Conheça o Café de Chamarel, produzido nas Ilhas Maurício

O café de Chamarel começou a ser cultivado em 1967, nas Ilhas Maurício. Ele é o único café cultivado, torrado e comercializado na região, de forma artesanal. Quem esteve por lá foi minha irmã e meu cunhado. Logo que me falaram do café, ativei meu lado jornalístico e mandei um monte de perguntas, comecei a fazer pesquisas e pedi fotos do que eles viam por lá, além do café (claro!), para fazer esse post.

As Ilhas Maurício fazem parte do continente africano, são banhadas pelo Oceano índico e ficam próximas a Madagascar. A independência veio só em 1968. Descoberta por portugueses 5 anos depois da chegada deles aqui no Brasil, a ilha foi colonizada por holandeses em 1598 e chegou a ser governada por França e também Reino Unido.

Além de café arábica, a região vive do turismo e da produção de cana-de-açúcar, que é bem forte, aliás, e chega a ocupar mais da metade da região.

O Café de Chamarel é um dos orgulhos do local

A cada ano, a produção do café de Chamarel soma 10 mil toneladas, mas aos poucos vão aumentar essa quantidade, já que novos pés de café estão sendo cultivados. Isso é feito em dois lugares: na aldeia de Chamarel, próximo das Terras das Sete Cores (passeio turístico imperdível, além das belas praias), onde o solo, a chuva e a temperatura favorecem, e também em Case Noyale, onde a luz do sol é abundante.

O processo de pós-colheita é o lavado, comum também na América Central, Quênia e aqui no Brasil. Primeiro, passa pelo tanque e os grãos verdes e cereja são separados dos secos (boia). Na segunda fase, eles são despolpados com a ajuda da água e, em seguida, passam pelo processo de degomagem (desmucilagem), lavagem e secagem.

Para a torra, só passam os grãos em perfeito estado. Eles são verificados manualmente e os quebrados são retirados da produção. No caso do café de Chamarel, os grãos de café verde passam pela torra a 200 graus por 20 minutos.

A embalagem do Café de Chamarel contém 225 g e o produto é distribuído pela Scott & Co Ltd. desde 1999, mas infelizmente não encontrei nenhuma opção de entrega para o Brasil até a data de publicação desse artigo. Isso significa que, se você quiser provar esse cafezinho, só programando uma viagem para lá nas próximas férias. Garanto que vale cada xícara!

Para facilitar a sua vida, já deixei até o Booking.com ali no canto direito da tela ou logo aqui em baixo do post, se você estiver lendo pelo celular. Comece a planejar sua viagem agora mesmo.

Leia também:

O que achou dessa viagem às Ilhas Maurício para conhecer o Café de Chamarel? Deixe aqui o seu comentário e compartilhe com seus amigos pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Fotos: umcafezinho.com.br ©

Compartilhe com seus amigos: