Como fazer café coado no Hario V60

Tá na hora do café! A verdade é que, para quem ama um cafezinho mesmo, toda hora é hora. Um dos métodos de preparo da bebida é o filtrado no Hario V60, um coador desenvolvido no Japão. Ele se parece com aquele coado tradicional, mas tem algumas características que diferem, inclusive, o sabor do cafezinho. Quer entender direitinho e saber como fazer café coado no Hario V60 em casa sem errar? Olha só:

Hario V60 versus coador tradicional

Uma das diferenças desse método em relação ao do coado tradicional é a estrutura interna do coador, que tem espirais. Isso faz com que a água, ao ser despejada ali, siga o fluxo dessas espirais passando pelo pó de café mais rapidamente, sem obstáculos, também por causa do tipo de filtro de papel. Ele, por sua vez, tem o formato de um cone, sem aquela base reta do método coado tradicional.

O mercado oferece Hario V60 em diversos materiais e tamanhos: tem de vidro, de cerâmica, de acrílico e de porcelana, como essa que você vai ver no vídeo. Alguns materiais são capazes de reter mais o calor do que outros. Esse é um ponto que também interfere no resultado, mas depende do gosto de cada um, não tem certo e errado nesse caso. A abertura do Hario V60, por onde o café passa ao ser coado, é maior do que aquele coador tradicional. Isso também influi no resultado do sabor, já que reduz o tempo de contato da água com o pó.

Você vai gostar de ler:

Passo a passo de como fazer café coado no Hario

Veja as recomendações do barista Ricardo, da Suplicy Cafés Especiais, para fazer um bom cafezinho filtrado usando o Hario V60 em casa.

  1. Para cada 10 gramas de café, use 100 ml de água;
  2. Escalde o filtro com água quente;
  3. Em seguida, coloque o pó de café;
  4. Pré-infusão: coloque um pouco de água de forma que umedeça todo o pó de café;
  5. Despeje o restante da água fazendo movimentos circulares e aguarde uns minutinhos até que a água termine de passar pelo filtro. Voilà.

Dica importante: não deixe que a água chegue no ponto de fervura. Aí você queima o café e a bebida não fica tão boa quanto poderia.

É recomendado usar a moagem média do grão que você preferir. O resultado é uma bebida saborosa e limpa, sem aqueles resíduos de café no fundo da xícara, sabe?

Gostou de saber como fazer café coado no Hario V60? Você gosta desse método de preparo? Conte nos comentários e compartilhe com os amigos nas redes sociais, usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Foto: Pixabay

Compartilhe com seus amigos:

Café 2 – Vamos falar sobre postar fotos nas redes sociais

Pega um cafezinho aí e vamos falar sobre postar fotos nas redes sociais. Não vou me estender muito. As fotos nas redes sociais refletem, na maioria das vezes, uma ilusão de como gostaríamos que fosse a vida todos os dias, mas a gente sabe que não é bem assim, né? Se não sabe, deveria.

Veja esse vídeo antes de continuar:

A gente precisa se lembrar que ninguém é feliz 24 horas por dia, 365 dias no ano. A vida não é toda essa paisagem e ostentação, não. Vida que é vida tem altos e baixos, dias bons e ruins. Quem posta sabe disso. Quem posta sabe que, às vezes, é aquele #tbt de quinta-feira que traz alegria para uma semana ou dia que não foi tão bom assim, só pela oportunidade de lembrar do momento. Mas quem vê precisa ser lembrado, especialmente quando julga as fotos do amiguinho.

O que eu quero dizer com isso é que essa é uma questão que, na minha opinião, precisa ser trabalhada muito mais na cabeça de quem vê do que de quem posta. É bem aquilo de ter responsabilidade pela própria vida e pelas atitudes, sabe? Sinceramente, eu não gosto de ver fotos feias em rede social nenhuma. Quero mais é ver gente feliz, paisagens lindas, viagens incríveis, pratos de comida de restaurantes legais e por aí vai.

A nossa felicidade e autoestima não pode nem deve ser medida pela timeline do amigo que a gente julga ser mais bonito e interessante e que já teve a oportunidade de conhecer mais lugares pelo mundo. Talvez não seja ele que deva diminuir ou parar de postar o que bem quiser. Talvez seja o nosso olhar que precise ser melhor treinado para observar com mais carinho para as coisas boas que acontecem na nossa própria vida. Aposto que esse treinamento pode, inclusive, render fotos bacanas, sabia?

 

Contador de cafés

Café número dois

Estou escrevendo do meu quarto, em São Paulo. Dia 14 de maio de 2017, às 20h03.

Leia também:

 

Fernanda Haddad é idealizadora e editora do projeto @UmCafezinho. Formada em jornalismo, tem uma empresa de conteúdo e estratégia digital. Trabalhou no Grupo Bandeirantes por quase 5 anos, gerenciou o conteúdo do Universo Jatobá nos primeiros 2 anos de portal e trabalhou em outros projetos de Content Marketing para grandes marcas, em startup. Também é locutora e apaixonada por bulldogs e chocolate. Nas horas vagas, toma café, lê, vê um filme ou outro e escreve um pouquinho. Fernanda escreve às terças-feiras.

Foto: Pixabay

Compartilhe com seus amigos:

Cafés raros do Quênia e Laos compõem série da Nespresso

A Nespresso traz mais uma experiência única para os coffee lovers, que já está disponível nas lojas. A série de edição limitada Explorations vem com cafés raros do Quênia e do Laos, regiões nunca antes exploradas e que trazem blends diferentes.

Origens e cafés raros: o que esperar?

A Edição Limitada Explorations 1 é formada por dois blends cuidadosamente selecionados para estrear a série. Laos Bolaven Plateau e Kenya Peaberry já estão disponíveis nas lojas e canais de venda em todo o Brasil. Os blends são vendidos em um pacote duplo (20 cápsulas) por R$ 120 – com limite de 5 unidades por Membro do Club.

Você vai gostar de ler:

De onde vêm os cafés raros?

Laos Bolaven Plateau

O blend vem de uma região situada a 1.300 metros acima do nível do mar, o Planalto Bolaven do sul do Laos. Essa é uma região com alto índice de chuvas, solo vulcânico e umidade constante. O café é 100% Arábica descascado e passa por um processo de torra super cuidadoso. O resultado é um espresso com notas de trigo dourado e fundo herbal fresco com um toque ácido.

Sugestão de degustação: Espresso (40 ml) ou com leite em um Latte Macchiato.

Kenya Peaberry

O outro blend vem do Quênia, região conhecida principalmente pelo peaberry ou grão moka, que respondem por só 5% dos cafés no mundo. A torra, neste caso, também é feita com uma atenção especial. Isso porque o grão tem um formato mais arredondado e o calor penetra uniformemente, exigindo um pouco mais de cuidado para o café perfeito. O resultado é um espresso aromático com notas remanescentes de maçãs, passas, amoras e cassis.

Sugestão de degustação: Espresso (40 ml) ou com leite em um Latte Macchiato ou um Cappuccino.

Onde comprar?

Quer experimentar os cafés raros da nova série de Edição Limitada Nespresso? Eles estão disponíveis em todos os canais de venda: nas Boutiques, no telefone 0800 7777 737, no site www.nespresso.com e no aplicativo mobile gratuito disponível para IOS e Android.

Esses cafés raros são mais uma oportunidade de dar uma volta pelo mundo sem sair de casa, né? Quem gosta de cafés em cápsulas? Conta pra gente os seus preferidos e compartilhe com seus amigos pelas redes sociais usando a hashtag #UmCafezinhoPeloMundo. 

Fotos: Nespresso/Divulgação

Compartilhe com seus amigos: