illy lança cafeteira italiana de alumínio no Brasil

Quem aí gosta de preparar um cafezinho na cafeteira italiana? Confesso que a mokinha é um dos métodos de preparo que eu mais faço em casa e amo. Aprendi a fazer direitinho mesmo, lá na Itália, no ano passado e, desde então, não parei mais. Essa da foto é a nova cafeteira italiana de alumínio que a illycaffè está trazendo para o Brasil.

A cafeteira é obra idealizada pelo designer Michele de Lucchi em parceria com a marca de utensílios Alessi. A Pulcina, como é chamada, é cheia de curvas, com o cabo e o topo na cor vermelha.  Um design super diferente para embelezar o seu cantinho do café. A mokinha tem capacidade para fazer até 6 xícaras de café por vez.

O alumínio é um excelente condutor de calor e o preparo do café pode ser em fogões a gás, elétricos e vitrocerâmicos. O formato interno permite que o aquecimento e a filtragem ocorram no momento ideal, garantindo as qualidades da bebida.

A Pulcina é obra do designer Michele de Lucchi em parceria com a marca de utensílios Alessi, também italiana.

A nova cafeteira italiana de alumínio da illy pode ser encontrada no showroom em São Paulo e também na loja virtual da marca por R$ 272,00*.

Showroom illycaffè em São Paulo

Endereço: Rua Bela Cintra, 1870, Cerqueira César.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h30; Aos sábados, das 11h às 17h; Aos domingos, é fechado.

Telefone: +55 (11) 3087-3888.

*O valor foi checado na data de publicação e pode sofrer alterações.

Você vai gostar de ler:

O que achou da cafeteira italiana de alumínio da illycaffè? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe com os amigos pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Fotos: Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Qual é a melhor cafeteira espresso? Proteste responde

As cafeteiras de espresso estão cada vez mais populares no mercado brasileiro. Máquinas novas surgem o tempo todo, seja para quem gosta das cápsulas de café ou mesmo o pó. Mas, qual é a melhor cafeteira espresso? A Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, fez uma avaliação com as seis marcas mais vendidas do mercado, sendo que cinco delas usam cápsulas e uma usa o pó de café.

Você vai gostar de ler:

Avaliação: qual é a melhor cafeteira espresso?

Antes de falar sobre os critérios e os resultados do teste, vale pontuar que foram vendidas 650 mil unidades de máquinas de café espresso de dezembro de 2015 a dezembro de 2016. Um número expressivo que movimenta o mercado e a concorrência, ajudando a tornar os preços mais acessíveis.

Os modelos testados foram: Nespresso C60, Nespresso Prodigio, Arno Movenza, Delta Q Evolution, Três Corações Versa e Oster BVSTECMP55.

Foto: Oster BVSTECMP55/Divulgação

De todas, a marca Oster é a única que tem o tubo para a função de vapor, além de possibilitar fazer dois cafés ao mesmo tempo. Dos manuais, o mais completo foi o da Nespresso C60.

Todas as máquinas de café espresso testadas têm bons reservatórios de água, com capacidade média de 800 ml.

 

Confira os outros critérios:

Segurança

Nenhuma das máquinas de café espresso avaliadas apresentou risco de choque elétrico ou queimaduras.

Limpeza

Todos os modelos testados são fáceis de limpar e não apresentaram dificuldades nesse sentido.

Consumo de energia

Os modelos de máquina de café avaliados não usam muita energia. Dependendo do mês e da frequência de uso, o resultado do teste é de um gasto médio de R$ 0,50 a R$1,80 por mês em eletricidade.

Velocidade

Para esse teste, foram tirados dois cafés espressos. Considera-se aqui o tempo de preparo, contando com o aquecimento da água. Por isso, o primeiro café levou, em média, um minuto para ser preparado e o outro, trinta segundos. Todas as marcas avaliadas foram bem.

Temperatura

Quanto à temperatura, apenas a Nespressco C60 foi muito bem avaliada. A máquina preparou os dois cafés dentro da temperatura adequada (entre 64º C e 70º C).

Crema

A crema é aquele creme que fica em cima do café espresso. Esse é um critério para avaliar se o café foi bem tirado da máquina: é bom se ele for espesso e duradouro. Nesse teste, a Nespresso C60 também foi a melhor avaliada.

Afinal, qual é a melhor cafeteira espresso? A seguir, veja o resultado:

Resultado da pesquisa da proteste

Foto: Nespresso C60/Divulgação

Dentre os quesitos avaliados, a cafeteira com melhor pontuação foi a Nespresso C60, seguida pela Oster. A marca que ficou com a nota mais baixa foi a Três Corações, mas ainda assim com boa avaliação. Os resultados, no geral, mostram produtos fáceis de usar e que gastam pouca energia.

Leia também:

A Proteste faz ainda um alerta para o consumidor: tenha atenção ao pagar mais por funções desnecessárias. A Nespresso Prodigio, por exemplo, oferece a possibilidade de fazer café de forma autônoma. Porém, para programar a máquina para fazer apenas um café espresso, é preciso prepará-la antes, colocando cápsula e xícara nos devidos lugares.

Dicas de cuidado e manutenção com a máquina de café espresso em casa:

Depois de saber o resultado do teste de qual é a melhor cafeteira espresso, leia algumas recomendações para cuidar e manter bem a sua máquina de café espresso:

– Antes de comprar, verifique as dimensões da cafeteira e confira se ela cabe na sua casa. Marcas como a Oster e a Nespresso possuem cabos de alimentação de menos de 80 cm, o que pode limitar o posicionamento da máquina.

– Consulte os preços das cápsulas de café para o produto que deseja adquirir ou se há compatíveis, de outras marcas. Há máquinas com preços acessíveis com cápsulas mais caras, que podem não compensar no médio e longo prazo.

Evite receitas caseiras na hora de limpar sua máquina de café espresso. Siga as orientações de cuidados do manual do fabricante.

– Não deixe as cápsulas usadas com acúmulo de água. Isso pode facilitar a proliferação de micro-organismos.

– Deposite as cápsulas de café usadas em locais de coleta do fabricante ou em ecopontos autorizados na sua cidade.

Agora você já sabe qual é a melhor cafeteira de espresso e como usar a sua bem. Deixe um comentário e compartilhe usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Foto: Pixabay

Compartilhe com seus amigos:

Tomar café no trabalho ajuda a manter a produtividade

Muita gente tem o hábito de tomar café no trabalho. Tem gente que nem gosta tanto assim e diz tomar um cafezinho só para ficar acordado mesmo, para despertar, fazer o dia render, sabe? Eu, sinceramente, não entendo como isso é possível. Fato é que tomar café no trabalho ajuda (e muito) a manter a produtividade. Isso porque a bebida tem cafeína, uma substância estimulante que age diretamente no cérebro. Assim, o corpo fica em estado de alerta e isso colabora com a concentração.

Muitas pesquisas científicas comprovam essa informação. Uma delas, feita pelo Departamento de Psiquiatria e Psicobiologia Clínica da Universidade de Barcelona, na Espanha, assegura que o consumo de bebidas cafeinadas com glicose é capaz de melhorar o desempenho cognitivo, tanto quando se trata de atenção quanto quando se trata de memória.

De manhã, depois do almoço ou mesmo no fim da tarde, tomar um cafezinho pode fazer milagre. Além de dar mais disposição, melhorar a capacidade de atenção e também a memória, consumir o café acelera o metabolismo, uma ótima notícia para quem quer perder peso. O café também tem propriedades antioxidantes e ajuda a manter longe uma série de doenças.

Você vai gostar de ler:

Em geral, especialistas recomendam não passar da média de 3 a 4 xícaras de café por dia, mas, é claro que isso depende do organismo de cada um. Algumas pessoas são mesmo mais resistentes à cafeína, mas só uma avaliação feita por um profissional é que pode definir o limite de café e cafeína indicado para cada organismo.

Tomar café no trabalho pode ajudar a resolver melhor as pendências

O intervalo para café no horário de trabalho é um momento importante. Além descansar a mente, aquele minutinho que você para, levanta, vai trocar uma ideia com um colega, toma um café e volta para a mesa, pode ser tudo o que estava faltando para ajudar a dissolver aquele problemão que parecia impossível.

Você tem o hábito de tomar café no trabalho? Conte sua opinião nos comentários e compartilhe pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo.

Foto de destaque: Pixabay

Compartilhe com seus amigos: