sua opinião. Mais novidades sobre o dia de hoje, acompanhe pelo Instagram @umcafezinho. Espero vocês!

Foto de destaque: Depositphotos

Tomar café todo dia faz mal? Descubra

Eis uma pergunta comum por aí: tomar café todo dia faz mal? Será? O cafezinho faz parte da história e da cultura do Brasil, difícil encontrar uma mesa sem ele em algum momento do dia. Não à toa, a bebida é a segunda mais consumida do mundo, só perde para a água. MAS, vamos ao que interessa: faz mal ou não?

Especialista responde: tomar café todo dia faz mal?

O composto que pode fazer mal é a cafeína, dependendo do organismo e da quantidade de café ingerida por dia. Quando consumida em equilíbrio, a cafeína pode trazer vários benefícios para a saúde.“O consumo seguro de cafeína para adultos que não possuem sensibilidade à substância é de 400 mg por dia, o que equivale a mais ou menos três xícaras de 150 ml café”, indica a Dra. Renata Domingues, médica especializada em Nutrologia, responsável pela Clínica Adah e vice-presidente da Associação Brasileira de Nutrologia Médica (Abranutro).

Você vai gostar de ler:

Quando a quantidade ingerida por dia não é excessiva, o café pode trazer uma série de vantagens saudáveis. Confira quais são elas:

Benefícios do café para a saúde

1 . Ajuda na prevenção do câncer

“Alguns estudos sugerem que o consumo diário de café ajuda a prevenir vários tipos de tumor, incluindo o câncer de mamas, de intestino, próstata, ovários e fígado”, diz Renata.

2 . Melhora a visão

“O café pode ajudar a prevenir a deterioração da visão e a afastar uma possível cegueira causada devido a fatores como envelhecimento e diabetes. Porém, estes dados ainda estão sendo estudados”, pondera.

3 . Contribui para a perda de peso

“A cafeína tem uma ação termogênica, aumentando o gasto calórico e contribuindo para a queima de gordura, além de auxiliar no aumento da massa muscular e na melhora do desempenho físico durante exercícios de alta intensidade”.

4 . Ajuda a combater inflamações

“Apesar de ainda estarem sendo realizadas pesquisas sobre o assunto, pode-se dizer que a cafeína auxilia na regulação e redução de inflamações”.

5 . Faz bem para o coração

“Uma pesquisa brasileira associou o consumo moderado da bebida a um menor risco de problemas cardiovasculares. Isso porque o grão é rico em polifenóis, que são compostos antioxidantes com ação protetora e que ajuda a prevenir várias doenças crônicas”.

6 . Reduz o risco de AVC

“O efeito antioxidante também ajuda a diminuir o acúmulo de gorduras saturadas e a reduzir a resistência à insulina, o que pode minimizar o risco de AVC”.

Leia também:

Algumas dicas de cuidados e possíveis substituições

Renata não recomenda tomar café junto com medicamentos antidepressivos ou para acompanhar cigarro porque pode causar fortes dores de cabeça e elevar a pressão arterial. Pessoas com casos de refluxo e gastrite também devem evitar a bebida. “Opte pelo café orgânico e evite adicionar leite, creme de leite, chantili ou muito açúcar”, reforça. Segundo ela, é possível fazer trocas saudáveis usando gotas de leite desnatado e estévia ou açúcar mascavo para adoçar.

Tomar café todo dia faz mal? Agora você já sabe a resposta. E lembre-se: qualquer dúvida sobre saúde, consulte um profissional da sua confiança e tenha cuidado com o que lê e com o que acredita pela internet. Esse conteúdo não substitui a consulta médica. Se gostou, comente e compartilhe. 

Foto: Crystal Shaw on Unsplash

Novo Guia do Barista traz tendências a baristas e entusiastas

A 5ª edição do “Guia do Barista: da Origem do Café ao Espresso Perfeito” acaba de chegar às livrarias, cafeterias e revistarias do Brasil. A primeira edição foi lançada em 2007 e a proposta é abordar temas referentes à preparação de espresso, além de ter informações sobre a produção da bebida, dicas e demonstração de drinques à base de café.

Nesta edição, o leitor encontra novidades no capítulo sobre torra, apresentando questões como: características dos graus de torra, resfriamento, embalagens, variáveis, torradores, radiação, entre outros. O livro, que é voltado ao novo profissional do café e aos entusiastas, também traz novas imagens, dados atualizados e tendências.

Além de mostrar o crescimento do mercado interno da bebida, é possível encontrar  conteúdo sobre cafés de diferentes regiões do mundo, produção mundial e métodos de preparo.

Leia também:

O autor, Edgard Bressani, é formado em Direito, Administração e Marketing e cafeólogo pelo Coffee Consulate de Mannheim, Alemanha. Sócio da Exportadora Capricornio Coffees e do Bravo Café, foi o primeiro juiz brasileiro a julgar um Campeonato Mundial de Barista, além de presidir a Associação Brasileira de Café e Barista (ACBB) por dois mandatos e ser conselheiro da World Coffee Events (WCE).

Guia do Barista: Da Origem do Café ao Espresso Perfeito

Autor: Edgard Bressani
Editora: Café Editora
Edição: 5ª edição, 2018
Número de páginas: 224 páginas
Valor: R$ 75
Compra on-line: www.cafestore.com.br

Você vai gostar de ler:

Gostou da novidade? O Guia do Barista: da Origem do Café ao Espresso Perfeito é uma ótima opção de presente para amantes de café. Escreva aqui sua opinião nos comentários e compartilhe com os amigos usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto: Divulgação

Tem café nas eleições?

Há duas décadas precisei mudar de estado por conta de uma oportunidade de trabalho. Era um ano de eleições e fui me informar acerca da justificativa (de ausência) eleitoral. Basicamente, você só precisava ir até uma agência dos Correios no dia da eleição. Isso mesmo, só lá que era possível se justificar.

Acontece que nas cidades pequenas só tem uma agência central. A fila era enorme. Digo, as filas, porque era necessário entrar primeiro em uma, onde você comprava (R$) a justificativa. Depois era só preencher o documento e entrar em uma outra fila e, de fato, se justificar.

Leia também:

Passadas as primeiras eleições, já conhecia todos os forasteiros do condado, incluindo as meretrizes, afinal, elas dificilmente trabalham em suas cidades de origem. Como ficaria as reputações das famílias?

Assim que resolvi transferir meu domicílio passei a ser chamado para trabalhar nas eleições. Só achei ruim quando recebi a convocação. Logo depois do primeiro expediente já percebi a importância de participar do processo e me senti um cidadão de verdade.

No próximo mês estarei lá novamente. Por volta das dez horas, o delegado do prédio, diretor da escola, vai passar de sala em sala, avisando: “O café está pronto lá na cozinha”. E é nessa hora, que saio correndo, deixando a urna eletrônica para trás e aos cuidados dos outros mesários. Pouco importa a origem do café, a torra, a moagem ou o método de preparo. O que importa é quebrar a abstinência e esperar o sujeito passar novamente lá pelas três da tarde.

CÁPSULA DE UM CAFEZINHO – O que eles disseram…

“O que mantém nossa fé na democracia representativa é a esperança, seguidamente frustrada mas sempre renovada, de que os bons prevalecerão sobre os ruins”.

Luis Fernando Verissimo

 

Marcelo Lamas é cronista e presidente de mesa na seção 124 – 87a zona eleitoral/SC. Autor de Indesmentíveis.
@marcelolamasbr
marcelolamasbr@gmail.com

Foto: Tim Arterbury on Unsplash

Coca-Cola com café é distribuída grátis pelo Cabify

Quando você pede um carro pelo aplicativo, em geral, ganha balinhas, água e, quando muito, um chocolatinho. Uma ação especial vai oferecer a Coca-Cola com café para os passageiros que pedirem carros pelo Cabify.

A nova versão do refrigerante, Coca-Cola Plus Café Espresso, lançada em junho desse ano, promete mais energia para o dia a dia. A Coca-Cola com café tem 220 ml, 40% mais cafeína e 50% menos açúcar do que a versão tradicional.

Leia também:

Cabify e Coca-Cola: como participar e ganhar a Coca-Cola com café?

Os habitantes de cinco cidades (São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Santos e Campinas) serão surpreendidos com latas geladinhas da Coca-Cola Plus Café Espresso de 220 ml em diversos carros de motoristas parceiros. A parceria ocorre até 17 de outubro de 2018 ou enquanto durarem os estoques.

Com o lançamento, a proposta da Coca-Cola FEMSA Brasil é expandir seus produtos e diversificar seu portfólio para atender os diferentes momentos e hábitos de consumo.

Você vai gostar de ler:

Deu pra notar que o cafezinho tá com tudo, né? Quem já experimentou a Coca-Cola com café? Gostou? Conte aqui nos comentários e compartilhe com os amigos.  

Foto: Divulgação

Roupas feitas de cápsulas de café levam prêmio na Espanha

A busca por novos estilistas é o motivo pelo qual a Bilbao International Art&Fashion promove a cada dois anos o Fashion Design Contest. O concurso internacional que chegou à sexta edição esse ano premiou Gabriela Grajales, colombiana de 31 anos, por sua coleção de roupas feitas de cápsulas de café. ISSO MESMO!

Em entrevista exclusiva aqui para o blog, ela contou como surgiu a ideia de usar 15 mil (QUINZE MIL!) cápsulas de café para confeccionar as roupas. “Na minha casa consumimos muito café, descartamos muitas cápsulas e, observando isso, senti a necessidade de reciclar e dar um novo uso a elas”, conta.

Leia também:

Ok, mas vamos saber mais sobre o desenvolvimento da ideia. Ah, leia até o final, please! 🙂

Processo de criação das roupas feitas de cápsulas de café

Tudo começou com a procura de concursos de moda pela Europa, já que atualmente ela mora em Madrid, na Espanha. “O que mais me chamou a atenção foi o da BIAAF (Bilbao International Arts and Fashion) pelo grande apoio econômico e pela oportunidade de mostrar e impulsionar a criatividade de novos profissionais de moda”, explica.

Para participar, era preciso enviar um projeto sobre qualquer manifestação artística e Gabriela decidiu tratar sobre arte islâmica usando a reciclagem como tema principal. Aqui iniciou, então, a coleção de roupas feitas de cápsulas de café. Chamada Proteo, faz referência ao mosaico islâmico e o caráter transformador de Proteu, um personagem da mitologia grega conhecido como “O Velho Homem do Mar”.

Foto: © Txetxu Berruezo Zárate

A tarefa mais difícil, segundo Gabriela, foi juntar as cápsulas. “Tive muita ajuda da minha família na Espanha para fazer a coleta. Eles me ajudaram, inclusive pegando as cápsulas com os amigos, mas algumas eu tive que comprar mesmo”. Depois de lavar todas, começou um processo de experimentação, afinal como transformar cápsulas de café em roupas? “Desenhei primeiro digitalmente e depois montei direto no manequim”, detalha ela.

Foto: Viviana Gaviria ©

História de Gabriela Grajales na moda começou aos 16 anos

Gabriela aprendeu a desenhar sozinha. Ela fazia pequenas coleções e mostrava em desfiles e showrooms e, aos 21 anos, saiu da Colômbia para estudar design de moda na Argentina. “Eu gostava de desfazer as camisas do meu pai e transformá-las em vestidos”, recorda.

Venho de uma cultura muito “cafeteira”. Sou colombiana e durante toda minha vida estive rodeada pelo café. Me sinto orgulhosa por ter conseguido ganhar esse prêmio, graças a influência de uma parte muito importante do meu país, como é o café.

Planos para o futuro? “Estou construindo uma nova marca para expressar não só meu estilo e minha visão de moda, mas sustentabilidade e consumo consciente”. Adoro quando o café ultrapassa as barreiras da xicrinha.

Você vai gostar de ler:

O que achou sobre as roupas feitas de cápsulas de café? Me conta aqui em baixo se você gostou da história da Gabriela e se gosta desse tipo de entrevista.  Compartilhe aí com o universo usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.  

Foto de destaque: Txetxu Berruezo Zárate ©

Cafezinho na biblioteca

Outro dia vi uma lista de passeios de férias de um conhecido. Na verdade era um plano minucioso, com horários de chegada e saída de cada lugar, assim como os tempos dos deslocamentos. A princípio o critiquei, depois cheguei à conclusão de que, fora a exatidão dos horários, faço a mesma coisa.

Toda vez que viajo, levo na mala pelo menos um exemplar do meu livro e assim vou espalhando minhas histórias por aí. Se fizer uma estatística na ponta do lápis, cerca de um terço de todos os livros que lancei foram doados. Por respeito aos leitores que compraram, faço as doações para bibliotecas, escolas, livreiros e multiplicadores de leitura. Já recebi mensagem de um rapaz que cuidava de uma tia no hospital e que encontrou o meu livro por lá. Ele me disse que encontrou algum conforto naquelas páginas. E ai pode estar um dos motivos pelos quais escrevo.

Quando estou em férias, procuro agendar horários em bibliotecas e, em contrapartida, fico conhecendo lugares fantásticos, como a Biblioteca Joanina, da Universidade de Coimbra em Portugal.

Recentemente estive na Argentina e depois de um dia de passeio fisicamente exaustivo atrás de cafeterias – da minha listinha – faltava fazer o tour guiado na Biblioteca Nacional Mariano Moreno no finalzinho da tarde. Fomos recebidos pela professora voluntária Sra. Susana Jurado, de 87 anos (!). A senhorinha nos conduziu por uma visita de três horas passando por todos os andares da riquíssima biblioteca. Foi uma aula de etimologia, historia e cultura geral. Até esquecemos do cansaço.

Na sala de pesquisas da BN existe um café. Sim, ali mesmo, na sala de estudos, pertinho das mesas. Acontece que em nenhuma BN do planeta você pode retirar os livros de lá. Na unidade Argentina – que funciona até às 23h – você solicita a obra, ela é trazida de um andar climatizado, sem acesso e sem iluminação natural para evitar as traças e a umidade.

Você recebe o livro em uma área restrita, onde pode fazer suas anotações, de posse somente de um caderno e de uma caneta. Então você pode voltar para as mesas maiores, onde as pessoas fazem trabalhos individuais ou em grupo, movidos a café. “Caso alguém vire o copo de café sobre os materiais, só vai prejudicar a si mesmo”, explicou a “maestra jubilada”. Só não tomei um café ali, porque já havia ultrapassado a minha cota diária. E aí está o que eu precisava: um motivo para voltar lá.

Leia também:

Cápsula de @UmCafezinho – O que eles disseram…

“A biblioteca é o lugar onde começamos a nos conhecer”.

Luis Fernando Verissimo

 

Marcelo Lamas é cronista. Autor de Indesmentíveis, Arrumadinhas e Mulheres casadas têm cheiro de pólvora.
@marcelolamasbr
marcelolamasbr@gmail.com

Foto: Depositphotos