Qual o melhor moedor de café para ter em casa?

Qual o melhor moedor de café para usar em casa? Essa é a dúvida do Fabiano Rampazzo, que enviou uma mensagem pelo Instagram pedindo uma ajudinha antes de comprar o seu.

Moer o café antes do preparo faz muita diferença no resultado da bebida e proporciona uma experiência completamente diferente quando se trata de qualidade de aromas e sabores. Se você não acredita, te convido a fazer o teste. Aí, você me pode me dizer: “ah! Não tenho moedor de café e é muito caro”.

Olha, existem boas opções a preços acessíveis. Para se ter uma ideia, a partir de R$ 60 você consegue comprar um produto legal e arrisco dizer que talvez nunca mais consiga tomar café de outra forma.

Você vai gostar de ler:

Vamos fazer um comparativo de alguns produtos disponíveis no mercado para te ajudar a escolher a opção de melhor custo-benefício para o seu uso:

Compare e descubra qual o melhor moedor de café para ter em casa

Quando se trata de tipos de moedores, temos o moedor manual, que exige mais paciência e disposição, e o moedor elétrico, que ganha pela praticidade, mas deixa escapar um pouco das características sensoriais do café, já que produz mais calor durante o processo. Confira 5 opções:

1 . Moedor de café manual em inox e cerâmica 

Essa é uma opção de moedor de café manual interessante para os iniciantes, para os que não querem investir muito logo de cara e para viajantes também porque é portátil e não precisa de energia elétrica.

Ele é de aço inoxidável e o uso é simples: basta colocar o café, ajustar a lâmina de acordo com a granulometria desejada, fechar e girar  a manivela. Se você gosta de curtir o ritual do café e fazer isso manualmente não é um problema, vá em frente.  | Clique aqui para comprar

2 . Moedor de Café di Grano, Cadence MDR302-127, Marrom

A segunda opção também é compacta, portátil e tem um bom custo-benefício para iniciantes. Esse produto moí 50 gramas de café por vez e atende bem a quem vai usar em casa ou mesmo levar pra viajar.

A diferença com relação ao primeiro é que ele é elétrico e, por isso, mais prático para usar todos os dias. | Clique aqui para comprar

3 . Moedor de Café Manual Hario Slim

Aqui, temos uma alternativa de moedor de café manual para quem pode pode pagar um pouco mais, mas nem tanto. É portátil e dispensa o uso de energia.

Se você gosta de café, é possível que já tenha ouvido falar da qualidade dos produtos Hario. O ponto forte aqui são os níveis de moagem, que podem ser comparados aos elétricos de alto custo. | Clique aqui para comprar

4 . Moedor de Café 220V, Bialetti

Esse já é um moedor de café elétrico também para quem está disposto a pagar um pouco mais, mas nem tanto assim. A Bialetti é uma marca italiana, que leva o nome do inventor da cafeteira mais popular lá na Itália, a moka.

Ele é portátil, de aço inoxidável, pintura eletrostática e comporta até 50g de café por vez. Aqui paga-se um pouco mais pelo design e pela marca. | Clique aqui para comprar

5 . Moedor Express 127V, Tramontina

Esse aqui é um sonho para ter em casa e exige um investimento maior, mas não é impossível. É um moedor elétrico em aço inox escovado, com funil de 450 gramas para grãos, tela em LCD para exibir o número de doses ou xícaras, possibilidade de configuração do tipo e do tempo de moagem, além de ter o moedor com brocas cônicas.

São 60 configurações de moagem e um limitador de dosagem que ajuda a precisar a quantidade de café na hora do preparo da bebida. | Clique aqui para comprar

Agora já dá para saber qual o melhor moedor de café para você, certo? Avalie considerando o que cada um oferece frente à sua necessidade hoje. O que achou das recomendações? Você usa algum desses em casa? Compartilhe sua experiência aqui.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão, faça como o Fabiano e escreva pra cá. Quem sabe sua questão não rende um post aqui também e ajuda mais pessoas? 

Foto de destaque: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos:

Xícaras feitas com borra de café são feitas por startup alemã

A borra de café pode ser reaproveitada de muitas maneiras. O designers por aí estão usando e abusando da criatividade para nos oferecer soluções lindas e sustentáveis. Essa é, aliás, uma característica forte desses produtos porque a matéria-prima vem de um material que iria para o lixo. Engana-se quem pensa que, por isso, a estética é prejudicada, como é o caso dessas xícaras feitas com borra de café. Vou falar sobre esse e outros produtos a seguir:

Acessórios, louças e xícaras feitas com borra de café

Sendo o café a segunda bebida mais consumida do mundo, dá pra imaginar o quanto de borra de café é descartada todos os dias no mundo? A startup alemã Kaffeeform é a responsável pela criação dessas louças e xícaras feitas com borra de café desde 2015.

O designer Julian Lechner passou 3 anos desenvolvendo o produto, que é composto também de serragem de madeira sustentável e cola natural. Além de resistir à máquina de lavar louça, os itens têm um leve cheirinho de café.

Assista:

Os preços variam de 15 a 20 euros, mas, por enquanto só são vendidos na Europa.

Você vai gostar de ler:

Marca brasileira investe em biojoias e itens de decoração feitos à partir da borra de café

A Recoffee Design é uma marca brasileira que aposta na borra de café para fazer seus produtos. O café que iria para o lixo é misturado com aglutinantes naturais para a confecção de biojoias, peças de decoração e até revestimentos para acabamento de construção.

A Recoffee Design tem um e-commerce e os produtos são entregues em todo o Brasil. O preço dos brincos, por exemplo, varia de R$ 95 a R$ 185. Itens de decoração estão disponíveis a partir de R$ 35.

A criatividade e a inovação podem nos fazer ver até um simples cafezinho de outra forma, nos ajuda a enxergar além. Quem disse que material reaproveitado não pode ter design de qualidade? Não são lindas esses produtos e xícaras feitas com borra de café? Conte sua opinião nos comentários. 

Fotos: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Café e tecnologia

Não tem muito tempo, a gente falou um pouco das ondas do café. Na ocasião, quando comentamos sobre a 4a onda, que está por vir, foi inevitável não citar a tecnologia. Ela está presente em praticamente tudo, inclusive na nossa xícara de café. Hoje, vamos falar um pouco dessa relação entre café e tecnologia. 

Café e tecnologia: o que esperar dessa relação?

Um estudo divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em janeiro deste ano, intitulado A Cultura do Café: Análise dos Custos de Produção e da Rentabilidade nos Anos-Safra 2008 a 2017,  aponta a tecnologia como grande responsável no amento da produtividade do café.

O uso de máquinas para a colheita e novas técnicas de cultivo são exemplos de otimização. Os cafés especiais não ficam de fora. Segundo o produtor Adolfo Vieira Ferreira, da Fazenda Passeio, os ganhos também são perceptíveis na qualidade da bebida. Ele tem instalado em sua fazenda um laboratório de análise sensorial. Isso é  importante para quem pretende focar no mercado de especiais. Ele acredita que uma planta sadia, cultivada com a ajuda da tecnologia, rende grãos de melhor qualidade. Com isso, os consumidores também saem ganhando.

Indo agora para a outra ponta da cadeia, nas cafeterias, essa semana vi algo na internet que foi o que me motivou a escrever este texto: um robô coando café no Japão! Ao mesmo  tempo em que isso me fascina (adoro robôs!), me preocupa. Afinal, um robô barista que além de coados também opera a máquina de espresso, não precisa de VR/VT, não reclama e, até onde a gente se espera, não vai maltratar o cliente. Parece ser um bom negócio.

Não é de hoje que a gente vê máquinas substituindo humanos. O que há anos atrás não passava de ficção, hoje faz parte da nossa realidade. A tecnologia também está na casa das pessoas. Pequenas máquinas capazes de extrair um bom espresso, moedores, torradores e, principalmente, informação.

Porque, então, ao mesmo tempo que isso acontece, a gente também vê uma cafeteria nova a cada dia e, principalmente, baristas entusiasmados em se desenvolverem e insistindo em se manterem em uma profissão incrível, porém desvalorizada?

Eu mesma, barista, não sei muito bem responder a essa pergunta. Da minha parte, estou na profissão porque simplesmente adoro o que eu faço e vejo que muitos colegas compartilham desse meu sentimento. Provavelmente a gente vai dar um jeito de aliar o novo ao artesanal, esperando que sempre haja alguém fã do café old school. Está aí o disco de vinil, vivo até hoje.

Por outro lado, com todas essas facilidades ao nosso alcance e com relacionamentos cada vez mais online, o que vai motivar as pessoas a frequentarem uma cafeteria no futuro? Especialmente nas grandes capitais, onde a gente percebe em muitas pessoas quase que uma aversão ao contato humano. Essa conversa até me faz pensar no Wall-E, aquela animação da Pixar, lembram?

Podemos até falar de tendências, mas o futuro ninguém sabe. Por enquanto o cenário do café é muito positivo no Brasil. Tem muitos profissionais excelentes suando a camisa – e, provavelmente, usando a tecnologia – para garantir a qualidade em nossas xícaras.

Sinceramente, eu não consigo imaginar um mundo sem cafeterias feitas por humanos, nas quais em cada extração vai haver um pouquinho do amor que a gente tem pelo café. Um robô barista é super legal, mas no final das contas a gente sabe o que vai acontecer: vão querer, de alguma forma, humanizá-lo.

Leia também:

Gostaram da ideia do robô barista? O que acham dessa junção entre café e tecnologia? E hoje, o que motiva vocês a frequentarem cafeterias? Contem nos comentários.

 

Cinthia Bracco é filha e neta de boleira e salgadeira. Atuou por 9 anos nas áreas de Marketing e Comunicação, mas não conseguiu fugir de seu destino. Assim como a mãe e a avó ingressou na área de gastronomia depois de ter se apaixonado pelo café. Em Novembro de 2016 tornou-se barista profissional e hoje está trabalhando em um dos maiores projetos de sua vida: ter a própria cafeteria. É vegana, adora comer, tem um Bull Terrier chamado Tofu e é fã de ficção científica, especialmente Battlestar Galáctica.

Foto: Depositphotos

Compartilhe com seus amigos:

illy lança cafeteira italiana de alumínio no Brasil

Quem aí gosta de preparar um cafezinho na cafeteira italiana? Confesso que a mokinha é um dos métodos de preparo que eu mais faço em casa e amo. Aprendi a fazer direitinho mesmo, lá na Itália, no ano passado e, desde então, não parei mais. Essa da foto é a nova cafeteira italiana de alumínio que a illycaffè está trazendo para o Brasil.

A cafeteira é obra idealizada pelo designer Michele de Lucchi em parceria com a marca de utensílios Alessi. A Pulcina, como é chamada, é cheia de curvas, com o cabo e o topo na cor vermelha.  Um design super diferente para embelezar o seu cantinho do café. A mokinha tem capacidade para fazer até 6 xícaras de café por vez.

O alumínio é um excelente condutor de calor e o preparo do café pode ser em fogões a gás, elétricos e vitrocerâmicos. O formato interno permite que o aquecimento e a filtragem ocorram no momento ideal, garantindo as qualidades da bebida.

A Pulcina é obra do designer Michele de Lucchi em parceria com a marca de utensílios Alessi, também italiana.

A nova cafeteira italiana de alumínio da illy pode ser encontrada no showroom em São Paulo e também na loja virtual da marca por R$ 272,00*.

Showroom illycaffè em São Paulo

Endereço: Rua Bela Cintra, 1870, Cerqueira César.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h30; Aos sábados, das 11h às 17h; Aos domingos, é fechado.

Telefone: +55 (11) 3087-3888.

*O valor foi checado na data de publicação e pode sofrer alterações.

Você vai gostar de ler:

O que achou da cafeteira italiana de alumínio da illycaffè? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe com os amigos pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Fotos: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Qual é a melhor cafeteira espresso? Proteste responde

As cafeteiras de espresso estão cada vez mais populares no mercado brasileiro. Máquinas novas surgem o tempo todo, seja para quem gosta das cápsulas de café ou mesmo o pó. Mas, qual é a melhor cafeteira espresso? A Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, fez uma avaliação com as seis marcas mais vendidas do mercado, sendo que cinco delas usam cápsulas e uma usa o pó de café.

Você vai gostar de ler:

Avaliação: qual é a melhor cafeteira espresso?

Antes de falar sobre os critérios e os resultados do teste, vale pontuar que foram vendidas 650 mil unidades de máquinas de café espresso de dezembro de 2015 a dezembro de 2016. Um número expressivo que movimenta o mercado e a concorrência, ajudando a tornar os preços mais acessíveis.

Os modelos testados foram: Nespresso C60, Nespresso Prodigio, Arno Movenza, Delta Q Evolution, Três Corações Versa e Oster BVSTECMP55.

Foto: Oster BVSTECMP55/Divulgação

De todas, a marca Oster é a única que tem o tubo para a função de vapor, além de possibilitar fazer dois cafés ao mesmo tempo. Dos manuais, o mais completo foi o da Nespresso C60.

Todas as máquinas de café espresso testadas têm bons reservatórios de água, com capacidade média de 800 ml.

 

Confira os outros critérios:

Segurança

Nenhuma das máquinas de café espresso avaliadas apresentou risco de choque elétrico ou queimaduras.

Limpeza

Todos os modelos testados são fáceis de limpar e não apresentaram dificuldades nesse sentido.

Consumo de energia

Os modelos de máquina de café avaliados não usam muita energia. Dependendo do mês e da frequência de uso, o resultado do teste é de um gasto médio de R$ 0,50 a R$1,80 por mês em eletricidade.

Velocidade

Para esse teste, foram tirados dois cafés espressos. Considera-se aqui o tempo de preparo, contando com o aquecimento da água. Por isso, o primeiro café levou, em média, um minuto para ser preparado e o outro, trinta segundos. Todas as marcas avaliadas foram bem.

Temperatura

Quanto à temperatura, apenas a Nespressco C60 foi muito bem avaliada. A máquina preparou os dois cafés dentro da temperatura adequada (entre 64º C e 70º C).

Crema

A crema é aquele creme que fica em cima do café espresso. Esse é um critério para avaliar se o café foi bem tirado da máquina: é bom se ele for espesso e duradouro. Nesse teste, a Nespresso C60 também foi a melhor avaliada.

Afinal, qual é a melhor cafeteira espresso? A seguir, veja o resultado:

Resultado da pesquisa da proteste

Foto: Nespresso C60/Divulgação

Dentre os quesitos avaliados, a cafeteira com melhor pontuação foi a Nespresso C60, seguida pela Oster. A marca que ficou com a nota mais baixa foi a Três Corações, mas ainda assim com boa avaliação. Os resultados, no geral, mostram produtos fáceis de usar e que gastam pouca energia.

Leia também:

A Proteste faz ainda um alerta para o consumidor: tenha atenção ao pagar mais por funções desnecessárias. A Nespresso Prodigio, por exemplo, oferece a possibilidade de fazer café de forma autônoma. Porém, para programar a máquina para fazer apenas um café espresso, é preciso prepará-la antes, colocando cápsula e xícara nos devidos lugares.

Dicas de cuidado e manutenção com a máquina de café espresso em casa:

Depois de saber o resultado do teste de qual é a melhor cafeteira espresso, leia algumas recomendações para cuidar e manter bem a sua máquina de café espresso:

– Antes de comprar, verifique as dimensões da cafeteira e confira se ela cabe na sua casa. Marcas como a Oster e a Nespresso possuem cabos de alimentação de menos de 80 cm, o que pode limitar o posicionamento da máquina.

– Consulte os preços das cápsulas de café para o produto que deseja adquirir ou se há compatíveis, de outras marcas. Há máquinas com preços acessíveis com cápsulas mais caras, que podem não compensar no médio e longo prazo.

Evite receitas caseiras na hora de limpar sua máquina de café espresso. Siga as orientações de cuidados do manual do fabricante.

– Não deixe as cápsulas usadas com acúmulo de água. Isso pode facilitar a proliferação de micro-organismos.

– Deposite as cápsulas de café usadas em locais de coleta do fabricante ou em ecopontos autorizados na sua cidade.

Agora você já sabe qual é a melhor cafeteira de espresso e como usar a sua bem. Deixe um comentário e compartilhe usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Foto: Pixabay

Compartilhe com seus amigos:

Tomar café no trabalho ajuda a manter a produtividade

Muita gente tem o hábito de tomar café no trabalho. Tem gente que nem gosta tanto assim e diz tomar um cafezinho só para ficar acordado mesmo, para despertar, fazer o dia render, sabe? Eu, sinceramente, não entendo como isso é possível. Fato é que tomar café no trabalho ajuda (e muito) a manter a produtividade. Isso porque a bebida tem cafeína, uma substância estimulante que age diretamente no cérebro. Assim, o corpo fica em estado de alerta e isso colabora com a concentração.

Muitas pesquisas científicas comprovam essa informação. Uma delas, feita pelo Departamento de Psiquiatria e Psicobiologia Clínica da Universidade de Barcelona, na Espanha, assegura que o consumo de bebidas cafeinadas com glicose é capaz de melhorar o desempenho cognitivo, tanto quando se trata de atenção quanto quando se trata de memória.

De manhã, depois do almoço ou mesmo no fim da tarde, tomar um cafezinho pode fazer milagre. Além de dar mais disposição, melhorar a capacidade de atenção e também a memória, consumir o café acelera o metabolismo, uma ótima notícia para quem quer perder peso. O café também tem propriedades antioxidantes e ajuda a manter longe uma série de doenças.

Você vai gostar de ler:

Em geral, especialistas recomendam não passar da média de 3 a 4 xícaras de café por dia, mas, é claro que isso depende do organismo de cada um. Algumas pessoas são mesmo mais resistentes à cafeína, mas só uma avaliação feita por um profissional é que pode definir o limite de café e cafeína indicado para cada organismo.

Tomar café no trabalho pode ajudar a resolver melhor as pendências

O intervalo para café no horário de trabalho é um momento importante. Além descansar a mente, aquele minutinho que você para, levanta, vai trocar uma ideia com um colega, toma um café e volta para a mesa, pode ser tudo o que estava faltando para ajudar a dissolver aquele problemão que parecia impossível.

Você tem o hábito de tomar café no trabalho? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Foto de destaque: Pixabay

Compartilhe com seus amigos:

Máquina de café manual surpreende pelo design

Tem coisa mais linda do que essa máquina de café manual? Ela foi desenvolvida pela Strietman, uma empresa holandesa de produtos relacionados ao café, fundada por Wouter Strietman. A máquina é feita de forma artesanal, com o mínimo de tecnologia possível. Com ela, o processo é todo manual, o que dá a quem prepara o controle total diante do preparo do cafezinho. Uma simplicidade que encanta!

Você vai gostar de ler:

Máquina de café com design da Holanda

A máquina de café foi inspirada nas primeiras cafeteiras italianas de 1945, com tecnologia desenvolvida no período pós guerra. Não tem nada de botões nem telas, você controla a extração do cafezinho manualmente, na alavanca. Essa aí leva o nome de ES3 e é acoplada à parede, não é linda?

 

A máquina usa eletricidade para aquecer a água e você pode ajustar a temperatura de acordo com o método e o grão que preferir, equilibrando a acidez do seu café. A estrutura é feita em aço com detalhes em madeira e pesa, em média, 8 quilos, sem necessidade de manutenção frequente. (Inclusive, no site da empresa eles fornecem os passos para fazer a manutenção em casa). Esse modelo custa entre 1.350 euros e 1.380 euros.

Foto: modelo de máquina CT1

Outro modelo da marca, tão lindo quanto o primeiro, é o CT1, que tem as mesmas características do ES3, só que não precisa ser instalado na parede. A máquina CT1 custa 1.570 euros. Para compras fora da União Europeia, segundo o site, é cobrada uma taxa extra de 50 euros.

 

Modernidade e simplicidade com características do passado. Que coisa linda! Qual você prefere? Já pensou em ter uma máquina de café dessas em casa? Conte nos comentários e compartilhe com seus amigos usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.  

Fotos: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

5 opções de cápsulas de café reutilizáveis

Já ouviu falar das cápsulas de café reutilizáveis? Junto com a tendência dos cafezinhos individuais, eis que surge também uma nova oportunidade de mercado. Não tem como negar que os cafés em cápsulas viraram uma verdadeira febre no Brasil e no mundo. Com as cápsulas reutilizáveis, você escolhe o seu grão de preferência, coloca o café moído dentro, usa e lava para usar novamente.

Você vai gostar de ler:

Cápsulas de café reutilizáveis reduzem a produção de lixo

Confira 5 opções de cápsulas de café reutilizáveis disponíveis no mercado:

1 . MyCoffeeStar

Foto: Divulgação

Essa é uma cápsula de aço inox, que vem da Suíça, e a ideia é que você possa consumir o café que preferir, além de reduzir a produção de lixo, o que torna o produto uma opção super sustentável. Segundo o site que comercializa a cápsula, todos os nossos produtos são enviados do Brasil, livre de taxas de importação e sem fretes elevados de transporte.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso e Dolce Gusto.

Preço: de R$ 139,90 a R$ 349,90

Acesse o site da Ecoreciclos para comprar.

2 . Coffeeduck

Foto: Divulgação

A Coffeeduck é a líder em sistemas de café reutilizáveis. Segundo as instruções do site, para que o café saia bom na Nespresso ou na Senseo, é importante que esteja na moagem fina e seja torrado propriamente para espresso.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso e Senseo.

Preço: 14,95 euros

Acesse o site da Coffeeduck para comprar.

3 . WayCap

Foto: Divulgação

Outra alternativa para as cápsulas de café reutilizáveis é a WayCap. Segundo pesquisa da marca, usando a cápsula é possível economizar até 1 mil euros por ano, considerando o consumo de uma família de 4 pessoas.

Compatível com Nespresso.

Preço: de 11 euros a 209 euros (os kits estão disponíveis em site de financiamento coletivo e devem ser liberados até julho deste ano).

Acesse o site da WayCap para comprar.

4 . Ne-cap

Foto: Divulgação

A Ne-cap é uma solução que vem da Espanha e as cápsulas reutilizáveis são feitas de um material plástico próprio para suportar a temperatura das máquinas. Além disso, vendem cápsulas descartáveis para você colocar o café que preferir e também as cápsulas já cheias de café.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso e Dolce Gusto.

Preço: 10 euros (Nespresso); 12 euros (Dolce Gusto)

Acesse o site da Ne-cap para comprar.

5 . Tostio

Foto: Divulgação

A Tostio é uma marca 100% brasileira, com produtos desenvolvidos em aço cirúrgico de alta qualidade, além de opções feitas em alumínio. Segundo pesquisa da marca, é possível economizar cerca de R$ 1 mil por ano, considerando uma pessoa que consome até 2 cafezinhos por dia.

Opções compatíveis com as máquinas Nespresso, Dolce Gusto e Três Corações.

Preço: produtos de R$ 16 a R$ 389

Acesse o site da Tostio para comprar.

A Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) prevê que serão consumidas 16 mil toneladas de café por meio delas em 2019. Com isso, cresce a busca por alternativas mais sustentáveis e soluções mais “verdes”, inclusive vindas das próprias marcas, que estão trabalhando duro para estruturar um ciclo de reciclagem 100% eficiente.

Leia também:

O que achou das opções de cápsulas de café reutilizáveis? Já usou alguma delas? Divida com a gente sua opinião nos comentários e compartilhe com seus amigos nas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto de destaque: MyCoffeeStar/Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Capa de celular diferente faz café na hora

O smartphone já é praticamente parte do corpo da maioria das pessoas hoje em dia, não é? A notícia boa é que agora a gente não precisa mais se preocupar com aquela vontade louca de tomar café quando não tiver nenhuma cafeteria por perto. A Mokase é uma capa de celular diferente que faz café, não importa a hora nem o lugar.

Mokase: a capa de celular diferente vem da Itália

A ideia é dos designers italianos Luigi Carfora e Clemente Biondo, da Smart K. Eles se inspiraram justamente nesses momentos em que buscamos um cafezinho e não tem nenhum lugar por perto para matar a vontade.

Você vai gostar de ler:

O projeto está disponível em um site de financiamento coletivo, onde também é possível encontrar mais detalhes. A capinha tem menos de 1 cm de espessura e espaço para guardar um sache de café selado a vácuo. Ao acionar o comando por um aplicativo, o sache é aquecido e pode ser servido, abrindo uma espécie de “portinha” na capinha. Essa “portinha” rompe o  lacre do sache.

Veja o vídeo:

O capa de celular diferente tem uma bateria de lítio e pode aquecer cerca de 25 ml de café em até 8 segundos. Esse calor, por sua vez, não estraga o aparelho, segundo os desenvolvedores. Para recarregar, basta conectar a capinha a uma entrada USB.

São algumas versões disponíveis, compatíveis com Iphone 6, 6S e 7, além de opções para celulares Samsung e LG. O copinho, também criado por eles, é dobrável e pode ser usado como chaveiro. Legal, né? A primeira entrega está programada para setembro deste ano e o preço depende do kit escolhido. Acesse o site de financiamento coletivo.

Capa de celular diferente, cheia de design e ainda faz café? Que a ideia se multiplique. Gostou da ideia? Comente e compartilhe nas suas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Fotos: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Máquina de café illy Y5 conta com sistema de cápsulas

O café da marca italiana illy você certamente conhece. Muitas cafeterias do Brasil e do mundo servem esse cafezinho. O que é bom é que a marca tem também a máquina de café illy, disponível em vários modelos, para ter em casa com o sistema de cápsulas.

Você vai gostar de ler:

Máquina de café illy Y5: conheça as características

A máquina de café illy Y5 garante o café que você já conhece e a praticidade de degustá-lo quando quiser. O design é moderno e a máquina conta com comandos touch, que acionam as opções espresso normal e longo diretamente no painel, e a extração é encerrada automaticamente.

Os reservatórios de água e de cápsulas podem ser removidos pela frente, sem precisar de espaço adicional. A gaveta tem capacidade para 10 cápsulas e a altura da grelha é regulável, o que faz com que você não precise se preocupar com o tamanho da xícara. E mais: essa máquina é econômica e, quando ligada à tomada, poupa energia após 15 minutos de inutilização.

Além de design inovador, o sistema Iperespresso tem um sistema de cápsulas patenteadas, que é exclusivo e garante a qualidade da bebida e da crema. Entre as cápsulas disponíveis, você pode escolher torra média, torra escura, descafeinado e as monoarabicas.

Outros modelos de máquina de café illy

Iperespresso X7.1

A máquina Francis Francis X7.1 iperEspresso possui tecnologia avançada, incluindo thermoblock e vaporizador Pannarello, que espuma o leite para um latte ou cappuccino cremoso. A tecnologia da máquina permite que saia uma crema consistente. Disponível em 120v ou 230v.

 

Iperespresso Y1

Assim como as outras, essa máquina de café illy também chama a atenção pelo design. As cápsulas são extraídas automaticamente, embora a interrupção da extração seja manual. A superfície de apoio é regulável, tem controle de consumo de energia quando não está sendo usada e a gaveta tem capacidade para 7 cápsulas. Vencedora do prêmio red dot Design Award, ganhou o título de produto “best of the best 2011” na categoria de eletrodomésticos.

Onde comprar?

Os produtos illy podem ser encontrados na loja on-line da marca, lançada recentemente no Brasil: shop.illy.com.br

Leia também:

Já degustou a bebida da máquina de café illy? Conhece mais algum produto da marca? Conte nos comentários e compartilhe nas suas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.  

Fotos: Divulgação/illycaffè

Compartilhe com seus amigos: