Descubra qual método tem mais cafeína

Em todo o mundo, o café é a bebida preferida das pessoas para iniciar o dia. Mas, você sabe qual método tem mais cafeína?  

Leia até o final e você pode se surpreender com a resposta. Antes disso, é importante saber que é a cafeína que promete dar aquela energia para enfrentar as tarefas diárias ou para encarar noites de trabalho acumulado.

Mas, primeiro, deixe eu te contar sobre os tipos de cafés. Será que todos os cafés são iguais?

Arábica e robusta

A escolha dos grãos é o principal fator que influencia na quantidade de cafeína presente na xícara.

Os grãos do tipo Arábica, que são os mais encontrados em cafés especiais, apresentam cerca de metade da quantidade de cafeína presente nos grãos Robusta.

Leia também:

Afinal, qual método tem mais cafeína? 

Outro fator que influencia na quantidade de cafeína do seu café é o método de preparo. 

A quantidade de cafeína de um preparo será determinada pelo tipo de moagem, temperatura e tempo de extração. 

A seguir, veja os métodos mais utilizados e descubra qual deles tem mais cafeína.

Espresso

A quantidade de cafeína do método espresso, muitas vezes considerado sinônimo de café forte, causa divergência entre os baristas.

Como a cafeína é hidrossolúvel e o tempo de extração nesse método é muito pequeno, acreditava-se que o preparo não possuía muita cafeína.

Porém, uma pesquisa da Universidade de Newcastle, na Austrália, concluiu que a moagem fina utilizada nesse método aumenta a superfície de extração da cafeína, fazendo do café o espresso, o campeão em quantidade de cafeína.

Uma dose de café espresso (30 ml) de máquina tem 126 mg de cafeína.

Já no café espresso extraído da cafeteira italiana (30g), por utilizar uma moagem média/fina, a cafeína varia de 65 mg a 73 mg.

Cold Brew

Como o próprio nome sugere, o método cold brew realiza a extração à frio

Nele, a temperatura é substituída pelo tempo, que dura por volta de 8 a 12 horas.

Com a longa exposição dos grãos à água, o método é o que possui a segunda maior concentração de cafeína, sendo 134 mg em uma xícara 60ml de café.

Filtrados

Os métodos filtrados são os mais presentes nas casas brasileiras e incluem o coador, a Kalita, o Chemex e o Hario.

Com a moagem média/grossa, uma xícara de 250 ml de café filtrado possui cerca de 173 mg de cafeína. 

Infusão

Em métodos de infusão, como a CleverPrensa Francesa e Aeropress, o pó fica mais tempo em contato com a água do que no método filtrado, porém, a moagem grossa diminui a superfície de extração da cafeína, deixando o resultado entre os métodos bem próximo.

100 ml de café extraído por infusão possui 74 mg de cafeína. 

Tamanho das porções

As porções apresentadas nesse post correspondem à quantidade média consumida de cada método. 

Por isso, mesmo que o café filtrado possua concentração menor de cafeína, o limite de consumo é duas doses por dia, enquanto a do café espresso é de três.

A tabela a seguir foi extraída da pesquisa australiana e mostra a concentração de cafeína por litro e por 30 ml de café.

Tabela mostra a concentração de cafeína por litro e por 30 ml de café.

A segunda tabela mostra quantas porções podemos consumir de cada método até atingirmos o limite diário de 400 mg de cafeína. 

Tabela mostra quantas porções podemos consumir de cada método até atingirmos o limite diário de 400 mg de cafeína.

Agora você já sabe qual método tem mais cafeína. Se você achou esse conteúdo interessante e ele foi útil para você, compartilhe com os seus amigos pelas redes sociais. 

Marcia Kamijo é jornalista, feminista, amante de bons cafés, cinema, TV e cachorros.


 

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *