Roupas feitas de cápsulas de café levam prêmio na Espanha

A busca por novos estilistas é o motivo pelo qual a Bilbao International Art&Fashion promove a cada dois anos o Fashion Design Contest. O concurso internacional que chegou à sexta edição esse ano premiou Gabriela Grajales, colombiana de 31 anos, por sua coleção de roupas feitas de cápsulas de café. ISSO MESMO!

Em entrevista exclusiva aqui para o blog, ela contou como surgiu a ideia de usar 15 mil (QUINZE MIL!) cápsulas de café para confeccionar as roupas. “Na minha casa consumimos muito café, descartamos muitas cápsulas e, observando isso, senti a necessidade de reciclar e dar um novo uso a elas”, conta.

Leia também:

Ok, mas vamos saber mais sobre o desenvolvimento da ideia. Ah, leia até o final, please! 🙂

Processo de criação das roupas feitas de cápsulas de café

Tudo começou com a procura de concursos de moda pela Europa, já que atualmente ela mora em Madrid, na Espanha. “O que mais me chamou a atenção foi o da BIAAF (Bilbao International Arts and Fashion) pelo grande apoio econômico e pela oportunidade de mostrar e impulsionar a criatividade de novos profissionais de moda”, explica.

Para participar, era preciso enviar um projeto sobre qualquer manifestação artística e Gabriela decidiu tratar sobre arte islâmica usando a reciclagem como tema principal. Aqui iniciou, então, a coleção de roupas feitas de cápsulas de café. Chamada Proteo, faz referência ao mosaico islâmico e o caráter transformador de Proteu, um personagem da mitologia grega conhecido como “O Velho Homem do Mar”.

Foto: © Txetxu Berruezo Zárate

A tarefa mais difícil, segundo Gabriela, foi juntar as cápsulas. “Tive muita ajuda da minha família na Espanha para fazer a coleta. Eles me ajudaram, inclusive pegando as cápsulas com os amigos, mas algumas eu tive que comprar mesmo”. Depois de lavar todas, começou um processo de experimentação, afinal como transformar cápsulas de café em roupas? “Desenhei primeiro digitalmente e depois montei direto no manequim”, detalha ela.

Foto: Viviana Gaviria ©

História de Gabriela Grajales na moda começou aos 16 anos

Gabriela aprendeu a desenhar sozinha. Ela fazia pequenas coleções e mostrava em desfiles e showrooms e, aos 21 anos, saiu da Colômbia para estudar design de moda na Argentina. “Eu gostava de desfazer as camisas do meu pai e transformá-las em vestidos”, recorda.

Venho de uma cultura muito “cafeteira”. Sou colombiana e durante toda minha vida estive rodeada pelo café. Me sinto orgulhosa por ter conseguido ganhar esse prêmio, graças a influência de uma parte muito importante do meu país, como é o café.

Planos para o futuro? “Estou construindo uma nova marca para expressar não só meu estilo e minha visão de moda, mas sustentabilidade e consumo consciente”. Adoro quando o café ultrapassa as barreiras da xicrinha.

Você vai gostar de ler:

O que achou sobre as roupas feitas de cápsulas de café? Me conta aqui em baixo se você gostou da história da Gabriela e se gosta desse tipo de entrevista.  Compartilhe aí com o universo usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.  

Foto de destaque: Txetxu Berruezo Zárate ©

Compartilhe com seus amigos:

Master Origin Nespresso: conheça a nova linha de cafés da marca

Quando se trata de cafés em cápsulas, logo lembramos da Nespresso, que é pioneira no segmento. Sua mais recente novidade é a linha de cafés Master Origin Nespresso e, para o lançamento dos 5 tipos de café de origem única, a marca promoveu uma experiência super interessante na última terça-feira, dia 28 de agosto, em São Paulo.

Depois de ouvir consumidores e fazer uma série de pesquisas, além de parcerias com agricultores locais, a Nespresso nos permite dar uma verdadeira volta ao mundo embalada pelos aromas e sabores do café. Eles são provenientes de Colômbia, Índia, Indonésia, Nicarágua e Etiópia – produzidos com métodos característicos de suas regiões.

Leia também:

Master Origin Nespresso e Fechado para Jantar

Em parceria com o Fechado para Jantar, projeto do chef Raphael Despirite que organiza jantares esporádicos nos lugares mais inusitados da cidade de São Paulo, a Nespresso fez um jantar fechado na Vila São Paulo, um espaço de eventos no Brás. (Para se ter uma ideia, ele já fez jantar dentro de uma livraria e dentro de uma galeria de arte. Cada edição é uma surpresa e, por isso, se você é de São Paulo, vale ficar de olho nas próximas datas).

Primeiro, houve uma recepção com degustação de 5 drinks com café, elaborados especialmente para acentuar o sabor do café de cada origem. Provei todos e contei aqui em baixo os meus 3 preferidos:

Meus drinks preferidos com os novos blends @nespresso.br: 1️⃣ o primeiro feito com India (notas amadeiradas e picantes); 2️⃣ o segundo com Indonesia (notas de madeira tropical e tabaco); 3️⃣ e o terceiro com Ethiopia (notas de frutas e flor de laranjeira). Os 5 novos blends são vendidos em uma única caixinha, com 7 unidades de cápsulas. Tá fácil provar todas, hein! 🌍✈️ Uma verdadeira volta ao mundo, com aromas e sabores do café! Hoje de manhã escolhi o Indonesia para despertar. ☕️❤️#umcafezinhopelomundo . . . 📸 @umcafezinho #coffeelovers #coffeetime #coffeeexperience #cafezinho #umcafezinho #cafe #nespressobrasil #nespresso #nespressomoments #viajarfazbem #cafestagram

Uma publicação compartilhada por Café | Informação | Lifestyle (@umcafezinho) em

Depois, passamos para a experiência do jantar. Os 5 blends inspiraram os 5 pratos servidos: 1 . Carne crua, maionese de alice, vinagrete de óleo de salsinha, nirá e pickles de cebola; 2 . Queijo St. Marcelin, abóboras assadas, lardo e mel de abelha nativa jataí MBEE; 3 . Confit de Pato, purê de grão de bico e salsa verde;  4 . Sorvete de morangos gelato boutique, ricota, pistache e manjericão; 5 . Pain Perdu e compota de maçãs.

Fechado para Jantar exclusivo para apresentar os novos blends da Nespresso. Divulgação

Claudia Leite, gerente de Cafés e Sustentabilidade da Nespresso no Brasil, reforça: “O diferencial desta nova linha são os métodos de processamento de cada café, gerando perfis sensoriais e sabores únicos”. Conheça abaixo mais detalhes sobre a linha de cafés Master Origin Nespresso:

Os cafés da linha Master Origin Nespresso

1 . Master Origin Índia

O café adquirido na Índia passou pela técnica milenar “monsooning”, relembrando um processo antigo, em que os grãos eram transportados em barcos e absorviam um alto nível de umidade do oceano. O mesmo processo foi trazido para o século XXI: grãos de Robusta passaram pelo “monsooning” em armazéns na Índia e foram unidos a grãos Arábica, resultando em um café potente, com notas amadeiradas e picantes.

2 . Master Origin Etiópia

Os grãos de café da Etiópia foram cuidadosamente colhidos e secos naturalmente com a casca e polpa, revolvidos à mão de hora em hora para garantir uma secagem uniforme em terreiros suspensos. O resultado é um café com notas frutas e flor de laranjeira.

Você vai gostar de ler:

3 . Master Origin Colômbia

Na Colômbia, cada fruto de café foi deixado mais tempo no pé, arriscando a fermentação, até que tivesse exatamente o ponto de maturação desejado. Os frutos com coloração roxo escuro foram colhidos à mão.  O resultado é um café com notas vinho e frutas vermelhas.

4 . Master Origin Indonésia

Na Sumatra (Indonésia), o terroir úmido exigiu que os produtores utilizassem um método de processamento descascado úmido. Isso significa que os frutos são descascados, fermentados, secos ao calor e, ainda úmidos, os grãos são processados. O resultado é um café com notas de madeira tropical e tabaco.

5 . Master Origin Nicarágua

Na Nicarágua, utilizou-se o método black honey. Os grãos de café são descascados e secos ainda com a polpa, expostos ao sol intenso nos terreiros, o que permite que o grão absorva os açúcares naturais da própria mucilagem. O resultado é um café com notas de cereais doces.

Os novos cafés da linha Master Origin Nespresso já estão disponíveis nas lojas físicas e também no e-commerce da marca pelo valor de R$ 2,30. Ficou com vontade de provar? Gostou da novidade? Conte nos comentários. 

Foto de destaque: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Melitta lança programa de reciclagem de cápsulas de café

Boa notícia: a Melitta acaba de lançar seu programa de reciclagem de cápsulas de café em parceria com a TerraCycle – empresa que trabalha com a solução de resíduos de difícil reciclabilidade.

Programa Nacional de Reciclagem de Cápsulas de Café Melitta: como funciona?

A Melitta tem suas cápsulas de café compatíveis com as máquinas Nespresso e, a partir de agora, é possível fazer o descarte correto delas depois de usar.

Primeiro, é preciso acumular pelo menos 50 cápsulas e armazená-las em uma caixa. O próximo passo é acessar a plataforma da TerraCycle, fazer um cadastro e imprimir uma etiqueta pré-paga. Aí é só despachar a remessa em qualquer agência dos Correios, sem nenhum custo para o consumidor.

Reciclagem e responsabilidade social

Ao juntar e participar da reciclagem de cápsulas de café, além de colaborar com o meio ambiente, o consumidor pode praticar a solidariedade sem colocar a mão no bolso.

Cada cápsula corresponde a 2 pontos TerraCycle, que equivalem a R$0,02 e poderão ser revertidos em doações para uma instituição sem fins lucrativos ou escola pública que você escolher. Para isso, é importante enviar o mínimo de 50 cápsulas. Do contrário, os pontos não serão contabilizados, mas o material será recebido e enviado para a reciclagem.

Leia também:

De acordo com as informações do programa, o prazo para computação dos pontos é de até 4 semanas a contar do momento da postagem.

Para onde vão as cápsulas de café?

A TerraCycle tem uma sócia e parceira, a RCR ambiental. Essa parceira recebe e faz uma triagem do material e o encaminha para a reciclagem, possibilitando que ele seja reinserido na cadeia produtiva. A borra de café, por exemplo, é destinada para a compostagem.

Muito bom ver mais empresas trabalhando para encontrar soluções para essa questão, não acha? Gostou de saber sobre a possibilidade da reciclagem de cápsulas de café da Melitta? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe com seus amigos pelas redes sociais.  

Foto: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Café em cápsula: a opinião de uma barista

Outro dia estava almoçando com uma amiga e, em uma determina hora, começamos a falar sobre café. O café em cápsula surgiu na conversa e ela se mostrou surpresa quando eu, barista, disse que tenho uma máquina Nespresso.

A máquina chegou em casa antes de eu entrar profissionalmente para o mundo do café, mas ela é usada até hoje, mesmo que com uma frequência menor. Confesso que durante um tempinho ela ficou meio esquecida, porque aquele gostinho de queimado começou a me incomodar um pouco, já que eu tinha começado a conhecer bons cafés e grande parte dos que eu comprava vinham com essas notas aromáticas ruins.

No entanto, se a gente comparar as cápsulas que temos disponíveis no mercado hoje com as de 5 anos atrás, vamos perceber o quanto esse tipo de bebida evoluiu em vários aspectos e ainda continua se desenvolvendo.

Café em cápsula: o que mudou?

Em uma matéria do Paladar (Estadão) de 2015, que falava sobre a queda da patente das cápsulas, a Nespresso disse que a concorrência é saudável e melhora a qualidade e as opções dos produtos no mercado, ou seja, quem ganha é o cliente.

Quase três anos depois dessa matéria, estava eu na Sirha 2018, vendo um painel da 3 Corações. No final, eles serviram um café em cápsula para quem estava ali assistindo. Gente, que surpresa agradável! Eu estava sem pretensão nenhuma sobre aquela xícara e, de repente, comecei a sentir acidez, doçura, um bom corpo.

Foi nesse exato momento que eu percebi o quanto as cápsulas evoluíram e, principalmente, que as grandes empresas entenderam que há uma parcela de clientes que também evoluiu o sensorial e está buscando mais qualidade em seus cafés, sem perder a praticidade.

Cápsulas de café e o impacto ambiental

As cápsulas se popularizaram principalmente por causa de sua praticidade. Porém, a principal crítica sobre esse produto é o impacto ambiental negativo. Lá no início não havia uma programa para reciclar as cápsulas, feitas de plástico e alumínio, mas hoje esse cenário já é um pouco diferente.

Apesar da reciclagem das cápsulas ser ainda um pouco confusa, dá para notar que as pessoas estão pensando nisso, sim. Além de programas desenvolvidos pelas próprias marcas, como Dolce Gusto e Pilão, a Orfeu, por exemplo, desenvolveu uma cápsula de bioplástico, que demora cerca de quatro meses para se desintegrar em processo de compostagem. Há também quem transforme cápsulas em objetos de decoração e até bijuterias!

Outra opção são as cápsulas reutilizáveis, como a desenvolvida pelo Eco Reciclos. Esse assunto, na verdade, é um pouco polêmico por dois motivos: muitas pessoas do meu convívio que provaram não gostaram do resultado e porque usar uma cápsula reutilizável faz com que o conceito de praticidade se perca.

Sinceramente, não acho que seja um trabalho tão grande assim encher e depois limpar uma cápsula, considerando que estamos fazendo algo bom para a natureza. Já no sabor, não posso opinar porque infelizmente ainda não tive oportunidade de provar café extraído a partir de cápsula reutilizável.

Preço

Quando a gente fala de café especial, é muito comum ouvir reclamação sobre o preço, geralmente vinda de pessoas que ainda não compreenderam o valor desse tipo de bebida ou simplesmente porque não ligam para isso.

No entanto, parte dessas pessoas consome café em cápsula. Isso significa que elas estão dispostas a pagar entre R$ 200 e R$ 400 no quilo de café em cápsula, mas não querem pagar R$ 156 no quilo do W1 Wolff Café, por exemplo, que é de origem, teve perfil de torra desenvolvido e é café de alta qualidade.

Até entendo que a pessoa pode estar pagando pela praticidade, mas arrisco a dizer que, na maioria das vezes, ela nem faz essa conta. Engraçado, né? É como pagar parcelado com juros. De pouquinho em pouquinho a gente nem sente.

Ok, mas café em cápsula é bom ou ruim?

Café em cápsula é uma realidade e, seja você profissional da área ou coffee lover, não dá para fugir disso. A tendência é que esse mercado continue crescendo com cada vez mais qualidade. Isso é muito legal, porque teremos bons cafés no conforto (ou na correria) do nosso lar.

Isso não exclui o café coado feito com calma, o trabalho do barista e nem a cafeteria. Cada um tem sua função e o momento adequado para serem consumidos. São mais opções a serem exploradas, o que vai fazer com que o consumidor crie mais repertório e amadureça, forçando um desenvolvimento da área do café como um todo, o que é normal e essencial.

No meu ponto de vista, o café em cápsula ainda tem espaço para se desenvolver mais, incluindo nas questões ambientais, como comunicar com mais clareza ao consumidor seus projetos e criar programas realmente efetivos que mostrem seus resultados.

Porém, falando de qualidade, hoje a gente já encontra cafés bem melhores comparando com alguns anos atrás e a ideia é que isso melhore. No entanto, qualidade aliada à praticidade tem um preço. Cabe a cada um de nós se disponibilizar a pagar ou não.

Vocês também acham que os cafés em cápsula estão com mais qualidade? Como vocês descartam suas cápsulas?

 

Cinthia Bracco atuou quase 9 anos nas áreas de Comunicação e Marketing, mas não conseguiu fugir do que realmente queria o seu coração. Em novembro de 2016 tornou-se barista profissional e trabalha em uma cafeteria, em São Paulo, onde vem aprendendo e se desenvolvendo em sua nova profissão. É vegana, tem um Bull Terrier chamado Tofu, fã de Battlestar Galactica e simplesmente adora comer. Em seu tempo livre, vai a cafeterias (sim, o barismo acaba fazendo parte da vida), brinca com o cachorro, cozinha, assiste séries/filmes e cuida de suas plantas.

Foto: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos:

Marca de café premium L´OR chega ao Brasil

Nesta terça, dia 8 agosto, a Jacobs Douwe Egberts (JDE) apresentou a marca de café premium L´OR, que desembarca no Brasil trazendo novidades para as prateleiras das principais redes de supermercados do país.

O segmento de café premium está crescendo rapidamente no Brasil. Para se ter um ideia, em 2016, a alta foi de 31,3% na categoria de torrado e moído, que está em 95% dos lares brasileiros que consomem café com frequência. A marca de origem francesa oferece grãos selecionados para a criação dos blends, além de embalagens cuidadosamente desenvolvidas para preservar a qualidade do café.

A linha da marca de café premium L’OR já está presente na Europa e na Austrália. Os executivos da companhia reforçam a proposta de democratizar o café de qualidade.

Você vai gostar de ler:

Marca de café premium traz cápsulas de alumínio

Entre as novidades apresentadas, merece destaque a primeira cápsula de alumínio compatível com máquinas de café Nespresso disponível em supermercados.

O programa de reciclagem da marca fica por conta de uma parceria com a TerraCycle e os consumidores serão estimulados a participarem ativamente, devolvendo as cápsulas usadas para os postos de coleta.

Portfolio completo L´OR

Em seguida, conheça as opções da marca de café premium nas categorias Torrado e Moído, Grãos, Solúvel e Cápsulas:

Foto: Divulgação

 

Torrado e Moído (250 gramas)

• Classique (intensidade 8)

Cafezinho frutado cítrico com uma agradável acidez.

• Intense (intensidade 10)

Sabor marcante e rico com intenso aroma, a bebida é levemente adocicada com notas de caramelo.

• Extra fort (Intensidade 12)

Bebida intensa e encorpada de baixa acidez, com aroma acentuado e notas de chocolate amargo.

Cápsulas de alumínio:

• Satinato (intensidade 6) – embalagens de 10 cápsulas

Delicado e refinado, esse é um blend requintado e aveludado, que proporciona um aroma agradável e único.

• Sontuoso (intensidade 8) – embalagens de 10 cápsulas

Um espresso com notas de amêndoas torradas e um toque floral inspirador, finalizado com o brilho âmbar de uma saborosa e sedosa camada de crema.

• Forza (intensidade 9) – embalagens de 10 cápsulas

Um espresso intenso, com notas de carvalho e alcaçuz, iluminado com tons de âmbar, sobre uma delicada camada de crema.

• Estremo (intensidade 10) – embalagens de 10 cápsulas

Espresso de torra intensa, forte e encorpado com notas de especiarias.

• Ristretto (intensidade 11) – embalagens de 10 e 20 cápsulas

O café intenso com aroma picante.

• Onyx (intensidade 12) – embalagens de 10 cápsulas

Intenso, tem uma combinação profunda e sabor picante, com um toque amargo de cacau.

Café Solúvel (embalagens de 140 gramas e saches de 50 gramas):

A linha de solúveis tem café instantâneo fabricado no Brasil a partir da tecnologia de liofilização. Os grãos são torrados, moídos e transformados num extrato líquido de café.

Em seguida, são levados para uma estação de congelamento, com temperatura abaixo de zero graus, que retém o frescor, sabor e aroma.

Após congelado, o café é triturado e transformado em pequenos flocos que, em seguida, passam por um processo a vácuo e com temperatura amena, para retirar a água remanescente.

O café desta linha tem as opções Classique – Refinado e Aromático e Intense – Rico e Aromático.

Leia também:

Grãos Torrados para Espresso (embalagens de 500 gramas):

Torra média, o resultado é um cafezinho encorpado com notas de caramelo e uma leve acidez cítrica, com uma crema espessa e aveludada. Esse é um café especialmente desenvolvido para moer e preparar em máquinas de café espresso.

O que você não pode deixar de provar? – Por fernanda haddad

Na degustação, que ocorreu no Palácio Tangará, em São Paulo, provei quase todas as novidades. Café é questão de gosto, né? Mas, vamos lá: gostei e recomendo todos os blends da categoria Torrado e Moído. Excelentes!

Também aprovei as cápsulas, especialmente as 3 mais intensas. Quanto ao café solúvel, acho que quem gosta desse tipo de café, pode aprovar. Realmente foi o que eu menos gostei.

Com este investimento, a JDE passa a liderar o movimento de café premium no varejo brasileiro. O Grupo Holandês é o maior 100% dedicado ao mercado de cafés no mundo e também é dono de marcas como Café do Ponto, Café Pilão, entre outras.

O que achou das novidades da marca de café premium L´OR? Prove e conte sua opinião nos comentários e compartilhe pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto de destaque: umcafezinho.com.br

Compartilhe com seus amigos:

Tomar café no trabalho ajuda a manter a produtividade

Muita gente tem o hábito de tomar café no trabalho. Tem gente que nem gosta tanto assim e diz tomar um cafezinho só para ficar acordado mesmo, para despertar, fazer o dia render, sabe? Eu, sinceramente, não entendo como isso é possível. Fato é que tomar café no trabalho ajuda (e muito) a manter a produtividade. Isso porque a bebida tem cafeína, uma substância estimulante que age diretamente no cérebro. Assim, o corpo fica em estado de alerta e isso colabora com a concentração.

Muitas pesquisas científicas comprovam essa informação. Uma delas, feita pelo Departamento de Psiquiatria e Psicobiologia Clínica da Universidade de Barcelona, na Espanha, assegura que o consumo de bebidas cafeinadas com glicose é capaz de melhorar o desempenho cognitivo, tanto quando se trata de atenção quanto quando se trata de memória.

De manhã, depois do almoço ou mesmo no fim da tarde, tomar um cafezinho pode fazer milagre. Além de dar mais disposição, melhorar a capacidade de atenção e também a memória, consumir o café acelera o metabolismo, uma ótima notícia para quem quer perder peso. O café também tem propriedades antioxidantes e ajuda a manter longe uma série de doenças.

Você vai gostar de ler:

Em geral, especialistas recomendam não passar da média de 3 a 4 xícaras de café por dia, mas, é claro que isso depende do organismo de cada um. Algumas pessoas são mesmo mais resistentes à cafeína, mas só uma avaliação feita por um profissional é que pode definir o limite de café e cafeína indicado para cada organismo.

Tomar café no trabalho pode ajudar a resolver melhor as pendências

O intervalo para café no horário de trabalho é um momento importante. Além descansar a mente, aquele minutinho que você para, levanta, vai trocar uma ideia com um colega, toma um café e volta para a mesa, pode ser tudo o que estava faltando para ajudar a dissolver aquele problemão que parecia impossível.

Você tem o hábito de tomar café no trabalho? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Foto de destaque: Pixabay

Compartilhe com seus amigos:

5 opções de cápsulas de café reutilizáveis

Já ouviu falar das cápsulas de café reutilizáveis? Junto com a tendência dos cafezinhos individuais, eis que surge também uma nova oportunidade de mercado. Não tem como negar que os cafés em cápsulas viraram uma verdadeira febre no Brasil e no mundo. Com as cápsulas reutilizáveis, você escolhe o seu grão de preferência, coloca o café moído dentro, usa e lava para usar novamente.

Você vai gostar de ler:

Cápsulas de café reutilizáveis reduzem a produção de lixo

Confira 5 opções de cápsulas de café reutilizáveis disponíveis no mercado:

1 . MyCoffeeStar

Foto: Divulgação

Essa é uma cápsula de aço inox, que vem da Suíça, e a ideia é que você possa consumir o café que preferir, além de reduzir a produção de lixo, o que torna o produto uma opção super sustentável. Segundo o site que comercializa a cápsula, todos os nossos produtos são enviados do Brasil, livre de taxas de importação e sem fretes elevados de transporte.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso e Dolce Gusto.

Preço: de R$ 139,90 a R$ 349,90

Acesse o site da Ecoreciclos para comprar.

2 . Coffeeduck

Foto: Divulgação

A Coffeeduck é a líder em sistemas de café reutilizáveis. Segundo as instruções do site, para que o café saia bom na Nespresso ou na Senseo, é importante que esteja na moagem fina e seja torrado propriamente para espresso.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso e Senseo.

Preço: 14,95 euros

Acesse o site da Coffeeduck para comprar.

3 . WayCap

Foto: Divulgação

Outra alternativa para as cápsulas de café reutilizáveis é a WayCap. Segundo pesquisa da marca, usando a cápsula é possível economizar até 1 mil euros por ano, considerando o consumo de uma família de 4 pessoas.

Compatível com Nespresso.

Preço: de 11 euros a 209 euros (os kits estão disponíveis em site de financiamento coletivo e devem ser liberados até julho deste ano).

Acesse o site da WayCap para comprar.

4 . Ne-cap

Foto: Divulgação

A Ne-cap é uma solução que vem da Espanha e as cápsulas reutilizáveis são feitas de um material plástico próprio para suportar a temperatura das máquinas. Além disso, vendem cápsulas descartáveis para você colocar o café que preferir e também as cápsulas já cheias de café.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso e Dolce Gusto.

Preço: 10 euros (Nespresso); 12 euros (Dolce Gusto)

Acesse o site da Ne-cap para comprar.

5 . Tostio

Foto: Divulgação

A Tostio é uma marca 100% brasileira, com produtos desenvolvidos em aço cirúrgico de alta qualidade, além de opções feitas em alumínio. Segundo pesquisa da marca, é possível economizar cerca de R$ 1 mil por ano, considerando uma pessoa que consome até 2 cafezinhos por dia.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso, Dolce Gusto e Três Corações.

Preço: produtos de R$ 16 a R$ 389

Acesse o site da Tostio para comprar.

A Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) prevê que serão consumidas 16 mil toneladas de café por meio delas em 2019. Com isso, cresce a busca por alternativas mais sustentáveis e soluções mais “verdes”, inclusive vindas das próprias marcas, que estão trabalhando duro para estruturar um ciclo de reciclagem 100% eficiente.

Leia também:

O que achou das opções de cápsulas de café reutilizáveis? Já usou alguma delas? Divida com a gente sua opinião nos comentários e compartilhe com seus amigos nas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto de destaque: MyCoffeeStar/Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Onde descartar cápsulas Dolce Gusto? Confira!

Boa notícia para você que quer saber onde descartar cápsulas Dolce Gusto. A Nescafé anunciou essa semana que está ampliando seus postos de coleta de cápsulas em 42%. São 13 novos locais para recolhimento do material em lojas Grupo Pão de Açúcar distribuídas em diversas cidades do Estados de São Paulo (Barueri, Campinas, Indaiatuba, Santana do Parnaíba, São Caetano do Sul, São José do Rio Preto e São Paulo) e do Paraná (Curitiba).

Saiba onde descartar cápsulas Dolce Gusto e faça sua parte

Reforçando o comprometimento com o uso sustentável dos recursos e preservação do meio ambiente, a marca está constantemente em busca de alternativas para reduzir o impacto ambiental e gerar valor compartilhado para toda a sociedade.

Confira os novos 13 endereços onde descartar cápsulas Dolce Gusto no Brasil:

Campinas/SP
R. Alecrins, 616 – Cambuí
Av. Barão de Itapura, 2233 – Itapura

Barueri/SP
Alameda Rio Negro, 111
Alameda Madeira, 152

São Paulo/SP
R. Gonçalves Crespo, 217 – Tatuapé
R. Cardoso de Almeida, 472 – Perdizes
R. Teodoro Sampaio, 1933 – Pinheiros
R. Bairi, 435 – Alto da Lapa
Av. Washington Luís, 3919 – Chácara Monte Alegre

Santana do Parnaíba/SP
Av. Marte, 624 – Alphaville

São José do Rio Preto/SP
Av. Bady Bassitt, 5300

Indaiatuba/SP
Av. Pres. Vargas, 1264

São Caetano do Sul/SP
R. Maranhão, 975

Curitiba/PR
Av. Rep. Argentina, 1297

Leia também:

Processo de reciclagem de cápsulas Dolce Gusto

Foto: Divulgação

As cápsulas da Dolce Gusto recolhidas nos pontos de coleta passam por um processo de reciclagem e são transformadas em novos produtos, como o porta-cápsulas Renove. Esse foi o primeiro artigo da marca feito neste conceito. As cápsulas são triadas, fragmentadas e transformadas em uma resina termoplástica, que é a matéria-prima usada para a produção do porta-cápsulas.

Presentes para os clientes

Para marcar a ampliação da operação, mil “Clientes Mais” destas unidades do Pão de Açúcar, previamente selecionados pela frequência e volume de compras de cápsulas Dolce Gusto, vão receber em casa um porta-cápsulas Renove. Eles também vão receber um material informativo sobre a iniciativa, convidando-os a levar suas cápsulas usadas aos novos pontos.

O que achou da ideia? Agora que você já sabe onde descartar cápsulas Dolce Gusto, que tal avisar os amigos? Compartilhe nas suas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Fotos: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Mudas de plantas vão parar em cápsulas de café

Se você usa café em cápsulas com frequência já deve ter reparado a sua quantidade de lixo aumentou, não é mesmo? O que você faz com cápsulas de café usadas? Muitas pessoas ainda têm o hábito de jogá-las no lixo comum, mas existe também quem pensa no destino delas de forma mais sustentável.

Você vai gostar de ler:

Projeto usa cápsulas de café para colocar mudas de plantas

As principais empresas que vendem cafés em cápsulas têm se preocupado com o descarte correto cada vez mais e estão buscando alternativas e ações que engajem seus consumidores. Mas, a realidade está longe de ser a ideal. Segundo estimativa da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), em 2019, serão consumidas 16 mil toneladas de café por meio dessas cápsulas. Acadêmicos do bacharelado em Ciências Biológicas da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) encontraram uma utilidade nada convencional para a reutilização dessas embalagens: abrigar mudas de orquídeas e suculentas.

A aluna Diliane Harumi Yaguinuma, que está envolvida na iniciativa, conta que as mudas de suculentas foram produzidas por eles, já as de orquídeas foram doadas pelo docente da graduação, Dr. Nelson Barbosa Machado Neto. “Realizamos uma campanha para a arrecadação na comunidade em geral. Esses pequenos vasinhos poderão dar um toque diferenciado nos jardins e residências. Agora é só aguar e cuidar para que essas plantinhas se mantenham com vida e saudáveis”, conta Diliane.

“Além da produção extra de lixo, existe outro agravante: o desinteresse ou a dificuldade em realizar a reciclagem das cápsulas. Por serem muito pequenas e compostas de alguns materiais não recicláveis, muitas são simplesmente descartadas como lixo orgânico por causa da borra de café”, acrescenta Diliane.

Leia também:

Os pequenos vasos serão distribuídos gratuitamente aos participantes da 23ª Jornada de Educação da Faculdade de Artes, Ciências, Letras e Educação de Presidente Prudente (Faclepp/Unoeste), que será realizada entre os dias 22 e 27 de maio.

O que achou da ideia de projeto sustentável com cápsulas de café? Conhece mais alguma iniciativa nesse sentido? Conte nos comentários. Ações como essa merecem ser compartilhadas! Não se esqueça de usar a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo nas suas redes sociais. 

Fotos: Gabriela Oliveira

Compartilhe com seus amigos:

Cafés raros do Quênia e Laos compõem série da Nespresso

A Nespresso traz mais uma experiência única para os coffee lovers, que já está disponível nas lojas. A série de edição limitada Explorations vem com cafés raros do Quênia e do Laos, regiões nunca antes exploradas e que trazem blends diferentes.

Origens e cafés raros: o que esperar?

A Edição Limitada Explorations 1 é formada por dois blends cuidadosamente selecionados para estrear a série. Laos Bolaven Plateau e Kenya Peaberry já estão disponíveis nas lojas e canais de venda em todo o Brasil. Os blends são vendidos em um pacote duplo (20 cápsulas) por R$ 120 – com limite de 5 unidades por Membro do Club.

Você vai gostar de ler:

De onde vêm os cafés raros?

Laos Bolaven Plateau

O blend vem de uma região situada a 1.300 metros acima do nível do mar, o Planalto Bolaven do sul do Laos. Essa é uma região com alto índice de chuvas, solo vulcânico e umidade constante. O café é 100% Arábica descascado e passa por um processo de torra super cuidadoso. O resultado é um espresso com notas de trigo dourado e fundo herbal fresco com um toque ácido.

Sugestão de degustação: Espresso (40 ml) ou com leite em um Latte Macchiato.

Kenya Peaberry

O outro blend vem do Quênia, região conhecida principalmente pelo peaberry ou grão moka, que respondem por só 5% dos cafés no mundo. A torra, neste caso, também é feita com uma atenção especial. Isso porque o grão tem um formato mais arredondado e o calor penetra uniformemente, exigindo um pouco mais de cuidado para o café perfeito. O resultado é um espresso aromático com notas remanescentes de maçãs, passas, amoras e cassis.

Sugestão de degustação: Espresso (40 ml) ou com leite em um Latte Macchiato ou um Cappuccino.

Onde comprar?

Quer experimentar os cafés raros da nova série de Edição Limitada Nespresso? Eles estão disponíveis em todos os canais de venda: nas Boutiques, no telefone 0800 7777 737, no site www.nespresso.com e no aplicativo mobile gratuito disponível para IOS e Android.

Esses cafés raros são mais uma oportunidade de dar uma volta pelo mundo sem sair de casa, né? Quem gosta de cafés em cápsulas? Conta pra gente os seus preferidos e compartilhe com seus amigos pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Fotos: Nespresso/Divulgação

Compartilhe com seus amigos: