Harmonização de cafés com queijos e brigadeiros

No dia 26 de janeiro, participei do workshop de harmonização de cafés com queijos e brigadeiros, promovido pela minha amiga Litiene Andrighetti, que está à frente do blog Cappuccino e Cia.

Esse foi um evento de alto nível, com degustação de cafés especiais premiados(alguns dos mais caros do mundo), queijos finos e, ao final, brigadeiros.

Continue a leitura até o final e saiba todos os detalhes dessa experiência super enriquecedora. 

Experiências Cappuccino e Cia: como foi a harmonização de cafés com queijos e brigadeiros

Com o tema pineapple, tudo era surpresa e a recepção foi com uma bela pinacolada sem álcool só para entrarmos no clima. 

Em seguida, todos foram vendadose conduzidos até o ambiente onde aconteceriam todas as experiências da tarde. 

Começamos degustando o café Geisha em 2 copinhos diferentes, ainda DE OLHOS VENDADOS. 

Ouvindo músicas também diferentes, tivemos uma experiência COMPLETAMENTE DIFERENTE tomando exatamente o mesmo café. Acredite! 

Em seguida, já sem as vendas, pudemos melhorar nossa percepção sobre acidez, amargor, doce e salgado, com uma dinâmica super interessante feita com várias gelatinas.  

A próxima atividade foi prática. Colocamos a mão na massa para preparar o próprio café em diversos métodos: Hario V60, Pressca, French Press, coador de pano, AeroPress e Pour Over (Bialetti).

Eu escolhi preparar o café na AeroPress porque era o único que eu ainda não havia feito, apesar de já ter degustado várias bebidas nesse método.  

Harmonizamos o café di pássaro, da Unique, com queijos suaves e o café Forquilha do Rio com queijos intensos, todos da Président, além de pão de queijo, da Formaggio Mineiro. 

Para finalizar, degustamos o Inspirazione Shakerato, da Nespresso, com os brigadeiros da Amor aos Pedaços. 

A escolha dos cafés para cada acompanhamento resultou numa experiência muito interessante e agradável. Além de ajudar a apurar o paladar, foi um momento divertido, informativo e que dificilmente não agradaria qualquer coffee loverdo mundo.  

Ao final, todos saímos com café e outros presentes para continuar a experiência em casa, sem contar o sorteio de uma linda moka da Bialetti, com as cores da bandeira da Itália, mas não fui eu a sortuda. 

O mais legal é que a proposta da Litiene é continuar com eventos como esse, porém nunca iguais, sempre cheios de surpresas. 

Leia também o texto sobre o evento no blog Cappuccino e Cia.

Se você gostou de saber como foi esse workshop de harmonização de cafés com queijos e brigadeiros, um novo evento vai ocorrer em São Paulo no dia 06 de abril, às 14h30. Para saber sobre inscrições, clique aqui. Você conhece alguém que vai gostar dessa dica? Compartilhe pelas redes sociais. 

Fotos: Fernanda Haddad | umcafezinho.com.br  ©

Compartilhe com seus amigos:

Café especial no mês do pais é grátis no Octavio Café

O Dia dos Pais é no próximo domingo, 12 de agosto, e eu tenho uma novidade maravilhosa para você que tem um pai que curte um pretinho básico: o café especial no mês dos pais é gratuito no Octavio Café. O mês TODINHO! Que tal convidar o seu pai para um café e oferecer esse presente?

Como retirar um café especial no mês dos pais gratuitamente para presentear?

Para participar e presentear seu pai, vá até alguma quatro das unidades do Octavio Café e peça o cartão-presente no caixa. Para validar, é só o seu pai apresentar após a degustação do café.

Além de ser café especial, o legal é que é possível escolher entre diversos métodos de preparo diferentes de café. Saiba mais sobre eles em seguida:

Métodos de preparo de café por infusão

  • Prensa Francesa: infusão de água e café, filtrado por um êmbolo de metal. Realça o corpo e mantém os óleos essenciais. Método que extrai o maior nível de cafeína.
  • Clever: combina infusão com gravidade, reforçando principalmente o corpo da bebida.
  • Turco*: fervido três vezes durante o preparo, oferece uma bebida intensa em corpo e sabor. Muito usado na “cafeomancia” é o método mais antigo de todos.

Métodos de preparo de café por gravidade

  • Cafeor: filtrado, sem papel, produz uma bebida doce, aromática e rica em óleos.
  • Kalita: apresenta um suporte para filtro que possui uma base alargada e três furinhos. A bebida, com acidez acentuada tem extração uniforme devido ao filtro em formato de ondinhas.
  • Hario V60: coador com relevos em espiral. Produz bebida limpa e suave, realçando as nuances do café. Criação japonesa, é a evolução do nosso coador de papel.
  • Coador de pano: filtra todos os sólidos. A bebida é afetada pelos sabores de outras extrações, que ficam no pano. É o mais comum entre os preparos no Brasil.
  • Chemex: sistema com design diferenciado e filtro triplo de papel. Produz bebida limpa, que realça acidez e aroma. Desenvolvido pela Bauhaus em 1941.

Métodos de preparo de café por pressão

  • Syphon Coffee*: mescla infusão e transferência térmica. Produz bebida potente e encorpada. Criado em 1840 durante uma expedição marítima francesa.
  • Moka Italiana*: a extração acontece através da pressão da água quando entra em ebulição, produz bebida densa e encorpada. Método caseiro mais consumido na Itália.
  • Aram: 100% brasileira, portátil, sem uso de energia elétrica ou cápsulas. Essa cafeteira une design e tecnologia para fazer um espresso incrível.
  • Aeropress: passa por infusão e pressão de ar em uma câmara cilíndrica. Resulta em bebida suave e aromática. Criado em 2005 por um inventor de brinquedos nos EUA.

(*) Esses métodos não estão disponíveis na unidade de Viracopos.

Octavio Café

Shopping Cidade Jardim
Av. Magalhães de Castro, 1200 – 3º piso
De segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 10h às 20h
Telefone: (11) 3198-9476
Flagship Faria Lima
Av. Brg. Faria Lima, 2996 – Jardim Paulistano, São Paulo – SP, 01451-000
Segunda a Sexta, das 07h às 21h, e aos sábados, das 10h às 19h
(11) 3074-0110
Shopping Eldorado
Av. Rebouças, 3970 – 1º Piso
Segunda a Sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 12h às 20h
(11) 2197-6308
Aeroporto Viracopos – Terra
Rodovia Santos Dumont, km 66 – Parque Viracopos, Campinas – Saguão de embarque
Segunda a Domingo, das 07h às 22h
(19) 3795-8546

Foto: Luís Simione/Divulgação

Compartilhe com seus amigos:

Cafés coados: diferenças entre métodos de extração

Tem dia que tudo o que a gente quer é o afago de um café coado na hora, não é mesmo? Por sorte, hoje em dia a gente consegue isso até estando fora de casa. Já são várias as cafeterias que disponibilizam os filtrados para seus clientes. Isso parece perfeito até o momento em que a gente entra na loja para pedir nosso café. Olhamos o cardápio e lá tem: Hario V60, Kalita, Aeropress, Prensa Francesa e por aí vai. Todos eles são cafés coados, mas feitos de formas diversas.

Arte: Cinthia Bracco

Ter diferentes métodos de preparo disponíveis é muito legal, pois cada um deles tem suas particularidades e a gente sente isso na xícara. Porém, nem sempre o barista explica as diferenças e nem sempre temos tempo para ouvir.

Resolvi falar um pouquinho dos principais métodos de extração que encontramos por aí. Assim,  da próxima vez, você já vai saber qual deles faz mais o seu estilo ou até mesmo o que esperar caso resolva provar algo diferente.

Leia também: 

Conheça os principais métodos de extração dos cafés coados

Hario V60

Hario é o nome de uma empresa japonesa que nasceu nos anos 20, fabricando artigos de vidro para laboratórios médicos. Hoje é muito conhecida no mundo do café pelos diversos tipos de produtos que desenvolveu para essa área.

Um de seus principais itens é o V60,  um equipamento muito similar ao Melitta visualmente. Porém, se a gente olhar bem, vai notar que a abertura da base é maior, que na parte de dentro tem linhas em espiral e que seus filtros são cônicos e mais porosos.

Resultado: uma bebida com doçura e, principalmente, acidez acentuadas.

Foto: Cinthia Bracco

Kalita Wave

Também de origem japonesa, a Kalita costuma encantar alguns coffee lovers. Quando a gente olha para ela, acha que também é um cone, mas chegando mais perto, percebemos que a base é achatada. Possui furos pequenos em forma de triângulo e relevos circulares na parte interior.

Outro diferencial é seu filtro, que lembra bastante uma forminha de cupcake. A ideia é que esse tipo de filtro previna o contato da água com as paredes do coador para manter ao máximo sua temperatura. O café tem que sair pelos três furinhos ao mesmo tempo e com o mesmo fluxo. A extração  desse método requer técnica e, por esse motivo, é considerado por alguns baristas uma das mais difíceis.

Resultado: café com acidez e doçura equilibradas.

Foto: Cinthia Bracco

Aeropress

Desenvolvida nos EUA por Alan Alder, um especialista na criação de brinquedos, que queria muito uma forma prática de beber café. A Aeropress é toda feita de plástico e você pode utilizar filtro de papel ou metal. É um método que faz café coado com pressão, assim como acontece com o espresso, só que ao invés da pressão da água, na Aeropress a gente tem a pressão do ar.

É um método muito versátil e querido pelos baristas. Tanto que até existe um campeonato só para ele. Além da pressão, dependendo da receita, também pode ser usado um tempo de infusão.

Resultado: café rico em açúcares e óleos essenciais próprios do grão.

Foto: Cinthia Bracco

Prensa Francesa

Historiadores observaram que um equipamento muito similar ao que temos hoje apareceu nas cozinhas francesas por volta de 1850, mas foi um designer italiano que, em 1929, a registrou.

A prensa francesa ou french press é um método que utiliza infusão. A extração em si ocorre após empurrarmos seu êmbolo para baixo, o que vai fazer com que o pó de café seja separado da bebida. Não é necessária a utilização de filtro de papel. Em uma outra ocasião a gente falou bastante da prensa. Se você não lembra e tiver curiosidade, dá um olhada.

Resultado: bebida equilibrada e intensa.

Foto: Pixabay

Chemex

Criada em 1941 nos EUA por um químico alemão, a Chemex parece uma garrafa bonita de vidro quando você a olha pela primeira vez. Na verdade, não deixa de ser, mas ela também faz uma excelente xícara de café.

Possui filtros de papel especiais, mais grossos e em formato circular, que dobrados formam um cone. Não há um suporte, o filtro é encaixado no próprio recipiente de vidro. Depois disso, é só colocar café moído e fazer a extração.

Resultado: uma bebida saborosa, leve e extremamente limpa.

Foto: Pixabay

 

Agora quando o barista  perguntar qual método você prefere, já vai ser mais fácil escolher. Você já tem o seu preferido? Qual dos cafés coados gostaria de provar?

 

Cinthia Bracco é filha e neta de boleira e salgadeira. Atuou por 9 anos nas áreas de Marketing e Comunicação, mas não conseguiu fugir de seu destino. Assim como a mãe e a avó ingressou na área de gastronomia depois de ter se apaixonado pelo café. Em Novembro de 2016 tornou-se barista profissional e hoje está trabalhando em um dos maiores projetos de sua vida: ter a própria cafeteria. É vegana, adora comer, tem um Bull Terrier chamado Tofu e é fã de ficção científica, especialmente Battlestar Galáctica.

Foto de destaque: Pixabay

Compartilhe com seus amigos: