Drink de café com rum cubano é servido em espaço em SP

Se você gosta de drinks com café, vai gostar do Café al Fuego. Esse é o nome de um drink de café com rum cubano que é servido no Espaço Quai D´Orsay, um lugar dedicado aos amantes de charuto, em São Paulo.

Você vai gostar de ler:

Especialmente agora, com o tempo mais friozinho, a ideia é oferecer uma experiência diferente para quem aprecia café e também para os degustadores de charutos e suas harmonizações.

O Café al Fuego é um drink trazido pelo Club D’Orsay para São Paulo diretamente do Museo Del Ron, em Habana Vieja – Cuba. O drink de café com rum cubano é preparado com o legítimo Ron Dorado Legendario, além de café espresso brasileiro e leite vaporizado.

Leia também:

Espaço Quay D´Orsay

Endereço: Rua Haddock Lobo, 932 – Jardim Paulista, São Paulo – SP
Horário de funcionamento: Segundas-feiras aberto somente para membros; De terça até sexta-feira, das 15h à 01h; Sábados, das 15h à 00h.
Telefone: (11) 3582-4444

O drink de café com rum cubano parece interessante, não acha? Não experimentei, mas parece interessante e por isso achei legal compartilhar aqui. Conte sua opinião aqui em baixo, nos comentários.  

Foto: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Coffee Week Brasil 2018 ocorre de 10 a 26 de agosto

Falta pouco tempo para começar 0 Coffee Week Brasil 2018, considerado o maior festival de cafés do Brasil. O evento, que vai dos dias 10 a 26 de agosto, chega à sétima edição com o objetivo proporcionar experiências únicas com o nosso cafezinho, nas cidades de São Paulo e Curitiba.

Leia também:

Coffee Week Brasil 2018: o que esperar?

Como nas outras edições, os estabelecimentos participantes estão divididos em 2 categorias: Standard e Excellence. Na categoria Excellence, as cafeterias devem usar grãos de café nacionais e de qualidade no preparo das bebidas.

Z Coffee: cappuccino e torta fudge de chocolate (R$ 14,90) Foto: Divulgação

Todas as cafeterias participantes do Coffee Week Brasil 2018 oferecem combos a preços que vão de R$ 9,90 a R$ 14,90. Junto com o cafezinho tem o acompanhamento, que pode ser petit fours, doces, bolos, sanduíches, sorvetes e outras comidinhas.

Ao todo, o festival já impactou mais de 250 mil pessoas. Para esse ano, os estabelecimentos participantes esperam 50 mil pessoas.

Eurobike Café: espresso e quadradinho (R$ 9,90) Foto: Divulgação

Você vai gostar de ler:

Coffee Week Brasil 2018

Quando? De 10 a 26 de agosto de 2018
Onde? São Paulo/SP e Curitiba/PR
Clique aqui e consulte os estabelecimentos participantes

Participe do Coffee Week Brasil 2018. Já escolheu as cafeterias que você vai visitar? Conte nos comentários as suas preferidas e compartilhe usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto de destaque: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos:

Café especial da Chapada Diamantina é lançado pelo Grupo 3corações

Neste terça-feira, dia 31 de julho, o grupo 3corações lançou o microlote campeão do Concurso Nacional de Qualidade do Café da ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) no BIO, restaurante do chef Alex Atala, no Itaim Bibi, em São Paulo. O café especial da Chapada Diamantina faz parte da linha Rituais Microlotes, nova aposta da marca.

Rituais Microlotes e o café especial da Chapada Diamantina

O café vem da Fazenda Divino Espírito Santo, localizada em Piatã, na Bahia. Letícia Conceição é a produtora do café da variedade Catuaí, produzido a 1.350m de altitude e processado por meio do método cereja descascada, que  consiste em descascar e despolpar o café antes da secagem.

Microlotes são cafés com volume mínimo de uma saca de 60kg e máximo de 21 sacas, tratados com o máximo cuidado pelo produtor, e desenvolvem características particulares, que variam de acordo com a safra, variedade, microclima e processamento.

Os cafés vencedores do concurso da ABIC são comercializados por leilão. Nesse caso, o grupo 3corações adquiriu cada saca de café por R$ 9 mil. Para se ter uma ideia, o preço do café tradicional negociado na bolsa de valores é de R$ 500, em média.

Hoje a @3coracoes lançou seu microlote de café especial no @restaurantebio, com ninguém menos que Alex Atala, além de Letícia e Michael Conceição, produtores da safra especial premiada pela Abic, e Silvio Leite, consultor de qualidade com reconhecimento internacional. É muito bom ver uma empresa desse porte trazendo café de qualidade da Chapada Diamantina para o mercado brasileiro. “Se o café, até chegar na nossa mão, não tiver um profissional e um equipamento capacitados, todo trabalho anterior é jogado fora. Acho importante a gente valorizar isso, a cadeia do alimento, a cadeira do café”, reforça o chef @alexatala. O café é delicioso, surpreendente! Teve até sorvete de pão na chapa para harmonizar >> (Tem mais nos Stories) ☕️❤️ #umcafezinhopelomundo . . . 📸 @umcafezinho #umcafezinho #cafezinho #coffeelife #coffeelovers #coffeeexperience #coffeeholic #3coracoes #cafeespresso

Uma publicação compartilhada por umcafezinho.com.br 🇧🇷 (@umcafezinho) em

Leia também:

Sugestões de harmonização

Esse café especial da Chapada Diamantina é uma edição limitada. São apenas 40kg, que podem ser degustados no restaurante BIO em três diferentes métodos de extração: espresso, prensa francesa e V60, a partir de R$ 7 a xícara.

O café também pode ser adquirido pelos clientes em embalagens de 250g, em grãos ou moído na hora, por R$ 26. “A possibilidade de servir no restaurante Bio um café especial, de um produtor artesanal, mostra a comunhão entre a excelência e a demanda de mercado e também mostra o esforço conjunto de um grupo de profissionais que querem atingir a excelência”, diz Alex Atala. Para uma experiência mais interessante, o restaurante BIO oferece opções de harmonização. Com o método V60, a sugestão é de pão de mandioca na grelha; Com a Prensa Francesa, pão de queijo tradicional; e com o espresso, bolo de mandioca com goiabada ou ainda o inusitado sorvete de pão na chapa. O café é encorpado, com acidez média, notas delicadas de especiarias e sabores doces que remetem à caramelo e estará disponível no BIO enquanto durarem os estoques.

Restaurante BIO

Av. Horácio Lafer, 38 – Itaim Bibi, São Paulo – SP
Aberto todos os dias, das 8h às 23h.
Telefone: (11) 3071-1968

O que achou do lançamento? Legal ver uma empresa desse porte investindo em café de qualidade para o mercado nacional, não? Deixe sua opinião nos comentários. 

Fotos: Douglas Asarian / Instagram: Fernanda Haddad ©

Compartilhe com seus amigos:

Cafeteria da Amélie Poulain, em Montmartre, Paris

Se você gosta de cinema, acho difícil que não conheça o filme francês O Fabuloso Destino de Amélie Poulainprotagonizado pela atriz Audrey Tautou. Com direção de Jean-Pierre Jeunet, a história se passa no charmoso bairro de Montmartre, em Paris, onde a fica o Café des Deux Moulins, a cafeteria da Amélie Poulain. Neste artigo, vou contar um pouquinho do que eu vi por lá. Será que vale a pena?

Leia também:

Café des Deux Moulins: a cafeteria da Amélie Poulain

Minha lista de cafeterias para visitar em Paris, era extensa (continua sendo, já que não deu tempo de finalizar) e esse era um dos lugares que eu, uma fã do filme, mais queria visitar. A sensação é mesmo de estar no cenário do filme e, logicamente, é cheio de turistas.

A parada foi para o café da tarde. Nas fotos, parece noite, mas era inverno e escurece mais cedo mesmo. Eles têm várias opções para café, almoço e jantar, mas como tínhamos acabado de comer, então ficamos apenas com um cappuccino (para mim – 5,50 euros) e um chocolate quente (para minha irmã – 4,50 euros). Mas, fiquem tranquilos…  Tem creme brulée.

[Paris 🇫🇷] – “Bonjour, Amélie!”. Se você gosta de cinema, sabe onde é essa foto. “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” é um filme de 2001, lindo, cheio de significados que valorizam a simplicidade e com uma trilha sonora incrível (procurem no YouTube). Esse é um dos filmes que eu mais amo, gente! A escolha foi um cappuccino (5,50€) é um chocolate quente (4,50€). Não deu para comer o crème brulèe e quebrar a casquinha porque não cabia, mas tem! 😍 Vale a visita! 📍15 Rue Lepic, 75018. De segunda a sexta, das 7h30 às 2h. Sábados e domingos, das 8h às 2h. #UmCafezinhoPeloMundo ☕️❤️💚 Quem já foi? Nos destaques dos Stories tem mais das cafeterias pelo mundo, vai lá ver! 😉

Uma publicação compartilhada por umcafezinho.com.br 🇧🇷 (@umcafezinho) em

Aí você me pergunta: vale a pena ir à cafeteria da Amélie Poulain? Eu te respondo: se você gosta do filme e quer perambular pelo bairro e parar para comer alguma coisa gostosa e tomar um cafezinho, almoçar, jantar… Sim. Agora, se você nem gosta do filme e tem um paladar muito exigente para o café, não vá. Paris tem opções de lugares que servem apenas cafés especiais, mas eu não gosto de me limitar a eles, como já expliquei aqui no blog.

Também não vale comparar o cappuccino na França com o cappuccino italiano, tá? Isso em qualquer lugar na França! Temos que considerar que cada país tem suas preferências e adaptações AND que nem todo mundo sabe fazer bem a receita original do cappuccino italiano, mesmo na Itália.

No mesmo bairro ficam pontos turísticos como o Moulin Rouge e a famosa e linda igreja Sacré-Coeur. Prepare as pernocas para caminhar bastante e subir escadas e ruas mais íngremes. Vale a pena e você poderá comer o creme brulée e quebrar a casquinha sem culpa (quem já viu o filme sabe do que eu tô falando!).

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Um filme que fala sobre sonhos e sobre valorizar as coisas mais simples da vida. A fotografia e a trilha sonora são os quesitos que mais me encantam.

Estranho o destino dessa jovem mulher, privada dela mesma, porém, tão sensível ao charme das coisas simples da vida… – Frase do filme

Amélie foi criada isolada do mundo, em casa. Quando adulta, ela começa a trabalhar como garçonete no Café des Deux Moulins. Um belo dia, ela acha uma caixa com brinquedos antigos do ex-morador do seu apartamento. Ela decide procurar por ele para devolver, de forma anônima. Ao ver a felicidade dele com seus objetos de infância, Amélie percebe que pode tornar a vida das pessoas a sua volta mais feliz, com pequenos gestos. Esse passa, portanto, a ser o sentido da sua vida.

Veja o trailer (tem no Netflix):

Café des Deux Moulins

15 Rue Lepic, Paris > > > (LEVE SEU BICHINHO, é PETFRIENDLY)
De segunda a sexta-feira, das 7h30 às 2h. Sábados e domingos, das 8h às 2h.
Metrô | linha 12 – estação pigalle ou linha 2 – estação blanche

Você vai gostar de ler:

E aí, deu vontade de conhecer a cafeteria da Amélie Poulain, em Paris? Coloque no seu roteiro de viagem. Gostou da dica? Me conte aí em baixo e compartilhe usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Fotos: Fernanda Haddad ©

Compartilhe com seus amigos:

Caffè degli Specchi está na praça principal de Trieste desde 1839

Hoje eu trago aqui a última das cafeterias históricas que visitei em Trieste, na Itália. O Caffè degli Specchi (Café dos Espelhos, em português) foi fundado em 1839 e hoje é o único café da praça principal da cidade: a Piazza Unità d’Italia. A Itália tem muitas praças lindas, mas, como essa, não encontrei por enquanto. Ela é em formato de U e, logo em frente, a vista é para o mar.

Você vai gostar de ler:

Visitar o Caffè degli Specchi é como voltar no tempo

Mesmo durante o inverno, as mesas externas do Caffè degli Specchi – que contam com aquecedores e mantinhas nas cadeiras – chamam a atenção na praça. A decoração é deslumbrante e o cardápio de doces e cafés é super variado, mas as outras refeições também podem ser feitas por lá porque tem um restaurante. O século é o XXI, mas a sensação é mesmo de estar lá no Século XIX, durante o de Império Habsburgo.

Muita história aconteceu por lá. Isso porque o local era o escolhido para encontros importantes entre intelectuais, oficiais, artistas e escritores da época, como como Joyce e Svevo. Além disso, o café era cenário de concertos dirigidos por Franz Lehar, um dos maiores compositores austríacos, que se mudou para Trieste.

A origem do nome vem de uma tradição de gravar eventos históricos em placas de vidro ou espelhos. Poucos deles ainda existem.  No período pós-guerra, o Caffè degli Specchi tornou-se a sede da marinha britânica. 

Hoje, o espaço está sob comando da família Faggiotto, que também é reconhecida pela produção de chocolates artesanais italianos.

Leia também:

Caffè degli Specchi
Piazza dell’Unità d’Italia, 7.
Funciona todos os dias, das 8h às 23h.

O que achou do Caffè degli Specchi? Vale a pena colocar no seu roteiro de viagem na próxima ida à Itália. A cidade está cheia de cafeterias bacanas. Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários e conte para os seus amigos nas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Foto de destaque: Depositphotos/Foto do post: Fernanda Haddad©

Compartilhe com seus amigos:

Caffè Tommaseo, o círculo dos eruditos, em Trieste

O Caffè Tommaseo é um dos lugares mais lindos que eu já pisei na vida. Eu tinha pouco tempo na cidade de Trieste e esse foi um dos 3 cafés históricos da cidade escolhidos para visitar. O primeiro, eu já contei aqui no blog. Foi o Antico Caffè San Marco, que chegou a ser destruído no período de guerra, mas foi restaurado e hoje abriga também uma linda livraria. Saindo de lá, fui ao Tommaseo, o mais antigo da cidade, que me foi indicado pela Anna Illy, neta do fundador da illycaffè, motivo da minha ida até lá.

Um pouco da história do Caffè Tommaseo

Fundado em 1830 por Thomas Marcato, conhecedor de arte de Pádua, o Caffè Tommaseo fica ao lado da Piazza Unità d’Italia, um dos pontos turísticos da cidade. O nome do lugar vem de Niccolò Tommaseo, herói da República de San Marco (1848-1849). Há quem diga que Carolina Bonaparte, irmã mais nova de Napoleão e esposa do general Joaquim Murat, compraram o local em segredo.

Você vai gostar de ler:

Segundo informações oficiais, Thomas Marcato chegou a Trieste para trabalhar e foi o primeiro a introduzir o consumo de sorvete na cidade. Ele abriu o café e, com o passar dos anos, o espaço passou por algumas renovações, mantendo a inspiração no estilo tradicional dos cafés vienenses.

Apelidado de “La conventicola dei dotti” (O círculo dos eruditos), o local era frequentado por nomes como Svevo, Joyce, Stuparich, Quarantotti Gambini, Franz Kafka e Umberto Saba. Além de artistas, intelectuais e advogados, o Caffè Tommaseo também era ponto de parada dos banqueiros da Bolsa de Valores.

Atualmente, ele está sob gerência de Enoteca Bischoff, tradicional na cidade de Trieste desde 1777. Sem deixar a cafeteria histórica de lado, vinhos de alto nível estão disponíveis para os clientes, que podem aproveitar o lindo espaço para todas as refeições.

Caffè Tommaseo
Piazza Tommaseo 4,C
O café funciona de segunda a domingo, das 10h às 22h. O restaurante funciona de terça a domingo, das 12h às 15h e das 19h às 22h.

Gostou de conhecer o Caffè Tommaseo, em Trieste? Conhece mais alguma cafeteria por lá para indicar? Deixe o seu comentário e compartilhe nas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto de destaque: Fernanda Haddad©

Compartilhe com seus amigos:

Café San Marco existe desde 1914, em Trieste

Eu amo cafeterias históricas e hoje vou levar vocês ao Café San Marco, um dos que visitei quando estive em Trieste, na Itália. Ele existe desde 1914 e, nessa época, a cidade fazia parte do império Austro-Húngaro. Esse espaço lindo era um popular entre os artistas, estudantes e intelectuais da época e chegou a ser destruído pelas tropas austro-húngaras durante a guerra, em 1915.

Há quem diga que, nesse período, o café chegou a abrigar austríacos que queriam fugir para a Itália. Escritores como Giani Stuparich e Virgilio Giotti eram clientes assíduos, assim como James Joyce, Italo Svevo e Umberto Saba.

Trieste é uma cidade que respira café. Por ser uma cidade portuária e de grande importância para a economia do país, inclusive recebendo cafés do mundo todo, é lá que fica a sede da illycaffè, uma das marcas de café mais importantes e tradicionais do mundo.

Leia também:

O Antico Café San Marco ficou bastante tempo fechado e foi só reaberto em 1997, depois de ser restaurado pela empresa de seguros Assicurazioni Generali.

Em 2013, o espaço ganhou ainda uma pequena livraria, que trouxe mais charme e cultura ao lugar, sem descaracterizar toda a história que carrega. Entre os livros, tem algumas mesinhas para quem quiser aproveitar o momento para o café, para turistar, trabalhar ou estudar.

As mesas são todas com tampo de mármore e pés de ferro fundido super trabalhados. Nas paredes, alguns afrescos do pintor Vito Timmel, molduras lindas com referência às folhas do pé de café e lustres maravilhosos.

No cardápio não tem só café, mas opções que servem bem todas as refeições. Fui para o café da tarde e provei o espresso e o cappuccino e também duas opções de doces. A vitrine é linda e difícil de escolher.

Antico Caffè San Marco
via Battisti, 18 Trieste
+39 0400641724
FUNCIONAMENTO: DE TERÇA A QUINTA, DAS 8H30 às 22h; sextas e sábados, das 8h30 à meia-noite e domingos, das 8h30 às 23h. às segundas-feiras é fechado.

Gostou de conhecer o Antico Café San Marco, em Trieste? Essa é apenas uma das cafeterias históricas na cidade. Conte sua opinião nos comentários e aguarde os próximos posts com cafeterias pelo mundo. 

Fotos: Fernanda Haddad ©

Compartilhe com seus amigos:

Café do Farol é a nova aposta do Suplicy Cafés Especiais

Que tal um cafezinho para apreciar uma vista maravilhosa de 360º da cidade de São Paulo? Eu estou falando do Café do Farol, no Farol Santander – 26º andar do Edifício Altino Arantes, nova aposta do Suplicy Cafés Especiais de presente pra gente. Nós fomos conhecer o local e o cardápio e agora vamos contar um pouquinho para vocês do que rola por lá.

Aproveitando sua força no mercado de cafés especiais em São Paulo, o Suplicy vem inovando a cada dia e adaptando o negócio de acordo com a região onde atua. No caso do Café do Farol, eles entendem que a pessoa vai para um momento de lazer, com mais tempo e, por isso, criaram um ambiente sofisticado e informal ao mesmo tempo.

Quando se trata de cafés, o Café do Farol serve um blend exclusivo para essa unidade e diversos métodos de preparo, incluindo também o Cold Brew Nitro, aquele que parece um chopp, mas é café. 

E mais: desenvolveram um cardápio assinado pelo chef Victor Dimitrow, com ingredientes frescos, naturais e orgânicos.  Tem Menu Executivo com preços a partir de R$ 42 (entrada + prato principal), além da versão kids por R$ 35 (com três opções de pratos a escolha e, de sobremesa, mousse de chocolate – abacate batido com cacau).

Clique aqui e confira o cardápio completo.

Salada de tomates, melancia com bloodmary, queijo de cabra e azeitona desidratada.

Leia também:

Aos sábados, tem o Brunch em duas versões: uma com nove pratos (R$ 85) e o Mini Brunch, com cinco itens (R$65). Ambos incluem água e uma bebida à base de café.

Para entrar no prédio, os visitantes devem adquirir ingressos. Os preços variam de R$ 15 (acesso à visita no 26º andar – Café + Mirante) até R$ 20 (acesso ao prédio todo).

Café do Farol por Suplicy Cafés Especiais

Endereço: Rua João Brícola, 24 – 26º andar – Centro

Horário de funcionamento: terça a sábado, das 09h às 20h; domingos, das 09h às 18h.

O Café do Farol também faz parte do Guia de cafeterias do blog Cappuccino e Cia. Veja aqui. 

O que você achou do Café do Farol? Já conhece? Colocou na sua listinha de novos lugares para conhecer? Conte pra gente sua opinião nos comentários. 

Fotos: Caio Ferrari

Compartilhe com seus amigos:

5 cafeterias para visitar em São Paulo

É legal ver o mercado de cafés especiais se expandindo e um reflexo disso é o número crescente de cafeterias. Em São Paulo, temos tantas lojas interessantes que fica difícil escolher somente algumas delas. Sem contar que, mesmo morando aqui, ainda tenho minha listinha de lugares para conhecer.

Assim, resolvi selecionar 5 das minhas preferidas e cada uma delas, além de bons cafés, tem motivos peculiares para estarem nesse post.

5 cafeterias para visitar em São Paulo

1 . Cantina SP

Localizada no Museu da Imigração, na Mooca, tudo por lá é agradável. Destaque para o espaço, que faz você esquecer que está no meio de uma cidade caótica. É um daqueles lugares que facilmente a gente passaria o dia inteiro.

Além disso, os itens do cardápio são produzidos por eles, tudo é muito fresquinho. O atendimento é incrível. De quebra, você ainda faz um passeio em um importante símbolo da história de São Paulo.

2 . Fora da Lei

Certo dia, um advogado, cansado de beber café ruim, se questionou sobre o sentido de seu trabalho e o impacto que aquilo causava em sua vida. Um cenário que parecia desfavorável foi, na verdade, a faísca para um grande projeto. Ele adaptou uma Rural e criou o Fora da Lei, um coffee truck na região da Av. Paulista, que carrega bons cafés e também nos transmite a alegria de quem ama o que faz.

O legal é que sempre tem novidade, a gente tem oportunidade de provar muitos cafés.  Indo lá também dá para aprender um pouco sobre o mundo cafeeiro, pois eles gostam muito de falar sobre o assunto. Gostam tanto que, cientes dos desafios, se dedicaram a investir tempo introduzindo gradativamente o café especial no dia-a-dia do pessoal da região.

É um daqueles lugares que consegue mudar o seu humor mesmo num dia muito ruim. Um verdadeiro respiro da cidade.

3 . 1268 Café

Outra cafeteria para visitar em São Paulo, também localizada em uma atração cultural, é o 1268. Fica na entrada do Museu Lasar Segall, na Vila Mariana, o que nos dá mais um motivo para visitá-los.

Entre bolos, salgados e até refeições, a gente encontra cafés da Bahia, o que é mais difícil de se ver em SP, onde grãos de Minas e Espírito Santo dominam. Dá para tomar café com calma. Eles têm o teto transparente e dá pra gente ficar vendo a chuva cair.

4 . Clemente

Essa é uma cafeteria especial para mim. Foi uma das que me inspirou a tomar a decisão de mudar de profissão e me tornar barista. Quando fui lá a primeira vez, deu para perceber que cada detalhe foi bem pensado e feito com muito carinho.

Uma portinha na Vila Clementino, que brilha por causa do cheirinho de café e pelo bom atendimento. Prova de que espaço não é limite para serviço de qualidade.

Na frente tem lugar para sentar bem em baixo de uma árvore. Super gostoso para tomar um espresso tônica num dia de calor.  O Tofu, meu cachorro, também adora ir lá. Fica ali na sombra, descansando, enquanto eu tomo meu café.

5 . King of the Fork (KOF)

Muitos de você talvez já conheçam o KOF, mas eles não poderiam ficar de fora do meu top 5. Além de ser um lugar super gostoso, com quintal e tudo, eu bebo cafés incríveis e como muito bem!

Para quem segue o veganismo, do mesmo modo que eu, tem boas opções de comida. Já estou aqui pensando no pão sem queijo e latte com leite de coco da casa. Huuummm…

Dependendo do horário é bem movimentado. A qualidade e bom atendimentos dos baristas é impecável. Eles são um bike café, então para quem pedala tem mais uma razão para dar um pulo até lá. Eles também possuem produtos relacionados ao esporte.

Essas são as cafeterias para visitar em São Paulo que eu sugiro. Vocês já conhecem? Qual outra cafeteria acrescentariam na lista?

 

Cinthia Bracco é filha e neta de boleira e salgadeira. Atuou por 9 anos nas áreas de Marketing e Comunicação, mas não conseguiu fugir de seu destino. Assim como a mãe e a avó ingressou na área de gastronomia depois de ter se apaixonado pelo café. Em Novembro de 2016 tornou-se barista profissional e hoje está trabalhando em um dos maiores projetos de sua vida: ter a própria cafeteria. É vegana, adora comer, tem um Bull Terrier chamado Tofu e é fã de ficção científica, especialmente Battlestar Galáctica.

Foto de destaque: Depositphotos/ Fotos do post: Cinthia Bracco

Compartilhe com seus amigos:

Gran Caffè Defilla funciona desde 1914, em Chiavari

O Gran Caffè Defilla foi a primeira cafeteria histórica que conheci neste retorno à Itália. Fica no centro histórico da cidade de Chiavari, na costa da Ligúria, região bastante badalada durante o verão europeu especialmente. As praias são lindas e, independentemente da época que você for visitar, não tem como não gostar.

A história do Gran Caffè Defilla

O Gran Caffè Defilla foi fundado em 1914 por Gaspero Defilla, integrante de família vinda da Suíça para a Itália. Ele comprou o restaurante dos irmãos Sanguineti e começou, então, a reestruturar o espaço, que conta com 15 lindas e grandes janelas com vista para as arcadas do Corso Garibaldi.

 Frequentado pela burguesia, políticos importantes e pelos intelectuais do começo do século XX, o lugar é ainda hoje conhecido pelos produtos e serviço de alta qualidade mesmo tendo passado por diversos donos.

O café é divido em salas, todas bem decoradas no estilo clássico e floral e mesas em madeira, além dos candelabros de vidro do final do século XIX. Destaque para a sala de chá e a enoteca, que foi implantada algum tempo depois, e que hoje oferece bons rótulos para degustar ali ou levar para casa. Na calçada também há mesas com aquecedores no período de inverno.

O cardápio é farto não só de cafés, acompanhamentos e vinhos, mas de boa comida também. Vale a parada para qualquer refeição do dia. Na confeitaria, destaco a torta de maçã com sorvete de baunilha (famosa!) e todos os doces com chocolate (só porque eu amo chocolate). O cappuccino, o chocolate quente e o toast de queijo são maravilhosos!

Leia também:

Gran Caffè Defilla

Endereço: Corso Garibaldi, 4 – Chiavari (Ge)

Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 7h30 a meia-noite. Aos feriados, podem ocorrer alterações.

Telefone: +39 0185 309829

Conte nos comentários a sua opinião sobre o Gran Caffè Defilla. Tem vontade de conhecer? Já visitou? Coloque no seu roteiro de viagem para a Itália. Ali no canto direito você pode fazer a sua reserva de voo e hospedagem pelo Booking. Facilitamos a sua vida e você ajuda o blog a continuar trazendo conteúdos interessantes sobre as cafeterias históricas pelo mundo. Vai compartilhar? Use a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Fotos: Fernanda Haddad ©

Compartilhe com seus amigos: